Dólar Comercial: R$ 5,27 • Euro: R$ 6,40
Segunda, 02 Agosto 2021

​'Esta semana pode ser a de menor índice de casos e mortes no Estado'

nesio_fernandes_sesa Sesa

O secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes, anunciou em entrevista coletiva nesta segunda-feira (19), que a expectativa é de que nesta semana o Espírito Santo alcance o menor índice de casos de Covid-19 durante a pandemia, superando o ocorrido no mês de setembro de 2020, durante o intervalo entre a primeira e a segunda onda. O mesmo pode acontecer com o número de óbitos, cujo melhor desempenho até o momento foi em outubro passado.

O gestor acredita que a vacinação contribuiu para essa possibilidade, mas pontuou que a campanha poderia estar mais avançada se o Governo Federal tivesse adquirido vacina ainda em 2020. O secretário também destacou que, para evitar novas ondas, é preciso atingir cobertura vacinal de cerca de 80%. Uma das estratégias adotadas é avançar na imunização com a primeira dose e antecipar a segunda "em casos de ampla disponibilidade da AstraZeneca e da Pfizer".

Quanto à possibilidade de doses de reforço na vacinação contra a Covid-19, Nésio Fernandes reafirmou que sua aplicação depende das discussões a serem feitas em âmbito nacional e de seus impactos no Plano Nacional de Imunização. Entre as ações que devem ser discutidas, a de quais imunizantes poderão ser utilizados, salientando que novas vacinas podem entrar em circulação em breve, como a Butanvac, desenvolvida pelo Instituto Butantan, em São Paulo.

Outra iniciativa adotada pelo Espírito Santo, de acordo com o secretário, é o que ele chama de "princípio da equidade", ou seja, distribuição de doses para o interior de forma a fazer com que essas cidades avancem de forma igualitária na imunização por faixa etária. Nésio afirma que, enquanto municípios da Grande Vitória estão vacinando pessoas na faixa etária dos 30 anos, há cidades no interior que ainda estão na faixa dos 40.

Sistema Único de Saúde

Nésio Fernandes voltou a dizer que os investimentos feitos durante a pandemia deixarão um legado para o Sistema Único de Saúde (SUS). Ele destacou o lançamento do Mutirão de Cirurgias Eletivas, ocorrido no último dia 14. O secretário informou que ao longo do segundo semestre serão realizadas 50 mil cirurgias eletivas, superando os números do mutirão de 2019, que foram de 35 mil. 

De acordo com o secretário, o objetivo é fazer com que o SUS seja também uma opção para a classe média. Outro anúncio feito pelo gestor é de que, também no segundo semestre, o Samu irá passar a operar em todos municípios do estado.

Veja mais notícias sobre Saúde.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 02 Agosto 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/