Sábado, 04 Dezembro 2021

Blocos da direita ligada a Bolsonaro e Moro agitam cenário político no Estado

carlos_manato_3_luismacedo_agcamara Luis Macedo/Ag.Câmara

A direita conservadora atuante no Espírito Santo iniciou nesta quarta-feira (24), em Vitória, articulações visando garantir palanque para a reeleição de Jair Bolsonaro, na porta de entrada do PL, e levantar o nome do ex-juiz e ex-ministro da Justiça de Bolsonaro, Sergio Moro (Podemos), hoje na oposição, pré-candidato à Presidência da República em 2022. Por meio de conversas e eventos, cúpulas partidárias começam a definir nomes que concorrerão a cargos eletivos no Estado, conectados com a campanha presidencial.

Lideranças pró-Bolsonaro seguem em busca de acomodar o ex-deputado federal Carlos Manato, pré-candidato ao governo no próximo ano. Nesta quarta-feira, o Tenente Assis, pré-candidato à Câmara dos Deputados e um dos coordenadores do PTB no Estado, se reuniu com Manato e acertou sua participação no "1º Encontro Conservador do Espírito Santo", marcado para este domingo (28), no Shopping Praia da Costa, em Vila Velha.

Com a presença da presidente nacional do partido, Graciela Nienow, que substituiu Roberto Jefferson, afastado por estar na cadeia por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), o encontro deverá marcar a filiação de Manato ao PTB, segundo acreditam lideranças do partido. Dirigentes do PTB confirmam que o convite será feito ao casal Manato, sem qualquer exigência em troca.

O ex-deputado desistiu de ir para o PL, a fim de seguir o presidente Jair Bolsonaro, por não conseguir entrar em acordo com o ex-senador Magno Malta, presidente do partido no Espírito Santo, que impôs impedimento à filiação deputada federal Soraya Manato (PSL), candidata à reeleição.

Já o bloco da terceira via ligado à elite financeira, agora próxima do ex-juiz Sergio Moro, considerado parcial pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em processos da Lava Jato, ignorada pela mídia comercial, participou da primeira reunião do Vitória Summit - Encontro de Líderes, da Rede Gazeta.

O evento gera visibilidade ao ex-governador Paulo Hartung (sem partido), um dos palestrantes, juntamente com o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga, do grupo de economistas do qual faz parte Afonso Celso Pastore, conselheiro de Moro, defensores do rigor fiscal e das privatizações. Os dois abordaram o tema "Tendências econômicas para 2022 e o impacto nas eleições presidenciais".

O ex-governador aparece justamente quando seu nome circula nas redes como pré-candidato ao Senado em 2022, concorrendo com o deputado federal Amaro Neto (Cidadania), o ex-senador Magno Malta (PL) e o ex-prefeito de Colatina Sergio Meneguelli (Republicanos). Ele se mantém em silêncio e se articula na esfera da disputa presidencial desde a frustrada tentativa do apresentador de TV Luciano Huck concorrer com Bolsonaro em 2022, ampliando seu campo de atuação.

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários: 1

gutemberg em Quinta, 25 Novembro 2021 11:29

Direita conservadora ? Valdemar da Costa Neto, Malta, Roberto Jeferson, Bolsonaro, Manato, estão de sacanagem só pode.

Direita conservadora ? Valdemar da Costa Neto, Malta, Roberto Jeferson, Bolsonaro, Manato, estão de sacanagem só pode.
Visitante
Sábado, 04 Dezembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/