Terça, 16 Agosto 2022

Casagrande critica, em evento, atitude de vereadores de Vitória

casagrande_sebrae_capa_vitor_taveira Vitor Taveira
O evento tinha foco cultural, mas o governador Renato Casagrande (PSB) aproveitou seu curto discurso para criticar indiretamente vereadores de Vitória por suas posturas. Na cerimônia de abertura da 3ª Festa da Criatividade, no Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o chefe do executivo aproveitou a presença da vereadora da Capital Karla Coser (PT) para criticar posturas de grande parte de seus colegas de parlamento municipal. 
Vitor Taveira
Emendando com o tema do momento, Casagrande declarou: "Como seria muito bom se a gente tivesse nesse país uma atividade e uma política de cultura mais intensa e mais presente. Não estaríamos hoje discutindo se é importante ter o passaporte da vacina ou não. Não precisávamos discutir aqui se uma Câmara de Vereadores - como Karla, nossa vereadora enfrenta - tenta administrar a pandemia através da aprovação de leis. Se enfrenta pandemia é através de evidências científicas, não por um decreto ou lei, não é assim que você faz a gestão da pandemia".

A referência é à lei aprovada com ampla maioria na Câmara e sancionada nessa quinta-feira (10) pelo prefeito Lorenzo Pazolini (Republicanos), que neutraliza o decreto estadual que pede que seja obrigatória a cobrança de comprovante de vacinação na entrada de espaços fechados como bares, restaurantes e pandemia, como medida para buscar proteger a população e incentivar a vacinação. O projeto teve autoria do vereador bolsonarista Gilvan da Federal (Patriota), que lidera o negacionismo na Casa. Ele chegou a ir a câmaras de outros municípios junto a políticos para pressionar pela aprovação de projetos similares, tendo entrado em conflito com legisladores na Câmara da Serra, quando Anderson Muniz (Podemos) discutiu de forma enérgica com Gilvan.

Outro episódio recente da Casa de Leis da Capital foi a retirada do título de Cidadão de Vitória ao secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes, que havia sido concedido por Karla Coser por conta de sua atuação no cargo durante a pandemia.

No discurso na Festa da Criatividade, Casagrande também criticou a violência política de gênero. "Se a gente tivesse de fato essa riqueza que precisa ter cada vez mais explícita em políticas públicas e que isso pudesse contaminar a sociedade, as nossas vereadores não seriam agredidas como são na Câmara de Vereadores", disse o governador, em referência indireta às constantes agressões a Karla e também à sua colega de parlamento Camila Valadão (Psol).

Além disso, Renato Casagrande enalteceu a atuação de seu governo na área cultural, destacando a liderança do secretário de Estado da Cultura, Fabricio Noronha, e saudou a presença de secretários de cultura de diversos estados do país, que participam em Vitória da reunião do Fórum de Secretário e Dirigentes Estaduais de Cultura, atualmente presidido por Noronha. O governador participou antes de um encontro do Fórum, que deve publicar a Carta de Vitória, com apontamentos que consideram importantes para o setor diante dos desafios a nível nacional.

Casagrande ainda exaltou a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ), que chegou a ser sua colega na Câmara Federal e liderou o processo de aprovação da Lei Aldir Blanc, de apoio emergencial à arte e cultura, e do ex-ministro Juca Ferreira, que destacou como "extraordinário ministro da Cultura", e Célio Turino, do Instituto Casa Comum e do projeto Scholas, do Vaticano, com quem o governo capixaba vem construindo uma parceria por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes).

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários: 2

Seu Madruga em Sexta, 11 Março 2022 15:36

Para restaurante precisa desse passaporte que não vale nada, mas para Transcol LOTADO não estão nem aí, quanta demagogia.

Para restaurante precisa desse passaporte que não vale nada, mas para Transcol LOTADO não estão nem aí, quanta demagogia.
Agmarcarioca amigo do mito em Sábado, 12 Março 2022 00:40

Vai passar 4 anos sem trabalhar falando da covid que e obrigaçao do nulo secretario de saude,fez o que em 4 anos nada,ate a vacina o mito mandou,o Es precisa mudar da mesmice igual mudou da mesmice do senado,o melhor politico capixaba vem ai,com pouco fez muito Sergio Meneguelli

Vai passar 4 anos sem trabalhar falando da covid que e obrigaçao do nulo secretario de saude,fez o que em 4 anos nada,ate a vacina o mito mandou,o Es precisa mudar da mesmice igual mudou da mesmice do senado,o melhor politico capixaba vem ai,com pouco fez muito Sergio Meneguelli
Visitante
Terça, 16 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/