Quarta, 29 Junho 2022

Janete é desrespeitada em votação contra evento em alusão ao regime militar

janete-de_sa_CreditostatiBeling-Ales Tati Beling/ Ales
Não foram somente questionamentos sobre a votação em bloco, em fevereiro, quando foi aprovada a realização da sessão especial em alusão ao golpe militar de 64, que marcaram a sessão de cancelamento desse evento, previsto para esta quinta-feira (31). Ao justificar seu posicionamento contrário às homenagens à ditadura, a deputada Janete de Sá (PSB) foi desrespeitada pelo autor do projeto, Capitão Assumção (PL).

Enfurecido, o deputado caminhou em direção à deputada, que ocupava a tribuna do plenário da Assembleia Legislativa, e, com o dedo em riste e aos gritos, tentou impedir a fala da parlamentar.

"Não vou permitir que um homem me afronte nesse plenário. Estou sofrendo uma agressão de um deputado nessa Casa, enquanto eu ouvi a opinião dele calada", reagiu Janete, solicitando à Mesa Diretora garantias para concluir seu discurso. A parlamentar agradeceu o apoio e a votação da maioria dos deputados que reprovou remontar na Assembleia os traumas sofrido pela sociedade no período da ditadura militar imposta no país durante 21 anos.

A sessão especial proposta por Capitão Assumção, aprovada no dia 8 de fevereiro, por 18 deputados, foi votada em bloco, juntamente com outros projetos, motivo que levou alguns deputados a questionarem essa forma de votação, que impossibilita um conhecimento mais apurado sobre o que se está votando. Posicionamento semelhante foi externado pela deputada Iriny Lopes (PT) e o deputado Bruno Lamas (PSB).

"Eu tenho nojo da ditadura", disse Bruno Lamas, que é líder do PSB na Assembleia Legislativa, e acrescentou: "Votei para derrubar a realização da sessão. Para que não paire dúvidas. Ela fez vítimas, perseguiu e matou inocentes. E não acrescentou em nada à nossa história (...) Acredito e defendo a democracia sempre. Este assunto foi sepultado aqui hoje".

Bruno fez questão de explicar que houve uma confusão na votação de fevereiro em que o requerimento foi aprovado. 
"Houve uma votação em bloco, simbólica, para a realização de uma sessão especial, não solene. Portanto, não poderia ocorrer homenagens. Inclusive, precisamos rever essa forma de votação em bloco. Mas hoje a Assembleia Legislativa mostrou as suas digitais, ao derrubar a realização da sessão", frisou.

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários: 2

Augusto Bandeira em Segunda, 11 Abril 2022 14:56

Janete me surpreendeu, positivamente. Ditadura NUNCA mais.

Janete me surpreendeu, positivamente. Ditadura NUNCA mais.
Jefferson em Sexta, 27 Mai 2022 20:36

A mim também. De onde menos se espera, às vezes sai alguma coisa. Foi bom que barrou os psicopatas.

A mim também. De onde menos se espera, às vezes sai alguma coisa. Foi bom que barrou os psicopatas.
Visitante
Quarta, 29 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/