Terça, 28 Junho 2022

Primeira morte por Covid-19 em assentamento é registrada em Fundão

vitima_covid_mst_reproducao_facebook Reprodução/Facebook
Facebook

Dayane Japonês Galvão, de 25 anos, é a primeira vítima de Covid-19 nos assentamentos de reforma agrária no Espírito Santo. O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) publicou uma nota de pesar comunicando o falecimento da assentada, que ocorreu no final da manhã desta terça-feira (12) em Fundão, norte da Grande Vitória. 

Segundo nota do MST, Dayane precisou ser internada e estava grávida. O bebê está em observação e passa bem, mas a mãe não resistiu.

O movimento considera que possivelmente ela tenha sido contaminada pelo esposo que trabalhava no frigorífico no mesmo município. Outras duas pessoas da família estão infectadas com o novo coronavírus e permanecem em isolamento social. "É um momento muito difícil em que não podemos nem enterrar nossos mortos, dar o abraço carinhoso à família. Estamos em distanciamento porém seguimos juntos no combate ao vírus e a todas as opressões que vivemos nestes tempos", declarou a Direção Estadual do MST.

Na nota de pesar, o movimento reafirmou a defesa da vida, das condições de trabalho dignas para o povo do campo, pela produção de alimentos saudáveis e políticas públicas para o campo e para a saúde público por meio do fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS). "Não é uma gripezinha, por isso, seguiremos reforçando os cuidados cotidianos", diz a nota.

Em âmbito nacional e estadual, os sem-terra iniciaram uma campanha com uma série de orientações e recomendações de prevenção aos trabalhadores do campo para evitar aglomerações, intensificar a higienização e conter a transmissão tanto nas comunidades como no trabalho no campo e no processo de transporte e comercialização de alimentos produzidos.


Doações recolhidas pelo Assentamento Piranema, em Fundão, onde Dayane residia com sua família. Foto: Divulgação/MST

Também reforçou as ações de solidariedade, com doação de toneladas de alimentos para as famílias em situação de vulnerabilidade em comunidades rurais e bairros populares por todo o Espírito Santo. O Assentamento de Piranema, onde residia Dayane, entregou recentemente 30 cestas com alimentos da cesta básica e alimentos produzidos pela famílias assentadas para moradores de Fundão.

A Direção Estadual do MST concluiu sua nota de pesar com uma homenagem à companheira, que deixou duas filhas: "Por você, Dayane, nosso compromisso de seguir lutando por um mundo melhor para que Ágatha Letícia e todas as crianças 'cantem livres sobre os muros', como poetiza Taiguara. À família, amigas/os e assentadas/os, nosso mais profundo sentimento de solidariedade. Desejamos força".

Veja mais notícias sobre Saúde.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 28 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/