Dólar Comercial: R$ 5,38 • Euro: R$ 5,90
Quinta, 04 Junho 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/

Estado registra primeira morte em comunidades quilombolas

comunidade_quilombola_grauna_divulgacao Divulgação

Localizada em Itapemirim, Graúna é a primeira comunidade quilombola a registrar óbito por Covid-19 no Espírito Santo. Gelson Borges da Silva, de 72 anos, foi também a primeira vítima fatal do novo coronavírus no município do sul capixaba, registrada na última sexta-feira (15), após passar dias internado.

Até essa segunda-feira (18), Itapemirim já registrava 110 notificações, sendo 29 casos confirmados de Covid-19. Além de um óbito, Graúna ainda possui uma senhora, também idosa, internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa de Misericórdia de Cachoeiro de Itapemirim.

"A comunidade está alarmada, todo mundo com medo, mas sem ter muita alternativa do que fazer. Não apareceu ninguém da área da saúde para orientar, apesar de ouvirmos todos os dias sobre as recomendações pelos meios de comunicação", diz Leandro Silva Fabiano, presidente da Associação de Moradores de Graúna.

Ele afirma que a comunidade, que possui mais de 500 famílias e um posto de saúde, durante a crise não tem recebido médicos, apenas enfermeiros.

Segundo o líder comunitário, parte da comunidade trabalha na agropecuária, mas outra parte trabalha fora, sobretudo em Marataízes, onde já há 95 casos de coronavírus confirmados. Leandro afirma que um dos contágios na comunidade teria vindo de um caminhoneiro que reside em Marataízes e visitou a mãe no Dia das Mães. As pessoas que tiveram contato com ele estão em quarentena, embora seus exames tenham dado negativo.

"Hoje o que seria sensato é fazer o teste em massa para poder tentar conter essa pandemia aqui dentro, porque aí conseguiríamos fazer um isolamento adequado", reivindica Leandro Fabiano.

Ele aponta, ainda, que muitas das famílias de Graúna tiveram seu trabalho e sua renda afetados por conta do novo coronavírus, porém muitas delas não conseguiram acessar o auxílio emergencial do Governo Federal. A única ajuda que chegou foi de 80 cestas básicas doadas a partir de campanha de arrecadação coordenada pela Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (Conaq).

De acordo com a Conaq, já foram identificadas mortes por Covid-19 de moradores de quilombos do Amapá, Pará, Pernambuco, Goiás, Bahia, Ceará, Maranhão e Rio de Janeiro.

A Coordenação Estadual das Comunidades Quilombolas do Espírito Santo - Zacimba Gaba é uma das mais de 60 entidades que subscreveram um abaixo-assinado com o título: Covid-19 e população negra capixaba: por ações de diagnóstico, prevenção enfrentamento, direcionado ao governador Renato Casagrande (PSB) e ao presidente da Associação dos Municípios do Estado (Amunes), o prefeito de Viana Gilson Daniel (Podemos). O documento requer uma série de medidas com foco no enfrentamento do vírus, considerando seu impacto sobre a população negra.

Veja mais notícias sobre Saúde.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 05 Junho 2020
No Internet Connection