Sábado, 16 Outubro 2021

Morte do escritor Sérgio Blank é investigada como latrocínio

sergio_blank_foto_claudio_postay Cláudio Postay
Os delegados Eduardo Khaddour e José Darcy Arruda esclareceram o caso nesta terça-feira

A Polícia Civil prendeu o assassino do escritor Sérgio Blank. O inquérito policial será concluído em até 30 dias, mas a principal linha de investigação é crime de latrocínio, já que pertences da vítima foram furtados. O corpo do poeta foi encontrado por familiares no dia 23 de julho de 2020, em sua própria residência, em Cariacica.

A prisão aconteceu na Serra, para onde o assassino teria fugido após matar Sérgio Blank. De acordo com a PC, após a apresentação das provas, o homem confessou a autoria do assassinato. O escritor foi morto por asfixia, com um golpe conhecido como "mata-leão" e um fio de telefone fixo.

As investigações apontam que o homem teria conhecido Sérgio Blank duas horas antes do crime, em um bar localizado em Campo Grande. A Polícia acredita que o assassino induziu o escritor para o interior da própria residência e, após uma discussão, efetuou o crime. O notebook e o celular da vítima foram roubados.

O motivo da discussão entre os dois ainda não foi concluído. Para a PCES, o homem afirmou que estava sob efeito de drogas no momento do crime.

"Em oitiva na nossa unidade policial, ele confessou a prática do crime e relatou como foi toda a dinâmica [...] Ele não esclareceu qual foi o real motivo que o levou a matar a vítima. A gente ainda tem 30 dias de investigação, quando vamos tentar definir qual foi a real motivação", declarou o titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Cariacica, delegado Eduardo Khaddour.

Segundo ele, a investigação se iniciou logo depois do crime e foi complexa, já que o assassinato aconteceu no interior da residência, sem testemunhas. "Em relação à autoria, as provas são contundentes, são provas técnicas e irrefutáveis. A gente espera que agora ele seja denunciado e responda por esse crime", disse o delegado.

Após a junção das provas, a Justiça determinou a prisão do indivíduo e o mandado de prisão temporária foi cumprido nessa segunda-feira (3). No dia do crime, o homem já contava com passagens pela polícia por crimes contra o patrimônio e estava com um alvará de soltura durante a ocorrência.

O inquérito agora será concluído e encaminhado à Justiça, com representação pela prisão preventiva do autor do crime. "Ele matou por asfixia, que é uma crueldade por parte dele. Isso faz com que ele responda, a princípio, por um homicídio qualificado, pena de 12 a 30 anos. E se consumar, verdadeiramente, que a intenção dele era patrimonial, como está direcionando a investigação, aí ele responderá por latrocínio e a pena hoje é a pena máxima do código penal, de 40 anos", declarou o delegado-geral da Polícia Civil, José Darcy Arruda.

O escritor

Sérgio Blank tinha 56 anos e pertencia à Academia Espírito-Santense de Letras (AEL). Além de escritor, o capixaba foi editor, crítico literário, organizador de eventos, gestor e trabalhou na Biblioteca Pública do Espírito Santo.

Relembre, aqui, o texto publicado por Século Diário: Celebremos Sérgio Blank, o poeta puro e implacável.

Celebremos Sérgio Blank, o poeta puro e implacável

Escritor cariaciquense encantou nessa quinta-feira e deixou um legado de amor e ação em favor da literatura no Espírito Santo
https://www.seculodiario.com.br/cultura/celebremos-sergio-blank-o-poeta-puro-e-implacavel

Veja mais notícias sobre Segurança.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Domingo, 17 Outubro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/