Quarta, 29 Junho 2022

Uso de máscaras e passaporte vacinal ficam desobrigados em todo o Estado

casagrande_nesio_reblin_tiram_mascara_reproducao Reprodução
Reprodução

O uso de máscaras e o passaporte vacinal estão desobrigados em todo o Espírito Santo a partir desta quarta-feira (6). O anúncio foi feito em pronunciamento realizado pelo governador Renato Casagrande (PSB), ao lado do secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, e do subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin. 

Os três gestores explicaram que, devido à melhoria de todos os indicadores da pandemia, o governo do Estado pode, com segurança, extinguir todas as medidas qualificadas estabelecidas na Matriz de Risco, que orientou a gestão da crise sanitária nos últimos dois anos. 

"A partir deste momento, vamos mudar o modelo de gestão da pandemia. Não teremos mais o uso da Matriz de Risco. Quem decretou a pandemia foi a Organização Mundial de Saúde [OMS]. A Covid continua sendo pandemia, pois só a OMS pode mudar essa classificação. Mas aqui ela será gerenciada como outro assunto da saúde pública do Estado, sem as medidas qualificadas que usamos até o presente momento. Não teremos mais o Mapa de Risco nem a classificação de risco dos municípios", afirmou o governador.

Casagrande ressaltou que "a Matriz de Risco foi um grande instrumento para salvar as vidas dos capixabas e de pessoas de outros estados que precisaram de atendimento aqui. Conseguimos salvar muitas vidas, com atendimento, imunização, uso de máscara, restrições de atividades".

Entre os dados que embasam a decisão, o governador destacou o número de óbitos, que alcançou o menor patamar desde abril de 2020, com a média móvel dos últimos 14 dias de um óbito e a de sete dias é de 0,43 óbito. O mês de março deste ano fechou com 143 óbitos e, a partir do ritmo registrado até agora em abril, o total mensal deve ser bem menor. 

O número de novos casos também reduziu, tendo sido confirmados 8,7 mil em março. Em abril, até agora, foram 273, o que indica que o mês deve fechar com menos de dois mil novos casos. 

Também a taxa de transmissão (Rt), baixou para 0,2 e a taxa de positividade, caiu para apenas 2%. "São os menores índices desde março de 2020", salientou. A taxa de ocupação de leitos hospitalares, idem, com apenas 27 leitos ocupados por pessoas confirmadas com Covid nesta quarta-feira. "Já chegamos a ter mais de mil pessoas com Covid em UTI, fora enfermaria. Já tivemos mais de dois mil leitos de enfermaria e UTI disponibilizados para pessoas com Covid e hoje temos 27 ocupados", comparou. 

Recomendações continuam

Apesar do fim da obrigatoriedade do uso da máscara, Casagrande esclareceu que o Estado mantém a recomendação de uso pelos profissionais de saúde, para pessoas com sintomas respiratórios e vulneráveis, seja por não estar com esquema vacinal completo, por serem imunossuprimidas, portarem doenças crônicas ou estarem gestantes. "Fazemos a recomendação para usar a máscara nesses casos, mas não há mais obrigação", reforçou. 

Sobre a vacinação, continua válida a forte recomendação para adesão à campanha, pois "foram as vacinas que nos permitiram chegar nessa posição de hoje", sublinhou o governador, informando que há mais de um milhão de capixabas que ainda precisam tomar sua terceira dose.

O Estado já aplicou mais de oito milhões de doses e a cobertura vacinal tem os seguintes percentuais: 90% dos adultos com D2 e 49,67% com D3; 88,6% dos idosos com D3; 69% dos adolescentes com D2; e 46,69% das crianças com D1. 

Estruturação 

"São decisões que nos alegram muito, deixam nossa alma leve, o coração feliz", declarou. "Não significa que não ficaremos vigilantes. A Sala de Situação continuará se reunindo, a equipe mobilizada. Gerenciamos quatro ondas da pandemia, não podemos nos afastar da preocupação de novas ondas. Mas hoje podemos dar com segurança esses passos", afirmou Casagrande.

A capacidade de testagem também será mantida. "Se está com sintomas, faça seu teste. O Espírito Santo foi o estado que mais fez testes por milhão de habitantes do Brasil. Nosso laboratório agora faz sequenciamento genético. Estamos preparados para lidar com esse tema Covid e dar assistência à população em outras áreas", celebrou. 

Ele destacou ainda a satisfação do governo do Estado em verificar que foi possível "aproveitar um momento tão triste da população mundial, brasileira e capixaba, para estruturar a rede de saúde. Foi importante pra que a gente tenha um legado de saúde pública no Espírito Santo daqui para frente".

Entre os números que mostram essa estruturação, estão a ampliação da oferta de leitos hospitalares, de 630, antes da pandemia, para 1.248 hoje, praticamente o dobro. "Ninguém ficou sem leito, sem respirador, conseguimos atender a todo mundo", reforçou.

Em sua apresentação, o secretário Nésio Fernandes expôs outros números, relacionados à Estratégia de Atenção Primária (EAP) e à Estratégia de Saúde da Família (ESF). Na gestão de 2015 a 2018, do ex-governador Paulo Hartung, houve redução de nove equipes de ESF e de 22 de EAP. Já na atual gestão de Casagrande, foram criadas mais 120 equipes de ESF e 90 de EAP. "Tínhamos a quinta pior cobertura de ESF do Brasil em 2018. Nesse quadrimestre de 2022, conseguimos alcançar a quinta melhor do país", comemorou.

O secretário ressaltou que "nós não atacamos as instituições nem as pessoas, nós fortalecemos o sistema de saúde, apostamos na ciência". O anúncio de hoje, acentuou, foi "uma conquista: vivemos uma fase de restabelecimento pleno de atividades econômicas e sociais no contexto da pandemia, que ainda não acabou, mas que não se comporta mais como um desastre epidemiológico".

Veja mais notícias sobre Saúde.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 29 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/