Quinta, 11 Agosto 2022

Servidores da Segurança Pública farão novo protesto no Palácio da Fonte Grande

protestofrente_fev2022_divulgacao Divulgação

Será na próxima quarta-feira (23), o primeiro protesto aberto dos servidores públicos da área de Segurança Pública do Estado por alterações nos índices de reposição salarial anunciados pelo governo. O ato foi definido para o espaço público do Palácio da Fonte Grande, Centro de Vitória, segundo decisão aprovada nesta quarta-feira (16) em assembleia geral realizada em frente à Delegacia Regional de Polícia Civil.

Lideranças de entidades do setor, reunidos na Frente de Valorização Salarial (FUVS), insistem no cumprimento do acordo firmado em 2020 pelo governador Renato Casagrande (PSB), de pelo menos repor as perdas inflacionárias referentes ao ano da celebração do compromisso e de 2021, que alcançam em torno de 16%.

"Acreditamos nas palavras do governador", comenta Júnior Fialho, presidente do Sindicato dos Investigadores (Simpol), destacando a gravidade da situação: "Pela minha categoria já era para estar tudo parado", ressalta, apontando "descaso do governo", que sequer responde aos ofícios protocolados visando abrir negociação.

"Queremos, em primeiro lugar, o cumprimento do acordo", ressalta Júnior Fialho. Ele cita a existência de outras questões, a fim de evitar o agravamento do quadro, com consequências a toda a população. "O governador está enganado pensando que vai segurar a tropa na caneta", deixando claro a referência à greve da Polícia Militar, ocorrida em 2017, deixado um saldo de prejuízos, inclusive mais de 200 mortos.

No ato desta quarta-feira, com a participação de lideranças de entidades representativos do oficialato da Polícia Militar, delegados da Polícia Civil, investigadores e bombeiros militares, os servidores reafirmaram ações públicas, como a do próximo dia 23, com grande mobilização das categorias profissionais do setor.

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários: 1

ESIO JOSE BASSETTI CAVALCANTE em Quarta, 16 Fevereiro 2022 20:07

Qdo um governo não cumpre com sua palavra, com o escrito, com o compromisso, assume todas as consequências desse ato covarde, desse descompromisso com a segurança pública e com a população sofrida pela crescente criminalidade, contudo revogar decreto de transparência em licitações parece mais salutar em ano eleitoral, acorda povo.

Qdo um governo não cumpre com sua palavra, com o escrito, com o compromisso, assume todas as consequências desse ato covarde, desse descompromisso com a segurança pública e com a população sofrida pela crescente criminalidade, contudo revogar decreto de transparência em licitações parece mais salutar em ano eleitoral, acorda povo.
Visitante
Quinta, 11 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/