Quinta, 11 Agosto 2022

Discurso da mudança impacta candidaturas petistas no Estado

Depois de sair das urnas em 2008 como o grande vencedor das eleições, o PT capixaba amargou derrotas significativas no pleito realizado nesse domingo (7). Apesar de manter o mesmo número de prefeituras (seis ao todo), a sigla perdeu municípios importantes, como Vitória e Cariacica, onde as candidatas petistas sequer vão disputar o segundo turno. O impacto do discurso da mudança também aparece no desempenho das chapas proporcionais do partido. 



Da atual presença na Grande Vitória, as prefeituras petistas devem se resumir ao interior do Estado, a partir do próximo ano. O partido manteve duas importantes prefeituras: de Colatina, com Leonardo Deptulski, o Batata, reeleito sem dificuldades; e de Cachoeiro de Itapemirim, com Carlos Casteglione, que venceu uma disputa voto a voto contra o deputado estadual Glauber Coelho (PR). 



Entre as novas prefeituras do partido aparecem Itarana (Ademar Schneider), Vila Valério (Luizmar Mielke, o Maca), João Neiva (Romero Figueredo) e Ecoporanga (Pedro Costa). Resultado que não ofusca a derrota dos candidatos apoiados pelos prefeitos João Coser (Vitória) e Helder Salomão (Cariacica). O partido também vai deixar o comando das prefeituras de Castelo e Mantenópolis. 



Na comparação com o PSDB, partido com quem polariza o debate nacional, o PT manteve o empate em número de prefeituras. No entanto, as estatísticas petistas escondem a forte redução no capital político do partido, uma vez que deixa o papel de protagonista na Grande Vitória, para se contentar apenas com a presença de Lourencia Riani, vice do prefeito eleito da Serra, Audifax Barcelos (PSB), eleita na conta do vice-governador Givaldo Vieira (PT). 



Além da derrota na disputa majoritária em Vitória, o PT também perdeu metade das cadeiras na Câmara de Vereadores para a próxima legislatura. O partido conseguiu eleger apenas dois vereadores: Marcelão, única novidade do partido, que teve quatro mil votos, e o atual presidente da Casa, Reinaldo Bolão, que teve 3.094 votos. 



Ficaram de fora os atuais vereadores petistas Eliezer Tavares, que ficou com 2.735, e Zé Carlinhos, com 2.329 votos. Uma votação que ficou muito aquém do esperado, de acordo com Eliezer, que foi um dos poucos petistas que acompanharam a apuração dos votos, tradicionalmente em frente à sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/ES). Para ele, a grande surpresa das eleições foi a baixa votação dos candidatos a vereador do partido. 



Logo abaixo dos dois suplentes na Capital, os candidatos mais votados foram Professor Aguinaldo, com 1.660 votos; Renato Martins, que obteve 1.199 votos, e Elizeu Moreira, ex-secretário de Coordenação Política do prefeito João Coser, que ficou com 1.123 votos. 



Em Cariacica, o partido manteve as quatro cadeiras na Câmara municipal, porém, nenhum dos atuais vereadores foi reeleito. A coligação petista elegeu: Zé do Miguel, com 3.263; Celso Andreon com 3.250; Professor Erildo com 2.128, e Seu Pedro, que obteve 1.943. 

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 11 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/