Sábado, 27 Novembro 2021

Movimentos querem rearticular Fórum Capixaba em Defesa da Saúde Pública

pollyana_pazolini_FotoRedesSociais Redes Sociais

O Fórum Capixaba em Defesa da Saúde Pública, cujas atividades foram suspensas em janeiro último, está prestes a ser rearticulado. Em uma reunião marcada para a próxima quinta-feira (7), que acontecerá por meio da página do Fórum no Facebook, movimentos sociais e usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) debaterão o assunto. Segundo a assistente social Pollyana Pazolini, a rearticulação foi "provocada" pela Frente Nacional Contra a Privatização da Saúde, que tem defendido a necessidade de fortalecer os fóruns estaduais.

Pollyana explica que o Fórum é um espaço de mobilização e articulação de diversas pautas em defesa da saúde pública. De acordo com ela, entre os motivos que fazem com que a rearticulação do Fórum seja necessária, está a realização das etapas municipais da Conferência de Saúde Mental, que serão seguidas pela estadual e pela nacional. A assistente social relata que, rearticulado, o Fórum pode fortalecer a realização dessa atividade, que foi demandada pela sociedade civil.

Quando as atividades do Fórum foram suspensas, foi divulgada uma nota na qual seus participantes afirmam que falharam na "capacidade de denunciar todas as atrocidades que têm acometido a saúde no país e pressionar gestores nos municípios, no Estado e na união para que a defesa da vida e não dos lucros fosse o único imperativo a orientar suas decisões". Destacaram ainda que seus participantes estavam envolvidos em diversas outras frentes de luta, como nos movimentos sindical, popular e estudantil, "e têm lutado com as armas disponíveis (as lives, os cursos on line, as reuniões com parlamentares e gestores, manifestos) para continuar a defender a vida".

Entretanto, diz a nota, "o Fórum não se constituiu como um espaço de aglutinação dessas ações, de reflexão e de potencialização das mesmas". Apesar disso, relatam as entidades, em meio à pandemia da Covid-19, mesmo diante da sobrecarga de trabalho dos profissionais da saúde e outros problemas, "fizemos o que estava ao nosso alcance para defender o SUS neste contexto".

Algumas das ações listadas na nota são a criação de um vídeo em defesa do SUS; publicação de manifestos; participação de reuniões com a vice-governadora do Estado, Jaqueline Moraes (PSB), com a coordenação de saúde mental da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) e com os gestores da saúde no município de Vitória, em apoio ao Fórum Metropolitano Sobre Drogas e o Núcleo Estadual da Luta Antimanicomial; distribuição de panfletos; realização de minicursos; e apoio a manifestações presenciais que denunciam as falhas no enfrentamento da crise sanitária.

Veja mais notícias sobre Saúde.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sábado, 27 Novembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/