Quarta, 29 Junho 2022

Vitória tem tendência de aumento dos casos de síndromes respiratórias

testecovidfotosesa Sesa

Dados da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) mostram uma tendência de crescimento da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em Vitória. No último boletim Infogripe, divulgado nessa quinta-feira (5), a cidade capixaba aparece entre as onze capitais com sinais de aumento dos casos nas últimas seis semanas. Números podem estar relacionados à Covid-19 e à Influenza A.

As informações são da 17ª semana epidemiológica, com base em dados inseridos no Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica da Gripe (Sivep-Gripe) até essa segunda-feira (2). Tanto no monitoramento a curto prazo, que considera apenas as últimas três semanas, quanto a longo prazo, as últimas seis, Vitória aparece com uma tendência de crescimento nos casos.

Reprodução/Fiocruz

Além da capital capixaba, a mesma situação é observada em Belém (PA), Boa Vista (RR), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Maceió (AL), Manaus (AM), Porto Alegre (RS), Rio Branco (AC) e São Luís (MA). Na análise dos novos casos nas unidades federativas, o Espírito Santo apresenta uma tendência de estabilidade a curto e longo prazo.

Apesar da estabilidade no Estado, a tendência de crescimento na Capital acompanha o panorama nacional, que também é de probabilidade de alta. De acordo com a Fiocruz, o alerta é para um possível início de crescimento de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) na população adulta, cenário diferente do que foi visto nos meses de fevereiro e março, quando o aumento dos casos estava restrito à população infantil.

No grupo de 5 a 11 anos, o que a pesquisa observa é um sinal de interrupção da tendência de queda nos resultados positivos para SARS-CoV-2 (Covid-19) na segunda quinzena de fevereiro, bem como o aumento na detecção de outros vírus respiratórios no mês de março. "Tal cenário, aliado ao sinal de aumento de casos de SRAG na população adulta, sugere a importância da atenção a esse vírus na rede laboratorial em todo o território nacional", diz o boletim.

A análise da Fiocruz é que esse novo aumento na população adulta pode estar, mais provavelmente, relacionada à Covid-19, cujos casos leves têm crescido. Não se descarta, no entanto, o retorno da Influenza A, o vírus da gripe.

"Os dados laboratoriais associados aos casos de SRAG ainda não nos permitem precisar. As próximas atualizações poderão trazer maior clareza. De qualquer forma, é importante que a rede laboratorial esteja atenta à possibilidade de circulação simultânea desses dois vírus respiratórios, testando para ambos sempre que possível, para que possamos ter dados adequados para a caracterização de quais desses vírus estão causando internações", explicou o pesquisador Marcelo Gomes, coordenador do InfoGripe.

Veja mais notícias sobre Saúde.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 29 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/