Quinta, 25 Abril 2024

‘Os trabalhadores estão revoltados, os petroleiros querem paz para trabalhar’

dia_mobilizacao_contragolpe_FotoSindipetro Sindipetro

O Sindicato dos Petroleiros do Espírito Santo (Sindipetro/ES) deu início, nesta quarta-feira (11), ao Dia de Mobilização Nacional, por meio do qual busca dialogar com os trabalhadores sobre a tentativa de golpe de Estado em curso no país e que tem como uma de suas estratégias o bloqueio de refinarias da Petrobras por parte de grupos de terroristas de extrema direita. A primeira ação foi na Unidade de Tratamento de Gás de Cacimbas (UTGC), em Linhares, no norte.

Sindipetro

"Os trabalhadores estão revoltados com essa situação, os petroleiros querem paz para trabalhar, para tocar sua vida", diz o diretor do Sindipetro, Eduardo Perez Lacerda. O Dia de Mobilização Nacional é puxado pela Federação Única dos Petroleiros (FUP). O dirigente sindical afirma que as conversas estão sendo feitas para falar para os trabalhadores sobre a necessidade de mobilização diante do que está acontecendo.

Eduardo informa que chegou a haver tentativas de bloqueio às refinarias no Paraná, São Paulo, Rio Grande do Sul e Amazonas, mas que foram impedidas pelas forças de segurança dos respectivos Estados. No Espírito Santo, até o momento, não há sinais de nenhum plano do tipo. Ainda assim, o Sindipetro agendou nova rodada de diálogo com os trabalhadores para a quinta-feira (12), terça-feira (17), quarta-feira (18) e quinta-feira (19). Os locais a serem visitados são, respectivamente, o Terminal Aquaviário Barra do Riacho (TABR), em Aracruz, no norte; Aeroporto e Edifício Vitória (Edivit); na Capital, e na Plataforma P-57.
Divulgação

A ameaça de bloqueio às refinarias foi lembrada nessa terça-feira (10) durante a manifestação contra os atos terroristas ocorridos nesse domingo (8), em Brasília. O trajeto contou com uma pausa na sede da Petrobras, na Reta da Penha. Na ocasião, o diretor da Secretaria de Formação Política do Sindicato dos Petroleiros do Espírito Santo (Sindipetro-ES), Wallace Ouverney, destacou que "vencemos Bolsonaro, mas precisamos vencer ainda o bolsonarismo". "Ninguém soltou a mão de ninguém. Devemos continuar de mãos dadas para mostrar que nós sim estamos do lado da democracia, do nosso país, que nós sim somos patriotas. Eles [os golpistas] são patriotários", disse.

Wallace já havia declarado anteriormente a Século Diário as tentativas de invasão às refinarias representam risco à população. "Um acidente pode causar danos sem precedentes. Estão achando que refinaria é parque de diversões, não é. A gente tem que realmente proteger a população e o patrimônio público ", alertou, lembrando de explosões como a ocorrida na Refinaria Duque de Caxias (Reduc), no Rio de Janeiro, em 1972, que causou grandes estragos.

Veja mais notícias sobre Sindicato.

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 25 Abril 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/