Dólar Comercial: R$ 5,27 • Euro: R$ 6,40
Sábado, 15 Mai 2021

'Edson Magalhães, o senhor é culpado por cada morte de servidor'

edsonmagalhaes_facebook Redes sociais

Após a morte de dois motoristas nessa segunda-feira (12), somando seis servidores da Prefeitura de Guarapari vítimas da Covid-19, o funcionalismo municipal denuncia a dificuldade de acesso a Equipamentos de Proteção Individual (EPI's) e a demora no afastamento de pessoas do grupo de risco. "Edson Magalhães [DEM], o senhor é culpado por cada morte de servidor", denuncia indignado e emocionado, em vídeo, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Direta e Indireta e do Poder Legislativo de Guarapari (Sintrag), Thiago Magno, em referência ao prefeito.

Segundo Thiago, já morreram duas professoras, dois motoristas, um gari e um técnico de enfermagem. Os motoristas trabalhavam na Secretaria Municipal de Educação (Semed) e na Secretaria Municipal de Postura e Trânsito (Septran).

"Edson Magalhães, o senhor é responsável quando coloca todos os servidores na linha de frente, sem vacinação, sem as proteções necessárias [...] Isso aqui não é politicagem. Eu já não aguento mais receber notícia de servidores que estão falecendo", exalta Thiago Magno no vídeo, publicado nas redes sociais nessa segunda-feira (12).

O sindicalista mostra exaustão com a situação. "Eu não estou aguentando mais ver meus colegas morrerem e não poder fazer nada [....] Seja um bom patrão. Vacine os nossos colegas, vacine os seus servidores, tire da linha de frente se não puder vacinar, mas faça alguma coisa", reivindica.

Thiago aponta que quando os servidores solicitam equipamentos como máscaras e faceshields, encontram dificuldades para receber ou são respondidos com quantidade inferior ao necessário.

"Servidores fazendo atendimento em postos de Saúde com atendimento à Covid sem jaleco, sem proteção facial, sem alguns tipos de equipamentos que são necessários quando você vai atender síndrome gripal. Os servidores têm se queixado muito disso", declara Thiago Magno.

"Por exemplo, uma servidora era técnica de enfermagem mas tinha comorbidade, tinha certa idade, e estava na linha de frente da mesma forma que qualquer outro", ressalta.  O sindicalista afirma que, assim como ela, outros profissionais reclamam da demora para afastamento de gestantes e pessoas do grupo de risco. 

O sindicato também cobra iniciativas do Executivo Municipal e da Secretaria Municipal de Saúde para a compra de vacinas contra a Covid-19 por conta própria, por meio de consórcios. "Eu vou encher aquela prefeitura de cruz por cada servidor que está morrendo. É o senhor que coloca o servidor na linha de frente e não vacina os seus servidores", ressalta.

Números

Guarapari já contabiliza 12.084 casos confirmados e 273 óbitos causados pelo coronavírus, de acordo com o boletim divulgado pela prefeitura nessa terça-feira (13). Na ocasião, 37 pacientes estavam hospitalizados por causa da doença.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, atualizados na manhã desta quarta-feira (14), o município aplicou 14.624 doses de vacinas contra a Covid-19. Foram 12.091 aplicações da primeira dose e 2.533 pessoas na segunda. 

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sábado, 15 Mai 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/