Quinta, 26 Mai 2022

​Pré-candidatos entregam a Lula manifesto em defesa da educação e da ciência

reinaldo_centuducatte_ufes Ufes

"Autonomia universitária como previsto na Constituição de 1988, que inclui a administrativa (gestão do patrimônio, escolha de dirigentes, gestão); acadêmica (ensino, pesquisa e extensão); e financeira (gestão financeira)", são alguns dos principais pontos do documento "Educação e Ciência para Reconstruir o País", entregue ao ex-presidente Lula e a outras lideranças políticas por ex-reitores, pesquisadores, professores e lideranças que são pré-candidatos ao Congresso Nacional e às assembleias legislativas.

Do Espírito Santo, assina o manifesto o ex-reitor da Universidade Federal (Ufes), Reinaldo Centoducatte, também ex-presidente Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), pré-candidato ao Senado. Ele disputa uma vaga na chapa do PT para as eleições de outubro com a também professora Célia Tavares, que avançou para o segundo turno da disputa à prefeitura de Cariacica em 2020.

Os signatários afirmam que o movimento é de resistência ao desmonte e destacam que a situação poderá se revertida, reforçando suas pré-candidaturas aos legislativos. Criticam que "o desmonte das instituições públicas, na direção do estado mínimo, é a marca de um governo que aprofunda a agenda neoliberal e um ajuste fiscal irrealista. Vamos na direção oposta dos países desenvolvidos e, ultrapassando as piores previsões, caminhamos na direção do obscurantismo, sob um governo que nega a ciência em cada um de seus atos e retrocede na formação da população".

O documento, entregue ao ex-presidente Lula durante sua passagem por Juiz de Fora, Minas Gerais, aponta que a Educação e a Ciência são pilares fundamentais para a reconstrução do Brasil e ressaltam que "nenhum país conseguiu se desenvolver plenamente sem implementar políticas de Estado para Educação e para Ciência, Tecnologia e Inovação. A Educação é porta de acesso a empregos de melhor qualidade e com maior remuneração, amplia oportunidades e possibilita um desenvolvimento econômico mais equânime".

Destaca, ainda, a retomada do Plano Nacional de Educação, que inclui a necessidade das conferência de educação municipais, estaduais e nacionais; e investimentos e recuperação das instituições de fomento de ciência, tecnologia e inovação.

Para eles, há um "descaso intencional e criminoso com a saúde pública é a outra face visível e cruel desta aversão ao conhecimento, que já resultou na perda de mais de 650 mil vidas para a Covid-19. Felizmente, testemunhamos o enorme esforço da comunidade científica brasileira e seu compromisso com a vida, na busca de soluções para a gravíssima crise sanitária".

Concluem que "os próximos governos, federal e estaduais, terão o enorme desafio de retomar o crescimento econômico, criar empregos, superar a pobreza e reduzir a desigualdade. Para isso, precisarão contar com o apoio de parlamentares com experiência em gestão e envolvimento da nossa comunidade acadêmica".

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários: 2

Walter em Sábado, 14 Mai 2022 13:37

Existe jeito mais honesto de entrar na política que tanto o senhor deseja. Esse documento, além do 9 dedos não ler, ele teve 16 anos pra responder e deu no que deu. Melhor aposentar

Existe jeito mais honesto de entrar na política que tanto o senhor deseja. Esse documento, além do 9 dedos não ler, ele teve 16 anos pra responder e deu no que deu. Melhor aposentar
AQUINO REGO em Segunda, 16 Mai 2022 21:15

PETRALHAS

PETRALHAS
Visitante
Quinta, 26 Mai 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/