Sexta, 21 Janeiro 2022

​Dose de reforço para idosos se mantém como empecilho para meta de risco muito baixo

mapa2910 Divulgação
Divulgação
A vacinação da dose de reforço dos idosos contra a Covid-19 ainda é empecilho para que as microrregiões do Estado atinjam as metasde risco muito baixo (azul), que passam a valer a partir do próximo dia 8 de novembro. O índice estipulado pelo governo é de 90% para essa grupo, porém, o máximo registrado até agora é de 60,6%, referente à Central Serrana, seguida da Litoral Sul (56%) e da Sudoeste Serrana (54,6%). Os dados foram divulgadas nesta sexta-feira (29), junto com o novo Mapa de Risco, que aponta dois municípios em risco moderado (amarelo) e 76 em risco baixo (verde).

A meta dos idosos é o que tem impedido a Sudoeste Serrana de alcançar a classificação, já que cumpriu as demais estipuladas, de 80% da segunda dose para a faixa etária acima de 18 anos e 90% da primeira dose de adolescentes. Já a Central Serrana atingiu o primeiro grupo, está próximo do segundo (88,5%), e embora seja o melhor índice do reforço, ainda está distante dos 90%. A outra microrregião que avançou foi a Litoral Sul, que ultrapassou a meta para adolescentes, registra 77,5% na segunda dose para acima de 18 anos, e 56% no reforço para idosos.

Com o risco muito baixo, os municípios passam a ter as atividades econômicas e sociais com capacidades plenamente liberadas, mediante comprovante de vacinação dos participantes.

A atual Matriz de Risco de Convivência considera no eixo de ameaça o coeficiente de casos ativos por município dos últimos 28 dias, além da quantidade de testes realizados por grupo de mil habitantes e a média móvel de óbitos dos últimos 14 dias. Já o eixo de vulnerabilidade considera a taxa de ocupação de leitos potenciais de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) exclusivos para tratamento da Covid-19.

Os novos critérios acrescentam as metas de vacinação e ainda a obrigatoriedade que cada município da microrregião analisada disponha de ao menos um ponto livre de testagem para a população, independentemente de apresentar sintomas e sem necessidade de encaminhamento médico.

O 79º Mapa de Risco Covid-19, que terá vigência desta segunda-feira (1) até o próximo domingo (7), aponta em amarelo as cidades de Ibatiba e Santa Maria de Jetibá. Não há municípios em risco alto.

Já as cidades em risco baixo são: Afonso Cláudio, Água Doce do Norte, Águia Branca, Alegre, Alfredo Chaves, Alto Rio Novo, Anchieta, Apiacá, Aracruz, Atílio Vivácqua, Baixo Guandu, Barra de São Francisco, Boa Esperança, Bom Jesus do Norte, Brejetuba, Cachoeiro de Itapemirim, Castelo, Cariacica, Colatina, Conceição da Barra, Conceição do Castelo, Divino de São Lourenço, Domingos Martins, Dores do Rio Preto, Ecoporanga, Fundão, Governador Lindenberg, Guaçuí, Guarapari, Ibiraçu, Ibitirama, Iconha, Irupi, Itaguaçu, Itapemirim, Itarana, Iúna, Jaguaré, Jerônimo Monteiro, João Neiva, Laranja da Terra, Linhares, Mantenópolis, Marataízes, Marechal Floriano, Marilândia, Mimoso do Sul, Montanha, Mucurici, Muniz Freire, Muqui, Nova Venécia, Pancas, Pedro Canário, Pinheiros, Piúma, Ponto Belo, Presidente Kennedy, Rio Bananal, Rio Novo do Sul, Santa Leopoldina, Santa Teresa, São Domingos do Norte, São Gabriel da Palha, São José do Calçado, São Mateus, São Roque do Canaã, Serra, Sooretama, Vargem Alta, Venda Nova do Imigrante, Viana, Vila Pavão, Vila Valério, Vila Velha e Vitória.

O Mapa de Risco segue as orientações dos boletins epidemiológicos do Ministério da Saúde e recomendações da equipe de especialistas do Centro de Comando e Controle (CCC) Covid-19 no Espírito Santo, que é composto pelo Corpo de Bombeiros Militar, Defesa Civil, Secretaria da Saúde (Sesa), Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN) e Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). As decisões adotadas pelo Governo do Estado seguem parâmetros técnicos.

Veja mais notícias sobre Saúde.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 21 Janeiro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/