Quinta, 18 Agosto 2022

Bancários do Banco do Brasil aprovam paralisação na próxima sexta (29)

restruturacao_BB_CreditosSindibancarios Sindibancários

A próxima sexta-feira (29) será de paralisação das agências do Banco do Brasil em todo o país. Os bancários do Espírito Santo decidiram aderir ao movimento em assembleia virtual realizada nessa segunda-feira (25). A ação faz parte do calendário de luta nacional contra a reestruturação na instituição financeira, que prevê o fim da função de caixa, redução de postos de trabalho, fechamento de agências e transformação de outras em lojas e postos de atendimento. 

"Vai ser a nossa manifestação de repúdio contra esse processo", diz a diretora do Sindicatos do Empregados em Estabelecimentos Bancários do Espírito Santo (Sindibancários), Maria Gorete Barone. Para Maria Gorete, a mobilização contra a reestruturação não pode ser restrita aos trabalhadores do Banco do Brasil, devendo ganhar a adesão da sociedade. "É importante que as pessoas, prefeitos e parlamentares se posicionem contra", diz.

O sindicato realizará nesta quarta-feira (27) uma plenária de organização da paralisação. Os trabalhadores já haviam feito outras manifestações contra a reestruturação, como a do dia 15 de janeiro, quando os funcionários do Banco do Brasil, inclusive os que estavam de home office, trabalharam de preto em sinal de luto. A ação fez parte do Dia Nacional de Luta, que contou também com um tuitaço da hashtag #MeuBBvalemais e foi organizada pela Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf), pelas federações e sindicatos.

A diretora do sindicato afirma que, embora a entidade já tenha solicitado formalmente ao banco, não há dados oficiais sobre os impactos que a reestruturação causará no Espírito Santo. A única certeza, relata, é de que a agência de São Silvano, em Colatina, será transformada em loja. Por isso, será realizada uma reunião entre o sindicato e o prefeito Guerino Balestrassi (PSC) ainda esta semana para tratar do assunto. 

Outra forma de mobilização, destaca Gorete, está sendo feita por meio do diálogo com associações comerciais, associações de moradores e outras entidades da sociedade civil. "Transformando em loja os caixas serão retirados, limita o atendimento ao público, que vai ter que atravessar a ponte [do Rio Doce] para se dirigir a outra agência do banco. Essa travessia é um local de trânsito intenso, então a gente tem aí a questão da mobilidade", salienta. 

A reestruturação conta com o Programa de Adequações de Quadros (PAQ) e o Programa de Desligamento Extraordinário (PDE). Além desses programas, com a demissão de 5 mil empregados, a medida visa o fechamento de 361 unidades. Maria Gorette acredita que a ausência desses trabalhadores pode causar a elitização do BB, uma vez que pessoas mais simples e idosos têm dificuldade com tecnologia. 

Ela afirma que no mesmo dia do anúncio da reestruturação foram retiradas as gratificações de todos os caixas no Brasil, o que reduziu o ganho mensal deles em cerca de 50%. Outro problema, relata a diretora do sindicato, é que com o fechamento de agências bancárias os funcionários podem ser transferidos para outros municípios ou até mesmo estados. Essa possibilidade de transferência é uma das ações que fazem com que a reestruturação deixe de promover demissão voluntária para, na verdade, promover "demissão forçada", conforme relata Maria Gorette. 

De acordo com ela, a impossibilidade de mudança do local de moradia pode fazer com que muitos desistam de trabalhar no banco. Maria Gorette destaca que a reestruturação consiste em um projeto de privatização. "Não se tem mais privatização no modelo de venda do patrimônio público, mas sim, de sucateamento. A reestruturação é o encolhimento da atuação do Banco do Brasil para favorecer bancos privados", diz a diretora do Sindibancários.

Veja mais notícias sobre Sindicato.

 

Comentários: 3

joao em Terça, 26 Janeiro 2021 13:23

Lixo de site. Extremamente parcial.
Lamentável.

Lixo de site. Extremamente parcial. Lamentável.
Marcos em Terça, 26 Janeiro 2021 18:02

Eu gosto. Procure outro que siga uma linha editorial de acordo com a sua preferencia.

Eu gosto. Procure outro que siga uma linha editorial de acordo com a sua preferencia.
Éfrem em Terça, 26 Janeiro 2021 19:59

Infelizmente, bancário é uma das profissões que está em extinção, assim como cobrador de ônibus e outras, tem que se atualizar. Eu mesmo não me lembro da última vez que fui ao banco, tudo resolvendo por App ou 0800.

Infelizmente, bancário é uma das profissões que está em extinção, assim como cobrador de ônibus e outras, tem que se atualizar. Eu mesmo não me lembro da última vez que fui ao banco, tudo resolvendo por App ou 0800.
Visitante
Quinta, 18 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/