Dólar Comercial: R$ 5,62 • Euro: R$ 6,67
Segunda, 26 Outubro 2020

'?? inadmissível que população fique à mercê de criminosos'

'?? inadmissível que população fique à mercê de criminosos'
No início da tarde desta segunda-feira (6) o governador em exercício, César Colnago (PSDB); o secretário de Estado de Segurança Pública, André Garcia; e o recém-nomeado comandante-geral da Polícia Militar, coronel Nylton Rodrigues, concederam entrevista coletiva detalhando ações a serem tomadas diante da crise na segurança pública que aterroriza a população do Espírito Santo. 



O governador em exercício apontou, como já havia adiantado, que policiais da Força Nacional de Segurança (FNS) serão deslocados para o Estado para reforçar a segurança enquanto o efetivo da Polícia Militar não retorna inteiramente às ruas. Serão deslocados 80 policiais do Rio de Janeiro imediatamente e outros 120, motorizados, virão de Brasília.



Segundo Colnago, os policiais militares em férias e do serviço administrativos que foram convocados para o ostensivo farão o policiamento a pé, solicitando a retaguarda do Batalhão de Missões Especiais (BME) quando for necessário.



O secretário de Segurança repetiu o que já vinha dizendo desde o início da manhã desta segunda-feira. Ele apontou que a prioridade é restabelecer a ordem pública, com a ajuda do Exército e da FNS.



Na primeira coletiva desde que assumiu o comando da PM, em substituição ao coronel Laércio de Oliveira, nesta segunda-feira, o coronel Nylton Rodrigues tentou tranquilizar sobre a situação, apontando que as Forças Armadas e a Força Nacional de Segurança vêm somar esforços, já que é a PM a garantidora da ordem pública. “Quero me tornar a voz da instituição junto ao governo". E acrescentou: "É inadmissível que a população fique à mercê de criminosos”, disse.



Apesar do anúncio da chegada da FNS e da volta gradativa da PM às ruas a situação de insegurança na tarde desta segunda-feira se intensificou, tanto na Grande Vitória quanto no interior do Estado. Os saques ao comércio e assaltos continuaram em uma crescente e os casos de pessoas baleadas em trocas de tiros aumentaram. A Polícia Civil já contabiliza mais de 60 corpos no DML, e que não haveria mais espaço para novos corpos. Está sendo sugerido um caminhão frigorífico para receber os corpos.



Em Cariacica, uma auxiliar administrativa que saía do trabalho acompanhada do namorado, que é policial militar, foi baleada na nuca quando ficou no meio de uma troca de tiros.



Já no bairro Itapuã, em Vila Velha, ocorreram arrastões ao comércio e um guarda civil municipal também foi baleado em uma troca de tiros.



Apesar de haver o retorno tímido do policiamento, feito por poucos policiais a pé, a onda de assaltos e violência continuou na tarde desta segunda-feira. Às 16 horas, por medida de segurança, o Sindicato dos Rodoviários do Estado (Sindirodoviários-ES) determinou que os ônibus voltassem para as garagens, paralisando a circulação de coletivos.
 
  

Veja mais notícias sobre Segurança.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 26 Outubro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/

No Internet Connection