Sexta, 24 Setembro 2021

Movimentos sociais realizam 'faixaço' no Centro de Vitória neste sábado

faixa_forabolsonaro_divulgacao Divulgação

Movimentos sociais do Estado realizam, neste sábado (31), um "faixaço" em protesto à notificação da Prefeitura Municipal de Vitória (PMV), que determinou que faixas escrito "Fora, Bolsonaro!", colocadas na fachada do antigo Hotel Imperial, no Centro de Vitória, fossem retiradas, sob multa de R$ 92 mil à proprietária do imóvel, no caso de descumprimento. A manifestação será na Praça Costa Pereira, em frente ao prédio, a partir das 10h.

Foto: Divulgação

Além de faixas na Praça Costa Pereira, os manifestantes também as colocarão nas janelas do antigo Hotel Imperial, conhecido popularmente como "Triplex do Lula". Sandra Oliveira, integrante do AfroKizomba, um dos movimentos que estão na organização do protesto, explica que "a ideia é denunciar a perseguição política que o prédio sofre há tempos, por ser espaço de manifestações políticas e culturais".

"Se reclamarem de uma faixa, colocaremos 10. Se reclamarem de 10, colocaremos 100", diz Sandra.

De acordo com ela, o argumento da gestão de Lorenzo Pazolini (Republicanos) para a notificação foi a "necessidade de preservação do patrimônio histórico", mas os movimentos sociais contestam. Sandra explica que o antigo Hotel Imperial ainda não é tombado. Destaca, ainda, que não existe uma política de preservação dos prédios históricos do bairro.

Atentado à liberdade de expressão

A atitude da gestão municipal, para o integrante do conselho gestor do "Triplex", Perly Cipriano, é um atentado à liberdade de expressão. "É uma visão autoritária, que não leva em consideração que por toda a cidade existem faixas de tudo quanto é tipo, mas notificam somente a gente, como forma de silenciar os movimentos sociais", ressalta.

Segundo Perly, o prédio tornou-se um ponto de encontro da esquerda e espaço para realização de atividades culturais. Ele destaca que "a perseguição passa de prefeito para prefeito", recordando que, em 2019, a gestão do então prefeito, Luciano Rezende (Cidadania), impediu a realização do Festival Lula Livre na Praça Costa Pereira.
Festival Lula Livre. Foto: Divulgação

Na ocasião, lembra Perly, "foi enviado ofício em tempo hábil para a prefeitura", mas, ainda assim, no dia do evento, não foi autorizada a montagem do palco e os banheiros químicos foram apreendidos. A solução, relata, foi realizar as apresentações musicais na sacada do antigo Hotel Imperial, que daí em diante virou palco de atividades como cine clubes e clube do vinil.

A ideia, como aponta Perly, é estruturar o espaço e denominá-lo de Melpômene Vermelho, em homenagem ao extinto teatro Melpômene, localizado no Centro de Vitória e demolido em 1925. "Queremos fazer dele um centro cultural e de articulação dos movimentos sociais. Vai valorizar o Centro de Vitória, dar espaço e voz para os movimentos", afirma. Um dos projetos a serem desenvolvidos no prédio é o de uma biblioteca comunitária.

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 24 Setembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/