Sexta, 19 Agosto 2022

Instituto capacita mulheres do Estado para eleições proporcionais deste ano

RenataFiorioAles Ales
Gracimeri Gaviorno. Foto: Ales

Renata Fiório (PP), de Cachoeiro de Itapemirim (sul do Estado), e Gracimeri Gaviorno (Republicanos), da Serra, pré-candidatas a deputada federal e estadual, respectivamente, estão entre as selecionadas pelo instituto Vamos Juntas para receber apoio e participar de uma formação técnica nas eleições de 2022. O instituto foi criado com o objetivo de impulsionar candidaturas de mulheres em todo o Brasil, reduzindo a desigualdade de gênero nas disputas por espaços de poder.

"A efetiva participação da mulher na política tem sido um desafio e está entre as metas do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU [Organização das Nações Unidas]. Por isso, acredito que é muito importante o surgimento de organizações e movimentos para aumentar a participação das mulheres nas esferas de decisão", aponta Gracimeri.

Renata conta que já tinha participado do projeto nas eleições de 2020, quando foi candidata à prefeitura de Cachoeiro de Itapemirim. A advogada foi uma das 51 selecionadas no ano, sendo a única do Espírito Santo. "Participei de toda a seleção e treinamentos, e foi muito bom, considerando a diversidade de realidades e os profissionais que nos ajudaram a passar pelas eleições em plena pandemia. Passadas as eleições, mantivemos o grupo e quem está pré-candidata já é pré-selecionada para continuar", explica.

Renata Fiório. Foto: Ales

Eleita vereadora de Cachoeiro de Itapemirim pelo PSD em 2016, Renata também foi candidata a prefeita do município em 2020, pelo mesmo partido. Este ano, na disputa por uma vaga na Câmara dos Deputados, a advogada conta que o apoio de outras mulheres é fundamental.

"Primeiro, para eu ver que os problemas que afligem as mulheres na política são os mesmos, e que eu conseguia me sair bem dos desafios. Outro ponto positivo é a formação de um grupo, que está mantido até hoje, com o mesmo propósito. Isso ajuda a manter a determinação de permanecer na política", enfatiza.

Gracimeri, que também integra o movimento Renova BR, disputou a Prefeitura da Serra em 2020. Não conseguiu se eleger, assumindo por um período a Secretaria de Políticas Públicas para a Mulher do município na gestão de Sérgio Vidigal (PDT). Também já atuou como subsecretária estadual de Segurança. "Tenho certeza de que essas formações são importantes para que possamos ter lideranças políticas não apenas renovadas, mas também preparadas para melhorar a vida das pessoas e suas relações com as cidades", destaca.

Esse também é um dos objetivos centrais do Vamos Juntas. Desde o início, a ideia era capacitar, incentivar e acolher mulheres que já eram líderes, impulsionando-as a ocuparem um cargo eletivo. Nesta edição, o projeto recebeu mais de 300 inscrições de 26 estados brasileiros.

No Estado, também foi selecionado para o projeto a liderança estudantil e das Brigadas Populares, Isabela Mamedi, de Vitória, mas ela decidiu adiar a candidatura este ano.

Quando são selecionadas, as mulheres que querem se candidatar a algum cargo político passam a integrar um programa de suporte socioemocional e técnico do Vamos Juntas. Em 2020, das 51 candidatas que participaram da formação, 11 foram eleitas.

"Temos como objetivo ampliar vozes de mulheres que historicamente foram alijadas das estruturas de poder. Para se ter uma ideia, somente em 1932 foi instaurado o voto feminino no Brasil. Apesar do crescimento das candidaturas femininas, que passaram de 21,04% em 2004 para 33,3% em 2020 nas eleições municipais, ainda temos um longo caminho para alcançarmos a equidade, tanto no processo eleitoral quanto na conquista de espaços de poder nos parlamentos e executivos", diz uma nota no site do instituto. 

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários: 1

Dejaime do rozario em Terça, 19 Abril 2022 07:28

As entidades vem capacitando politicamente os jovens, mulheres, agora capacitar ou ampliar a visão politica das pessoas que chegaram na 3°(terceira), seria uma interessante estratégia politica, pois é um grupo influenciador e de tomada de decisôes.

As entidades vem capacitando politicamente os jovens, mulheres, agora capacitar ou ampliar a visão politica das pessoas que chegaram na 3°(terceira), seria uma interessante estratégia politica, pois é um grupo influenciador e de tomada de decisôes.
Visitante
Sexta, 19 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/