Sexta, 19 Agosto 2022

Média móvel de óbitos no interior é mais que o dobro da Grande Vitória

mapa_de_risco_61

A média móvel de 14 dias de óbitos por Covid-19 no interior do Estado, atualmente em 11 mortes por dia, equivale a mais do que o dobro que na região metropolitana, com cinco. Somados, os números totalizam uma média móvel estadual de 14 dias de 16 óbitos/dia. 

Os números foram divulgados na noite desta sexta-feira (25) pelo governador Renato Casagrande, ao anunciar o 61º Mapa de Risco.

Com vigência entre a próxima segunda-feira (28) e o domingo seguinte (4), o mapeamento mostra 23 municípios classificados em Risco Baixo – incluindo dois na Grande Vitória (Serra e Viana) – 53 em Risco Moderado e apenas dois (Anchieta e Mantenópolis) em Risco Alto (veja lista completa abaixo).

"A queda de óbitos no interior é mais lenta que na Grande Vitória", ressaltou o governador, ao apresentar os números desta semana da pandemia, em que continuam em queda o número de óbitos, de novos casos e de internações pela doença.

Chegamos nessa terceira onda da pandemia a ter uma média móvel de 14 dias de 75 óbitos por dia. Agora estamos com 16", salientou, afirmando, no entanto, que "enquanto a gente estiver perdendo uma pessoa para a Covid, estaremos aqui pedindo a ajuda e a disciplina de vocês pra salvar vidas no Espírito Santo".

A terceira onda, vivida entre o final de fevereiro e o mês de abril, foi a mais grave, destacou Casagrande, quando comparada com as anteriores, passadas em meados de 2020 e entre dezembro passado e o início de fevereiro. Por isso, "é muito bom ver que os números estão caindo. A gente tem que se alimentar desses resultados em queda", disse.

Sobre a taxa de ocupação de leitos de Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), Casagrande informou que o Estado atingiu nesta sexta quase 54%, quando considerados todos os 1.083 leitos em potencial.

"Em nenhum momento deixamos de disponibilizar leitos para os capixabas e conseguimos atender ainda pessoas em outros estados. O Espírito Santo é o estado que mais abriu leito de UTI per capita no Brasil. Salvamos muitas vidas com essa política de abertura de leitos", enfatizou.

Outro dado positivo é o avanço da vacinação. "Na primeira dose atingimos 48% da população adulta capixaba", informou, destacando que o índice coloca o Espírito Santo em terceiro a quarto lugar no ranking brasileiro. "Na segunda dose, avançamos mais e estamos entre os cinco que mais vacinam. Estamos conseguindo vacinar numa média superior à brasileira".

Esse cenário em evolução, no entanto, salientou o governador, não é garantia de que não haverá uma quarta onda. "Não estamos livres de outra onda, porque ainda há muitas pessoas sem vacina", alertou.

Casagrande voltou a ressaltar os resultados positivos obtidos com a quarentena decretada entre 18 e 31 de março e depois estendida até a Páscoa, no dia 4 de abril. "Uma parte da população reagiu, mas foi uma decisão tomada na hora certa", afirmou, ao sublinhar que, desde então, o Estado acumula 13 semanas seguidas de redução de casos novos e 11 semanas com redução de óbitos. "Mostra como tem sido acertado nos orientarmos pela Ciência", enfatizou.

Os dados apresentados são "notícias boas diante de um cenário de guerra", pois "o ambiente é de guerra, não é normal", alertou. "Todos estão usando máscara, ou pelo menos a gente pede que todos usem".

O risco baixo, que avança entre os municípios, "não é ausência de risco, é risco ainda. É o mapa de risco", salientou, conclamando novamente a população a manter todos os cuidados. "Nós que defendemos a vida, que acreditamos na Ciência e confiamos em Deus, que ele está nos guiando e que a Ciência nos ajuda nesse trabalho, precisamos continuar pedindo pra que você não relaxe, não afrouxe as regras, mantenha todos os cuidados necessários, especialmente o uso de máscara. Ainda temos muito o que fazer para salvar vidas, enquanto não tiver a grande maioria da população vacinada".

Painel Covid-19

O Painel Covid-19 confirmou, nesta sexta-feira (25), 19 óbitos e 994 casos da doença nas últimas 24 horas, totalizando, até o momento, 11.388 e 513.479, respectivamente.

A taxa de ocupação de leitos potenciais é de 53,64% e de 65,59%, considerando apenas os leitos efetivados dedicados com exclusividade para os pacientes infectados pelo novo coronavírus.

 Classificação dos municípios

Risco baixo: Afonso Cláudio, Águia Branca, Baixo Guandu, Barra de São Francisco, Castelo, Colatina, Conceição do Castelo, Itaguaçu, Itapemirim, Itarana, Jerônimo Monteiro, Mucurici, Muqui, Piúma, Ponto Belo, Santa Maria de Jetibá, São Domingos do Norte, São Gabriel da Palha, São Roque do Canaã, Serra, Viana, Vila Pavão e Vitória.

Risco moderado: Água Doce do Norte, Alegre, Alfredo Chaves, Alto Rio Novo, Apiacá, Aracruz, Atílio Vivácqua, Brejetuba, Boa Esperança, Bom Jesus do Norte, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Conceição da Barra, Divino de São Lourenço, Domingos Martins, Dores do Rio Preto, Ecoporanga, Fundão, Governador Lindenberg, Guaçuí, Guarapari, Ibatiba, Ibiraçu, Ibitirama, Iconha, Irupi, Iúna, Jaguaré, João Neiva, Laranja da Terra, Linhares, Marataízes, Marechal Floriano, Marilândia, Mimoso do Sul, Montanha, Muniz Freire, Nova Venécia, Pancas, Pedro Canário, Pinheiros, Presidente Kennedy, Rio Bananal, Rio Novo do Sul, Santa Leopoldina, Santa Teresa, São José do Calçado, São Mateus, Sooretama, Vargem Alta, Venda Nova do Imigrante, Vila Valério e Vila Velha.

Risco Alto: Anchieta e Mantenópolis.

Veja mais notícias sobre Saúde.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 19 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/