Sábado, 20 Julho 2024

Nova matriz de risco agrega número de testes, casos ativos e média móvel de óbitos

renato_casagrande_perfil_secom_flip_horizontal Secom

A quinta fase da estratégia de mapeamento de risco para Covid-19 no Espírito Santo foi anunciada pelo governador Renato Casagrande (PSB) em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (25). Chamada de Matriz de Risco de Convivência, ela passa a considerar, para a definição do grau de risco de cada município, o coeficiente de casos ativos, o número de testes realizados, a média móvel de óbitos e a taxa de ocupação dos leitos potenciais de UTI exclusivos para tratamento da Covid-19. 

A nova metodologia será adotada na elaboração do 20º Mapa de Risco, a ser divulgado no próximo sábado (29), com vigência entre a segunda-feira (31) e o domingo (6).

Segundo explicou o governador, no Eixo Ameaças, que lida com dados municipais, o número de casos ativos tem peso de 30%; o número de testes por cada mil habitantes, mais 30%; e a média móvel de óbitos, 40% de peso. Já a disponibilidade de leitos de UTI compõe o eixo vulnerabilidade e trata de dados estaduais.

A nota matriz realça o papel dos municípios na redução de óbitos e será apresentada nesta quinta-feira (27) aos prefeitos capixabas. "Os municípios podem isolar e monitorar os casos ativos e seus contatos diretos. Através das equipes de saúde da família, dos grupos de gestão da Covid, podem interferir efetivamente sobre o grau de risco, se alto, moderado ou baixo", disse, ressaltando que a atual oferta de leitos de UTI é de 715, após a migração de parte dos leitos então exclusivos para Covid para o tratamento de outras doenças.

"O objetivo central é reduzir óbitos, aumentar velocidade de redução. A média móvel de 14 dias tem caído consistentemente, mas lentamente. Nós não vencemos a pandemia ainda. A população precisa continuar colaborando pra sermos barreira ao vírus", conclamou. "As pessoas vão se cansando do isolamento, mas é preciso um esforço gigantesco pra reduzir a taxa de transmissão, o número de pessoas internadas e mortas", pediu.

Serviço público

Durante a coletiva, o governador anunciou ainda que será publicado um decreto com ajustes nas medidas voltadas às atividades de trabalho e à capacitação de servidores públicos do Executivo Estadual. A nova redação possibilitará a realização de cursos, treinamentos e ações de capacitação presenciais a partir de 1º de setembro, seguindo os protocolos da Sesa.

Também será estabelecido, a partir do dia 13 de setembro, o fim do modelo excepcional de revezamento em trabalho remoto aos servidores, com exceção daqueles que se enquadram no grupo de risco da Covid-19: gestantes e lactantes; com idade igual ou superior a 60 anos, com comorbidade atestada; e portadores de doenças respiratórias crônicas ou comprometedoras de imunidade, devidamente comprovadas por laudo médico.

Para a viabilização da retomada do trabalho presencial, os órgãos e entidades públicas terão de se adequar às orientações da Sesa, constantes na Nota Técnica COVID-19 N° 049/2020. Caso as recomendações sejam cumpridas em prazo anterior, o retorno dos servidores poderá ser antecipado, a critério do gestor.

Cabe destacar que cada Secretaria/Órgão deverá elaborar, até 31 de outubro, o plano de implementação do regime teletrabalho, com a definição dos setores e/ou áreas nas quais esta modalidade será empregada. Inclusive, os servidores aptos ao teletrabalho já podem ser inseridos nesse modelo pelos gestores máximos dos órgãos estaduais.

Veja mais notícias sobre Saúde.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sábado, 20 Julho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/