Quarta, 10 Agosto 2022

Espírito Santo vive fase de aceleração acentuada na curva de casos de Covid-19

covid_helio_filho_secom1 Secom

O Espírito Santo passou de 1,9 mil casos de Covid-19 na última semana de dezembro para 6,6 mil na primeira de janeiro, informou o secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes, em pronunciamento realizado nesta segunda-feira (10). Nos quatro principais municípios da Grande Vitória, o número saltou de 324 para 2 mil. No interior, de 612 para 2,4 mil. Os números levam em consideração os testes de antígeno, cujo resultado sai na hora, estando pendentes os de RT-PCR.

No Espírito Santo, o Laboratório Central (Lacen) detectou que a presença da variante Ômicron no início de dezembro era de 3%, tendo saltado para 97% na última sexta-feira (7). Em todo o Brasil, a presença da Ômicron na última quinzena de dezembro foi de 58,33% nos resultados de sequenciamento genético, elevando-se para mais de 90% na transmissão comunitária na primeira quinzena de janeiro.

Nésio informou que a aceleração de casos da Ômicron tem um comportamento mais reconhecido nos grandes municípios da Grande Vitória; em São Mateus, no norte; e nas cidades litorâneas; enquanto que em municípios como Colatina, no norte; e Cachoeiro de Itapemirim, no sul; a situação é diferente, mas que a previsão é de que esse comportamento seja reconhecido também nesses lugares nos próximos 15 dias.

A positividade nos testes de RT-PCR saiu de 7,43% em todo o Estado na última semana de dezembro para 13,79% na primeira de janeiro. A de testes de antígeno, de 8,48% para 16,87%. A epidemia da Influenza sobreposta à pandemia da Covid-19, com transição da predominância da variante Delta para a Ômicron na transmissão comunitária, fez o Espírito Santo sair de 126 internações por dias de pacientes respiratórios em 20 de dezembro para 279 em nove de janeiro.

O gestor afirma tratar-se de um comportamento "novo e diferenciado" em relação às ondas anteriores, tanto na velocidade de casos como no impacto no número de óbitos e internações, sendo, possivelmente, uma reprodução do comportamento da Ômicron observado em outros países. De acordo com Nésio, "não é uma simples oscilação temporária por causa das festas de Natal e Ano Novo". As festividades, afirma, foram gatilhos que podem ter desencadeado condições para uma nova onda de casos no Brasil e no Espírito Santo.

Apesar disso, Nésio afirma que os óbitos são mitigados pela cobertura vacinal, tendo impacto maior na pressão assistencial, por isso, serão abertos 300 novos leitos adultos e pediátricos. O gestor informa que, no Espírito Santo, 100% dos idosos já foram imunizados com as duas doses, 81% deles com as três, 86% dos adultos receberam as duas doses e 84% dos adolescentes a primeira. Entretanto, destaca, 1,3 milhão de pessoas no Espírito Santo não se vacinaram ou receberam somente uma dose do imunizante, incluindo crianças, e alerta para o fato de que o impacto da Ômicron é maior na internação desse grupo e de adolescentes.

Ao todo, existem 420 pontos de testagem para livre demanda no Espírito Santo, de acordo com o secretário, a meta é chegar a 620 nos próximos 15 dias. O gestor recomenda aos capixabas "cautela nos grandes eventos e aglomerações".

Veja mais notícias sobre Saúde.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 10 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/