Domingo, 05 Dezembro 2021

Hartung se cala sobre candidatura, mas já exibe aliados políticos

guerino_hartung_zecarlinhos_redesociais Redes sociais
Redes sociais

Uma das vozes mais ouvidas do bloco de centro-direita, que ajudou a eleger Jair Bolsonaro e depois passou para a oposição, o ex-governador Paulo Hartung (sem partido) intensifica movimentos vistos no mercado com características pré-eleitorais. Apesar de afirmar que não é candidato, mantém o discurso em defesa de uma terceira via na corrida presidencial, avalia as possibilidades e reforça os comentários de que disputará o Senado em 2022, ao se mostrar ao lado de aliados políticos apontados como candidatos.

Nesta quinta-feira (25), ele postou em rede social a visita realizada em Linhares, ao lado do prefeito Guerino Zanon (ainda no MDB), antigo aliado e considerado pré-candidato ao governo do Estado. Na mesma foto, o ex-deputado federal José Carlos Fonseca Junior, conhecido como Zé Carlinhos, ex-secretário-chefe da Casa Civil em sua gestão, em 2016, e o principal porta-voz do governo nas articulações das eleições de 2018, quando o então governador desistiu de concorrer à reeleição, forçando os aliados a buscarem outra forma de abrigo politico.

Como resultado, derrota eleitoral do grupo, afetando em cheio o vice-governador César Colnago, o senador Ricardo Ferraço e o próprio Zé Carlinhos, na época visto como candidato a vice, que agora reaparece na cena política. Colnago, ainda no PSDB, tenta abrir espaço para concorrer ao governo, sem obter muito êxito; Ricardo Ferraço, apontado como candidato ao Senado, se filiou ao DEM e se mantém calado.

Zé Carlinhos, depois de um processo na Justiça da época em que era secretário da Fazenda na gestão de José Ignácio Ferreira, assumiu a assessoria especial da Secretaria de Desenvolvimento no governo de Hartung, sendo em seguida nomeado para a Casa Civil.

Em evento realizado em Vitória nessa quarta-feira (24), Hartung repetiu a defesa da terceira via: "A polarização é boa para o Brasil ou para o debate político? Não. Ela empobrece as discussões. E o que precisamos, hoje, no Brasil, é diversificar esse debate. Isso deveria ser uma mobilização nacional", postou em sua rede social

Caso se confirme a candidatura do ex-governador, ligado ao grupo próximo ao ex-juiz Sergio Moro, declarado parcial no exercício da função pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a disputa ao Senado no Espírito Santo deverá ser definida entre ele o ex-prefeito de Colatina Sergio Meneguelli (Republicanos). Essa é a avaliação de lideranças políticas, que descartam na linha de frente da votação o deputado federal Amaro Neto (Cidadania) e o ex-senador Magno Malta (PL).

Com o presidente da Assembleia Legislativa, Erick Musso (Republicanos), perto de se viabilizar como pré-candidato ao governo em 2022, por conta do crescimento registrado em levantamentos para consumo interno, o ex-prefeito de Colatina Sergio Meneguelli se firma como postulante ao Senado pelo Republicanos. Esse cenário, no entanto, não faz parar convite de outros partidos.

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 06 Dezembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/