Quinta, 18 Agosto 2022

Entidades publicam carta de insatisfação contra a presidente do Incaper

Entidades publicam carta de insatisfação contra a presidente do Incaper

A Diretoria Executiva e o Conselho Deliberativo da Associação dos Servidores do Instituto Capixaba de Pesquisa e Extensão Rural (Assin) publicaram uma carta de insatisfação contra a diretora-presidente do Incaper, Nara Sthefania Tedesco, que indeferiu o pedido de realização da Palestra “Dia D Saúde”, que ocorreria no dia 30 de julho, em Nova Venécia, por iniciativa da Assin.



O documento tem apoio ainda da Federação das Associações e Sindicatos dos Trabalhadores do Setor Público Agrícola do Brasil (Faser) e do Sindicato dos Trabalhadores e Servidores Públicos do Estado (Sindipúblicos),



A palestra teria por foco a saúde nutricional de servidores do Incaper sócios da Assin da região extremo norte. Na carta, as entidades contam que a solicitação para a liberação dos servidores com interesse em participar do evento ocorreu no dia 23 de julho do corrente ano, não havendo qualquer ônus financeiro para o Incaper, que em sequência avisou não ser possível a liberação para a data do evento, sob a alegação de que havia servidores em férias, que acarretaria fechamento de escritórios e que o prazo de solicitação para eventos por parte da Assin deveria ocorrer com maior antecedência.



A Assin, a Faser e o Sindipúblicos afirmam que, mesmo com as justificativas expostas, caberia ao Incaper realizar a liberação do evento para a data pré-agendada. “Essa atitude acarretou ônus para a Assim e tem dimensões políticas de impacto contra nossa instituição, que é dos servidores”, reclamam.



“Ainda deve ser compreendido que, os diretores da Assin, e os sócios que contribuem com a Assin, fazem ações que são voluntárias, não tendo força hierárquica e trabalhistas sobre as agendas dos nossos sócios, diferente do Incaper, que é a instituição que nos agrega como trabalhadores; portanto, é necessária a compreensão por parte dos diretores do Incaper do esforço dos nossos contribuintes, o que não foi feito”, argumentam.



As entidades alegam ainda que “a Assin vem atuando junto aos seus sócios e pró servidor público, com compromissos que também caberia ao próprio Estado ou ao próprio Incaper, como essa ação na área de saúde, que deveria ser uma entre outras obrigações, principalmente pela ausência de parcerias do Incaper com a Assin, que em outros momentos já oficializou solicitação de parceria para ações coletivas de saúde e não obteve êxito”.



Em junho passado, o governo estadual se recusou a renovar o contrato de comodato com a Assin, obrigando a Associação a deixar a sala, no prédio central do Incaper, em Vitória, onde funcionava a sua sede há 33 anos.



Os servidores também lutam, há mais de dois anos, para ter atendida sua pauta de reivindicações, sem qualquer sucesso. Entre os pontos de pauta negados estão: revisão do plano de cargos e salários; concurso público; recomposição das perdas salariais; retomada do programa de pós- graduação aos servidores do Incaper; plano de saúde; assegurar a manutenção das especificidades dos quadros de profissionais, não permitindo o remanejamento de servidores de outros órgãos para quaisquer unidades da autarquia; regulamentação do auxílio-creche; cumprimento dos encaminhamentos firmados referente aos pleitos de 2016.



“Estamos diante de um governo que não está nem aí para o serviço público. Muito menos para o Incaper. São mais de cem servidores que estão para se aposentar e, mesmo assim, o governo não tem sequer previsão de concurso”, destacou Samir Seródio, presidente da Assin, após a última assembleia da categoria, realizada no final de maio.

Veja mais notícias sobre Sindicato.

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 18 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/