Sexta, 19 Agosto 2022

Candidatos à prefeitura de Cariacica iniciam corrida a partidos e lideranças

Candidatos à prefeitura de Cariacica iniciam corrida a partidos e lideranças

Com os resultados das urnas já devidamente assimilados, os candidatos a prefeito de Cariacica Geraldo Luzia, o Juninho (PPS), e Marcelo Santos (PMDB) partiram para a segunda fase da disputa. Os dois candidatos já iniciaram a corrida a partidos e lideranças que podem ter um papel importante neste segundo turno. 

 
Em entrevista à Rádio CBN Vitória na manhã desta quarta-feira (10), Marcelo Santos deu entender que o acordo com o PSD de Avelina, que saiu derrotado no primeiro turno da disputa a prefeito, já está praticamente selado. 
 
No final da tarde desta quarta (10) veio a confirmação. O PSD de Avelina anunciou que caminhará junto com Marcelo Santos no segundo turno das eleições em Cariacica.
 
Avelina e seus 7.982 votos (4,35%) entram como um reforço importante para a campanha do candidato do PMDB, que também está bastante próximo de fechar com o PT de Helder Salomão. O atual prefeito de Cariacica volta de Brasília nesta quinta-feira (11) para tratar do possível apoio do PT à candidatura de Marcelo.
 
Se Marcelo está se calçando para entrar forte no segundo turno, o candidato do PPS, apesar da boa margem de quase 40 mil votos que abriu sobre o peemedebista, também disse estar aberto às negociações, desde que esses acordos não tirem o foco de sua campanha, que é renovar a administração cariaciquense. 
 
Juninho, que também foi entrevistado pela Rádio CBN Vitória, usou as lições do futebol para avisar que ainda não há nada ganho. “No segundo turno, a eleição começa de novo. Eu que venho da escola do futebol, digo que a partida só acaba quando o juiz dá o apito final”, ponderou.
 
Com a proposta de “aglutinar sem mudar o foco”, Juninho disse que já se reuniu com os principais partidos e lideranças. O candidato não escondeu que existe uma maior proximidade com o PV, do deputado estadual Sandro Locutor, que ficou em quinto na disputa à prefeitura de Cariacica, com apenas 57 votos a menos que Avelina, quarto colocado. Ou seja, se PV e PSD conseguissem transferir seus capitais eleitorais para cada um dos candidatos, nada mudaria.
 
Independente dos apoios, os dois candidatos sabem que vence a disputa quem tiver a melhor estratégia. Marcelo Santos quer esquecer a margem aberta por Juninho e acreditar que o placar voltará a zerar no segundo turno. Ele aposta no seu projeto de governo que, segundo ele, “não é uma peça de ficção”. O candidato do PMDB acha que terá mais chances de aprofundar suas propostas no segundo turno.
 
Juninho também admite que o segundo turno é uma nova eleição, mas não quer perder um único voto dos 82.830 que conquistou no primeiro turno. Ainda na estratégia futebolística, que é a sua praia, o candidato deve adotar aquela outra máxima dos boleiros: “em time que está ganhando não se mexe”. 
 
Por isso ele deixou bem claro que só vai se juntar com partidos que estejam alinhados à sua proposta de governo. Ele também já avisou que continuará fazendo uma campanha literalmente pé no chão. “Não vou subir em trio elétrico. Vamos manter a campanha olho no olho do eleitor”, frisou. 

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 19 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/