Domingo, 14 Julho 2024

Deputado cobra do governo alteração do empréstimo consignado para PMs

deputadocoronelweliton_plenario_maralima_ales Mara Lima/Ales

O envio de uma nova redação da lei que criou o cartão consignado dos policiais militares voltou a ser cobrado ao governo do Estado pelo deputado Coronel Weliton (PRD), nesta segunda-feira (10), na Assembleia Legislativa, a fim de evitar uma situação "extremamente prejudicial" aos servidores. Da forma como está, a lei, aprovada pelos deputados, coloca cerca de 70% dos policiais como negativados, impedindo-os de tomar empréstimo bancário.

O deputado explicou que a margem para possibilitar o empréstimo era de 35% e foi criada a ampliação dessa margem em 10%, vinculados, obrigatoriamente, a um cartão, que extinguiu a margem. "Os servidores militares que estavam positivados ficaram negativados, impossibilitando que eles pegassem qualquer tipo de empréstimo junto às entidades financeiras, em especial ao cartão".

O parlamentar destacou que, apesar de ter levado o assunto ao governo, até agora nenhuma medida foi adotada. O deputado alertou que a alteração é necessária, já que a categoria se organiza para realizar uma manifestação perto do Palácio Anchieta. "Não precisamos chegar a esse ponto", enfatizou.

"Nós já falamos nisso três ou quatro vezes e chegamos a tomar a iniciativa, através do coronel Samuel, para apresentar uma sugestão do decreto para o governador corrigir essa situação, mas ainda estamos aguardando, porque a iniciativa foi positiva, foi benéfica, mas se tornou extremamente prejudicial aos servidores que fazem uso da margem consignada", ressaltou.

O assunto já vinha sendo tratado por entidades dos policiais militares, como Século Diário divulgou em abril passado. O objetivo, como disse o coronel Weliton, é levar a reclamação ao secretário de Gestão e Recursos Humanos do Governo do Estado, Marcelo Calmon.

Segundo o presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos da PM BM (Asses), capitão Neucimar Rodrigues Amorim, a margem do cartão para empréstimo consignado de benefício, um dos mais solicitados pelas categorias, será um dos temas a ser tratado na reunião, solicitada em 12 de abril passado e até o mês de maio não foi confirmada.

Na época, a Caixa Beneficente dos Militares Estaduais, em nota assinada por seu presidente, major Joaquim de Almeida Júnior, destacou que "com essa alteração na reserva de margem, muitos militares foram afetados, pois tiveram a margem negativada e não conseguem obter o benefício de socorro financeiro a juros baixos".

Veja mais notícias sobre Segurança.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 15 Julho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/