Sexta, 24 Setembro 2021

​'A esperança em Bolsonaro morreu', diz porta-voz dos caminhoneiros autônomos

Claudio_-da_Costa_Oliveira_divulgacao Divulgação
Leonardo Sá

Dois dias depois do anúncio de uma greve que prometia paralisar o país, que foi desarticulada ainda no nascedouro nessa quarta-feira (28), o diretor do Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC), Cláudio da Costa Oliveira, um dos porta-vozes dos caminhoneiros autônomos, afirmou nesta quinta-feira que a categoria não irá apoiar a campanha do presidente Jair Bolsonaro à reeleição e enfatizou: "A esperança morreu, pois o governo quer mesmo acabar com o caminhoneiro".

Uma das mais fortes bases de apoio de Jair Bolsonaro, os caminhoneiros não acreditam mais que o governo vá fazer alguma coisa para equilibrar os preços dos combustíveis, do gás de cozinha e da tabela de frete, segundo Cláudio, também engenheiro aposentado da Petrobras e crítico da política de preços praticada pelo governo, que reside em Guarapari.

Para ele, essa situação vem desde o governo Dilma, com o leilão do poço de Libras na bacia de Santos, agravada com a manutenção da política de preços de paridade internacional, que faz com que os preços praticados pela Petrobras dependam dos preços do óleo, dos derivados e da taxa de câmbio. "Os caminhoneiros não vão apoiar Bolsonaro nem vão apoiar o PT", afirma, apontando a tendência para as eleições de 2022.

Questionado sobre o que mudou desde a greve deflagrada em 2018, que ajudou a eleição de Bolsonaro, ele explica que, naquela época, houve o apoio dos empresários de transporte, que hoje furaram a greve. Admite que há um sentimento de perda na categoria, que não espera mais nada do atual governo.

"A decepção é total, agora acabou, o caminhoneiro não vai mais apoiar Bolsonaro; não acredita que ela vá fazer coisa nenhuma", comenta. Ele afirma que "tem gente que se diz representante do caminhoneiro que está lá para bater palma para o governo, que está lá junto com o ministro Tarcísio [Gomes de Freitas, engenheiro militar e ministro de Infraestrutura] e eles ganham dinheiro com isso".

O caminhoneiro autônomo está cansado disso, afirma, apontando para o descaso dos responsáveis pela política de preços e os desdobramentos na sociedade. "O ministro sabe disso, eles sabem disso, e não estão nem aí, pois colocam o gás a R$ 100 reais. Quem bota o gás a R$ 100 é porque não respeita o povo, não quer saber. Que se dane o caminhoneiro também. Só que ele ficou muito tempo na esperança. Mudou o presidente da Petrobras e o que mudou? Mudou nada e agora estão vendendo tudo".

Refere-se ao desmonte da Petrobras para favorecer grandes corporações multinacionais, principalmente a Shell e a Esso. "Acabaram de vender a Gaspetro, para a Shell também, que está tomando conta de tudo. Esse ministro Tarcísio é garoto propaganda da Shell. Não tem ninguém para defender o Brasil", desabafa.

O engenheiro ressalta que a "Petrobras está enchendo o caixa porque não paga participação especial nem Imposto de Renda nenhum. A empresa alcançou um nível de produtividade que é o maior do mundo, mas passa tudo para seus acionistas e não para o povo brasileiro". Cláudio citou como exemplo um poço de petróleo descoberto pela Petrobras na década de 70, que foi nacionalizado, e a retomada das refinarias da Petrobras na Bolívia no governo do então presidente Evo Morales.

Opinião

Em artigo publicado no jornal da Associação doe Engenheiros da Petrobras, Cláudio Oliveira afirma: "Ontem [27/7] a Petrobras anunciou a venda da Gaspetro para a Compass Gás e Energia S.A. Como a Compass pertence à Cosan, significa que quem realmente está comprando é a Royal Dutch Shell, que, ao que tudo indica, logo estará ocupando todos os espaços que um dia foram da Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras, em território nacional".

E destaca: "Os caminhoneiros autônomos foram um dos principais apoios recebidos por Jair Bolsonaro para sua eleição. Bolsonaro sabia disto e, durante a campanha, prometeu atender suas principais reivindicações. 

Disse também que a política de preços da Petrobras, Preço de Paridade de Importação- PPI, era um absurdo e seria modificada. Assumiu o poder e nada fez".

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários: 1

Lucão em Sexta, 30 Julho 2021 14:57

Uaiii, esse energúmeno acreditou que Bolsonaro fosse mesmo ajudar os caminhoneiros??? Que ingênuo...

Uaiii, esse energúmeno acreditou que Bolsonaro fosse mesmo ajudar os caminhoneiros??? Que ingênuo...
Visitante
Sexta, 24 Setembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/