Sexta, 19 Agosto 2022

Eleição mostra força de Reginaldo Quinta

Eleição mostra força de Reginaldo Quinta

O prefeito cassado de Presidente Kennedy (litoral sul do Estado), Reginaldo Quinta (PTB), deu uma demonstração de força política nas eleições desse domingo (7). Mesmo com a possibilidade de disputar o pleito, o petebista elegeu a sobrinha Amanda Quinta Rangel (PDT), indicada de última hora, como prefeita do município com 57,6% dos votos válidos (5.238 votos). Amanda derrotou o ex-prefeito do município Aluízio Corrêa (PR), que teve 3.403 votos.  

 
Na disputa pela Câmara de vereadores, o prefeito teve um papel decisivo na renovação do plenário para a próxima legislatura. Dos nove vereadores eleitos em 2008, apenas o ex-presidente da Câmara Dorlei Fontão da Cruz (PR) – atualmente afastado do cargo – foi reeleito. Entre os quatro interinos, o vereador Jacimar Marvila Batista, o Tima (PTB), foi o único que aparece entre os eleitos. 
 
A renovação do Legislativo em Kennedy é simbólica, já que os seis vereadores que votaram pela cassação do ex-prefeito não foram aprovados pelas urnas. Entre os vereadores que ficaram de fora está Tércio Jordão Gomes (PSD), que fez as primeiras denúncias de corrupção na gestão de Quinta. Tercinho, como é batizado na urna, obteve 332 votos - mais de cem votos superior do que o último eleito mais votado -, mas que acabou de fora pela coligação não ter atingido o coeficiente eleitoral para eleger um vereador. 
 
A coligação de Quinta fez outros dois vereadores, Sérgio Jordão (PTB), eleito com 333 votos, e Brunão do Povo (PHS), candidato mais bem votado, com 416 votos. Forem eleitos ainda: Albino (PSC), com 401 votos; Dilzerly Machado (PSC), 358; Mirian de Baldo (PTC), 278; Daniel Gomes (PPS), 256; e Bartolomeu - Dez Irmãos (PRP), eleito com o menor número de votos (226). 
 
Mas apesar da acusação de chefiar a quadrilha que atuava no município, Reginaldo Quinta não deve transferir os problemas de sua gestão para a futura administração da sobrinha. Apesar de uma passagem apagada pelo secretariado do tio, o nome de Amanda não é citada em nenhum inquérito policial. 
 
Diferentemente da futura prefeita, a outra sobrinha do ex-prefeito, Geovana Quinta Costalonga, também denunciada pelo Ministério Público Estadual (MPES), chegou a ser cotada para assumir o município. No entanto, a ex-secretária da gestão de Quinta - escolha natural do tio -, chegou a ser chamada de "abelha rainha", como aponta as investigações da Polícia Federal, e também poderia enfrentar problemas por conta das denúncias.

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 19 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/