Dólar Comercial: R$ 5,02 • Euro: R$ 6,11
Sexta, 22 Janeiro 2021

Número de homicídios no Estado volta a subir

Número de homicídios no Estado volta a subir

A vulnerabilidade dos índices de homicídios fez os números de 2012 encostarem nos de 2011. Até essa terça-feira (1) foram registrados 1.004 homicídios no Estado, enquanto que no mesmo período de 2011 o número chegou a 1.005. 

No fim do primeiro semestre deste ano, o secretário de Estado de Segurança Pública, Henrique Herkenhoff, levantou a tese de que os homicídios no primeiro semestre haviam aumentado por conta da atuação de gangues no município de Cariacica, que haviam sido reprimidas. Já no primeiro mês do segundo semestre, o foco do secretário mudou e ele passou a creditar o aumento no número de homicídios ao crescimento de registros em Vila Velha, que apresentava tendência de queda. 
 
Segundo dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), até essa quarta-feira (1), Vila Velha havia registrado 136 homicídios, contra 123 no mesmo período de 2011. Já Cariacica registrou 172 homicídios até o fim de julho de 2012, contra 156 em 2011. Nos dois municípios houve aumento nos assassinatos, mas sem os dados consolidados não há como afirmar que eles sejam responsáveis por puxar o aumento de homicídios de todo o Estado. 
 
O discurso do secretário durante entrevista nesta quinta-feira (2) à Rádio CBN demonstra que não é possível falar em tendência de queda no número de homicídios quando os dados não são consolidados. A tendência de queda apontada ao fim do primeiro semestre foi rapidamente revertida em apenas um mês. Henkenhoff apontou que ações devem ser desenvolvidas em curto prazo, mas não pôde detalhar quais seriam elas, se limitando a dizer que haveria distribuição de policiamento ostensivo e maior foco na investigação. 
 
As ações integradas de prevenção à criminalidade não foram abordadas na entrevista, somente ações do aparato repressivo do Estado. Os altos índices de homicídios e o aumento no número de registros mostram que não existe política eficiente de combate à criminalidade. Caso contrário, a população sentiria os reflexos de uma política de enfrentamento à violência, que demora alguns anos a partir da aplicação para se consolidar. 
 
O Estado ainda está em processo de recomposição de efetivo policial, tanto na Polícia Civil, quanto na Militar, após anos de defasagem. O efetivo passou a ser recomposto no início do governo Renato Casagrande, com a realização de concurso para preenchimento de vagas de investigador, agente e escrivão de Polícia Civil e para soldado de Polícia Militar. 
 
A realização desses concursos, no entanto, não tem relação com crescimento da população capixaba, e sim com a falta de investimentos em recursos humanos. O Estado passou oito anos – durante o governo Paulo Hartung (PMDB), entre 2003 e 2010 – sem qualquer plano de enfrentamento à violência e à criminalidade. Durante a maior parte desse período, a pasta da Segurança Pública foi ocupada pelo atual deputado estadual e candidato à prefeitura de Vila Velha, Rodney Miranda (DEM), que quase nada se fez na área, seja para aparelhar as polícias, recompor o efetivo ou mesmo traçar um plano para a diminuição da criminalidade. 
 
Em consequência da falta de investimentos, o Estado apresentou um aumento sem precedentes no número de homicídios no governo Paulo Hartung, fazendo com que passasse a ocupar o segundo lugar no Mapa da Violência, só perdendo para Alagoas. A última atualização do Mapa, que tem 2010 como ano-base, aponta que o Estado registrou 54 homicídios por grupo de 100 mil habitantes, o que demonstra níveis epidêmicos de violência no Estado. 

Veja mais notícias sobre Segurança.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 22 Janeiro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/

No Internet Connection