Sexta, 21 Junho 2024

Progressões de militares serão analisadas por grupo de trabalho na Assembleia

PM_leonardo_sa-2 Leonardo Sá

Um canal de diálogo com as entidades representativas da Polícia Militar (PM-ES) e do Corpo de Bombeiros Militar (CBM-ES) do Espírito Santo será aberto com a criação de um grupo de trabalho formado por deputados estaduais, para analisar, pincipalmente, as progressões de carreiras de cada categoria e fazer a interlocução com o governo estadual.

Esse acerto foi feito em reunião entre o presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Santos (Podemos) e o presidente da Associação dos Bombeiros Militares do Espírito Santo (ABMES), tenente Emerson Santana, nesta quinta-feira (25).

"Temos um processo represado de longa data. Em 2018, tivemos uma redução do número de vagas de alguns quadros das nossas corporações, da Polícia Militar e do Bombeiro Militar, e essas vagas não retornaram até hoje. E com a procrastinação dessa solução, surgiram outros problemas", disse Emerson, destacando que as progressões são os principais anseios das categorias junto ao governo.

"Tiveram turmas de mil soldados, turmas grandes, e hoje essas turmas não têm perspectiva nenhuma de promoção. Então hoje nós precisamos trabalhar um quadro que dê perspectiva de promoção para o policial militar, para o bombeiro militar, para que tenha progressão na carreira e o pessoal se sinta incentivado a trabalhar com mais afinco, mais do que já trabalha", acrescentou.

Segundo Marcelo Santos, a criação do grupo de trabalho será deliberada internamente, para que passe a funcionar assim que as matérias do governo chegarem à Assembleia. "Não tem caráter deliberativo interno, mas sim opinativo, para que nós possamos votar e ter uma opinião de quem vai ser alcançado por essas medidas", explicou.

"Promoção de soldado, que está há mais de 15 anos sem promoção, de cabos, de subtenentes, de sargentos, enfim, de todos os níveis. Essa interlocução é muito importante", destacou.

Veja mais notícias sobre Segurança.

Veja também:

 

Comentários: 1

Autor da matéria original em Quinta, 25 Abril 2024 22:48

Seria legal dar o crédito ao jornalista que apurou, entrevistou e escreveu a matéria... Não tenho nada contra usar as fontes oficiais, afinal, elas servem também para isso... Mas acho que é muito importante o crédito a quem é de direito. Afinal, o jornalista que "assina" a matéria no site apenas reproduziu trechos da matéria original postada no site da Ales.

E aí o que acaba acontecendo em situações como essa? Onde o jornalista não apura, não pesquisa e nem sequer dá o crédito. Ele acaba, no afã de querer "requentar" uma matéria, passando informações erradas, como neste caso. A reunião não foi entre o presidente da Ales e o presidente da ABMES. Foi uma reunião com diversas lideranças e agentes militares. O plenário estava lotado. Eu realmente lamento muito, pois além de jornalista, sou leitor do site.

https://www.al.es.gov.br/Noticia/2024/04/46755/legislativo-intermediara-demanda-de-militares-por-progressao.html

Segue a reportagem original e tire você mesmo as suas conclusões.

Att. Autor da matéria original

Seria legal dar o crédito ao jornalista que apurou, entrevistou e escreveu a matéria... Não tenho nada contra usar as fontes oficiais, afinal, elas servem também para isso... Mas acho que é muito importante o crédito a quem é de direito. Afinal, o jornalista que "assina" a matéria no site apenas reproduziu trechos da matéria original postada no site da Ales. E aí o que acaba acontecendo em situações como essa? Onde o jornalista não apura, não pesquisa e nem sequer dá o crédito. Ele acaba, no afã de querer "requentar" uma matéria, passando informações erradas, como neste caso. A reunião não foi entre o presidente da Ales e o presidente da ABMES. Foi uma reunião com diversas lideranças e agentes militares. O plenário estava lotado. Eu realmente lamento muito, pois além de jornalista, sou leitor do site. https://www.al.es.gov.br/Noticia/2024/04/46755/legislativo-intermediara-demanda-de-militares-por-progressao.html Segue a reportagem original e tire você mesmo as suas conclusões. Att. Autor da matéria original
Visitante
Sexta, 21 Junho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/