Quinta, 26 Mai 2022

Projeto 'Eu Escolhi Esperar' é aprovado com nove votos na Câmara de Vitória

camilavaladao_escolhiinformar_Kebim_Tamanini Kebim Tamanini

A Câmara de Vitória aprovou, nesta terça-feira (9), a criação do programa "Eu Escolhi Esperar", que orienta a abstinência sexual como estratégia de prevenção à gravidez na adolescência. Baseada em projetos que são alvo de críticas em nível nacional, a matéria foi aprovada por nove vereadores, em uma sessão marcada por citações de versículos bíblicos e provocações entre os vereadores.

Os únicos votos contrários à proposta foram da vereadora Camila Valadão (Psol) e Karla Coser (PT). Aloísio Varejão (PSB) e Luiz Paulo Amorim (PV) não estavam presentes no momento da votação. O Projeto de Lei nº 101/2021, de autoria do presidente da Câmara, Davi Esmael (PSD), foi elaborado em parceria com o pastor e conferencista Nelson Júnior, que lidera o movimento "Eu Escolhi Esperar" no Brasil. 

CMV
No início da sessão, a proposição chegou a ser retirada de pauta, após serem identificados erros na tramitação. No entanto, Esmael apresentou requerimento para que o erro fosse corrigido e a matéria fosse apreciada com urgência, o que foi aprovado pela maioria do plenário.

Durante a discussão, marcada por falas religiosas, os vereadores favoráveis ao projeto defenderam que o programa seria uma forma de conscientizar crianças e adolescentes contra a gravidez precoce. Para isso, entretanto, acreditam que uma das soluções é a orientação à abstinência sexual, o que já é apontado por especialistas como ineficiente. Davi Esmael chegou a citar um versículo bíblico durante a argumentação em plenário.

A vereadora Camila Valadão definiu a proposta como um "cavalo de troia", estratégia utilizada pelos parlamentares para inserir pautas conservadoras no debate público. Ela, que é assistente social, argumentou que a matéria limita o debate público sobre educação sexual.

"O que está em discussão aqui nesse projeto é quem pode falar. Nós defendemos que profissionais formados, capacitados, servidores públicos da nossa cidade falem nas escolas, abordando a sexualidade de forma ampla, não se resumindo à questão do 'Eu Escolhi Esperar'. Afinal de contas, para além do debate da gravidez precoce, que é sim fundamental, o debate da sexualidade envolve, por exemplo, doenças sexualmente transmissíveis e outras problemáticas importantes", disse.
Kebim Tamanini

 A proposta sugere a realização de palestras com profissionais de saúde e educação abordando os objetivos do programa e defende a divulgação de materiais explicativos para os adolescentes, "esclarecendo eventuais causas, consequências e formas de prevenção da gravidez precoce".

Karla Coser (PT) destacou que a gravidez na adolescência é um problema de saúde pública e lembrou que o projeto de Esmael se baseia em outras iniciativas pelo mundo que não deram certo. Ela ressaltou que a aprovação da matéria apoia a destinação de recursos públicos para uma estratégia que é apontada como ineficiente por profissionais da área.

"Isso é uma questão ideológica, de dentro das religiões, que está sendo imprimida enquanto política pública. Me preocupa muito que o projeto não fale nada sobre métodos contraceptivos, direitos sexuais e reprodutivos. Essas palavras precisam ser faladas. Senhores vereadores, se a gente não falar sobre esse assunto, ele não vai deixar de acontecer", alertou.

Longe de ser um debate local, a escolha da abstinência sexual como estratégia de combate à gravidez na adolescência é questionada a nível nacional. Em 2020, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MDH) anunciou uma campanha de prevenção à gestação precoce que tinha, entre as medidas, a mesma orientação. Em resposta, o Conselho Nacional de Saúde (CNS) recomendou que a campanha fosse cancelada, argumentando a ineficácia e falta de comprovações científicas para utilização do método.

De acordo com o conselho, a informação sobre educação em saúde sexual e reprodutiva, aconselhamento e provisão de métodos contraceptivos são as melhores maneiras de se prevenir a gravidez não planejada. "Não se consegue impor a ninguém a abstinência sexual como meio de se prevenir a gravidez na adolescência, uma vez que as pessoas iniciam a vida sexual quando se tem desejo e, preferencialmente, estejam preparadas para tanto", afirma um trecho da recomendação.

Em Vitória, o projeto aprovado seguirá ainda nesta terça-feira para o Executivo Municipal, de acordo com o autor Davi Esmael, para sanção.

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários: 8

Seu Madruga em Terça, 09 Novembro 2021 22:39

Parabéns à câmara de Vitória pela defesa da família. Parabéns presidente Esmael. Vitória é uma cidade conservadora e, a população, em sua grande maioria, Cristã. Continuem assim.

Parabéns à câmara de Vitória pela defesa da família. Parabéns presidente Esmael. Vitória é uma cidade conservadora e, a população, em sua grande maioria, Cristã. Continuem assim.
Silvanete em Quinta, 11 Novembro 2021 08:00

Que nojoooooo

Que nojoooooo
Paulo em Sexta, 31 Dezembro 2021 00:38

Sim, a senhora é uma nojenta.

Sim, a senhora é uma nojenta.
Antonio em Quarta, 10 Novembro 2021 09:06

Os fascistas querem que os adolescentes se lasquem, são defensores de pedófilos ao negarem a educação sexual a crianças.

Os fascistas querem que os adolescentes se lasquem, são defensores de pedófilos ao negarem a educação sexual a crianças.
Estanislau Tallon Bozi em Quarta, 10 Novembro 2021 14:15

Excelente!!! Sexo e trabalho são para adultos. Ambos têm consequências.

Excelente!!! Sexo e trabalho são para adultos. Ambos têm consequências.
Ademir do Valle em Quinta, 11 Novembro 2021 09:09

Parabéns ao vereador. Qual o pai ou mãe quer ver seus filhos, principalmente filhas, cuidando de filhos com gravidez na adolescência?

Parabéns ao vereador. Qual o pai ou mãe quer ver seus filhos, principalmente filhas, cuidando de filhos com gravidez na adolescência?
Maria em Quinta, 18 Novembro 2021 08:01

Pedófilos felizes agradecem a iniciativa feudal religiosa!!

Pedófilos felizes agradecem a iniciativa feudal religiosa!!
Dionei de Oliveira em Domingo, 16 Janeiro 2022 12:02

Honrada a iniciativa. Precisamos defender nossos jovens da promiscuidade. Tudo tem seu tempo certo. Família projeto de DEUS!

Honrada a iniciativa. Precisamos defender nossos jovens da promiscuidade. Tudo tem seu tempo certo. Família projeto de DEUS!
Visitante
Quinta, 26 Mai 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/