Quinta, 26 Mai 2022

Casagrande pode ter vice do PT caso se consolide aliança com PSB

renato_casagrande_ales Ales

Apesar das divergências e do distanciamento que marcam as relações do PT no Espírito Santo com a atual gestão estadual, a candidatura à reeleição do governador Renato Casagrande (PSB), ainda não anunciada, tende a ser favorecida com uma aliança costurada a partir de entendimentos entre os dois partidos, que nesta quinta-feira (20) iniciaram nova rodada de negociações, em nível nacional. Lideranças políticas apontam que o PT poderá não ter candidato ao governo, ficando com a vice na chapa de Casagrande.

O deputado federal Helder Salomão e o ex-prefeito de Vitória e ex-deputado federal João Coser são apontados no mercado como nomes cogitados para compor a chapa de Casagrande, como parte da federação entre os dois partidos, que deverá estar consolidada até o final de fevereiro. Atualmente, João Coser é pré-candidato à Assembleia Legislativa e Helder Salomão concorre à reeleição.

Não será a primeira vez que Casagrande caminha com o PT. Ao se eleger governador em 2011, teve como vice o deputado estadual Givaldo Vieira, então no PT, em decorrência de uma aliança, desfeita no decorrer do mandato. 

Em uma de suas declarações, no início deste mês, o governador tornou público que não gostaria de que o PSB formasse uma federação com o PT. No entanto, as articulações caminham em direção a uma aliança entre as duas siglas. Caso sejam consolidadas, Casagrande poderá contar com o apoio do senador Fabiano Contarato, o mais novo filiado ao partido, que manteria o mandato, até 2024, desistido da pretensão de concorrer ao governo neste ano.

Essa tendência ficou mais clara nas declarações do ex-presidente Lula, líder nas pesquisas para presidente da República, nesta quarta-feira (19), confirmando que o PT poderia abrir mão de candidaturas majoritárias em alguns estados, entre os quais o Espírito Santo, desde que o partido tenha a garantia de manter a candidatura de Fernando Haddad ao governo paulista. Para isso, o ex-governador Márcio França concorreria ao Senado.

No mercado político, garantir o governo de São Paulo, levando em conta a liderança de Fernando Haddad nas pesquisas, e com aliados nos estados, abriria ao PT uma perspectiva de eleger bancadas fortes no Congresso, essenciais para a governabilidade em um eventual governo Lula. Essa preocupação, inclusive, é alvo de frequentes declarações de lideranças petistas e do próprio ex-presidente.

Online

A presidente estadual do PT, Jackeline Rocha, divulgou nota nesta quinta-feira informando que o evento do senador Fabiano Contarato ocorrerá de forma totalmente virtual, no próximo dia 28. "Agora, com o recrudescimento da pandemia da Covid-19 e da avançada propagação do vírus, precisamos manter essa mesma postura responsável,", diz o comunicado.

E complementa: "A presença de Lula segue confirmada, juntamente com outras lideranças nacionais e estaduais, mas a visita presencial do ex-presidente Lula ao Espírito Santo ocorrerá em breve, quando as condições sanitárias permitirem. Seguimos em frente, com segurança e compromisso com a vida".

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários: 2

Wanderson AC em Sexta, 21 Janeiro 2022 13:28

A conjuntura local tem dinâmica diferente. O PT ainda não se erguerá nessa eleição aqui no estado. Não é o que o governador precisa. O PT não agrega no palanque de Renato. Existe aliados mais interessantes e com voto que ajudará amis do que alguém do PT.

A conjuntura local tem dinâmica diferente. O PT ainda não se erguerá nessa eleição aqui no estado. Não é o que o governador precisa. O PT não agrega no palanque de Renato. Existe aliados mais interessantes e com voto que ajudará amis do que alguém do PT.
R. Pedrini em Quarta, 26 Janeiro 2022 10:08

O PT é a maior força política progressista do mundo e Lula o seu maior representante e aglutinador. O maior estadista da atualidade consegue façanhas de deixar os estabelecidos embasbacados. A mídia, com seu tratamento direcionado, não conseguiu lhe destruir - como queria. Saiu mais forte. Renato é pragmático...porém míope...não enxerga o óbvio. Lula não precisa do PSB, por conseguinte não precisa de Renato. Este sim precisa do PT...e como não entendeu ainda...precisa de Lula.

O PT é a maior força política progressista do mundo e Lula o seu maior representante e aglutinador. O maior estadista da atualidade consegue façanhas de deixar os estabelecidos embasbacados. A mídia, com seu tratamento direcionado, não conseguiu lhe destruir - como queria. Saiu mais forte. Renato é pragmático...porém míope...não enxerga o óbvio. Lula não precisa do PSB, por conseguinte não precisa de Renato. Este sim precisa do PT...e como não entendeu ainda...precisa de Lula.
Visitante
Quinta, 26 Mai 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/