Quinta, 11 Agosto 2022

Servidores ameaçam greve geral em Ibatiba

Servidores ameaçam greve geral em Ibatiba
Aproximadamente 500 servidores públicos de todos os setores do município de Ibatiba, exceto plantonistas do Pronto Socorro Municipal e Coleta de Lixo, estão mobilizados contra a atual gestão municipal, comandada pelo prefeito Luciano Salgado (MDB), o Pingo. Eles realizaram protesto nessa terça-feira (29), quando recolheram assinaturas para um documento de apoio ao movimento, e ameaçam realizar greve geral.
A pauta cobrada da prefeitura pelos trabalhadores é antiga. Eles tentam, desde novembro, com o envio de ofícios e reuniões, resolver direitos básicos previstos na Constituição, além de denunciarem o mau uso do dinheiro público.

“Em fevereiro o prefeito assumiu a responsabilidade de cumprir parte da pauta, mas não o fez. Já estamos em maio e nada mudou”, afirmou Edson Geraldo Saloto, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Ibatiba (Sindispumies).
O sindicato havia enviado, no último dia 7, sem sucesso, novo ofício para a prefeitura, reforçando a pauta e principais reivindicações dos trabalhadores. Os servidores ameaçam realizar greve, caso permaneça a omissão da gestão municipal.
“A pauta se tornou extensa porque o prefeito está deixando acumular. Ele está negando todo e qualquer direito trabalhista, pagando somente o salário sem reajuste, e deixando os problemas acumularem, por isso, houve a manifestação”, destacou Edson. Os trabalhadores se reuniram em frente à prefeitura e protestaram contra “os absurdos praticados pela atual gestão municipal”. 
Dentre as diversas propostas, eles reivindicam a revisão anual geral dos servidores públicos no percentual de aproximadamente 3%, segundo a perda inflacionária aplicada nos últimos anos; e respeito aos acordos coletivos vigentes, os quais vêm sofrendo quebra de forma arbitrária pela atual administração, com maior destaque para a escala de plantões dos servidores do Pronto Atendimento Municipal. E, ainda, o pagamento imediato da insalubridade em grau máximo aos servidores da coleta de lixo e obras em rede de esgoto. 
Além disso, cobram um parecer da Procuradoria do município sobre a regularidade do atual piso salarial pago aos professores da rede municipal, no sentido de verificar se os vencimentos acompanham a legislação do piso nacional do magistério. 
De acordo com o ofício do Sindispumies à prefeitura, após a análise da pauta de reivindicações, deverá ser encaminhada com urgência as contrapropostas para cada item da pauta, com prazo definido para início da solução de cada assunto. Se em trinta dias as negociações não avançarem, os servidores irão votar uma greve geral no município. 
“Nós iremos continuar protestando contra os absurdos praticados pela atual gestão municipal. Não vamos aceitar que continuem pisando nos direitos que conquistamos e desrespeitando nossa cidade”, destacou o Sindispumies. 

Veja mais notícias sobre Sindicato.

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 11 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/