Terça, 16 Agosto 2022

Atrás vem gente

magno_bolsonaro_manato_brasilia_marcha_redessociais Redes sociais
Redes sociais

Na véspera da visita de Jair Bolsonaro ao Espírito Santo e com adversários na cola, atrás do título de candidato preferido, o ex-deputado federal Carlos Manato (PL) garantiu um "take" de apoio público do presidente, em encontro realizado em Brasília, nessa quarta-feira (20). O material foi logo parar nas redes sociais, em mais uma movimentação de Manato para garantir que seja reconhecido como o único palanque de Bolsonaro no Estado, junto com o ex-senador Magno Malta (PL), que tentará retornar ao seu antigo posto, e também participa do vídeo. A iniciativa demarca território antes da chegada de Bolsonaro em Vitória, neste sábado (23), com programação de campanha que envolve motociata e presença na "Marcha para Jesus", em Vila Velha. Há semanas, Manato reivindica para si a condição de candidato exclusivo, na tentativa de frear os movimentos do ex-prefeito de Linhares (norte do Estado), Guerino Zanon (PSD), que conta com apoio do vice-líder de Bolsonaro na Câmara dos Deputados, Evair de Melo (PP), e ainda do presidente da Assembleia Legislativa, Erick Musso (Republicanos), que adotou até slogan verde e amarelo. Os dois têm feito declarações sistemáticas de voto em Bolsonaro e se colocam como "verdadeiros conservadores", evangélicos e "defensores da família". Em meio a uma corrida eleitoral cada vez mais frenética, as perguntas que não querem calar: quem mais vai aparecer na programação do presidente, onde e como?

Atrás vem gente II
O teor do vídeo, em si, não é nada demais. Mas atende aos propósitos da chapa do PL, que transita num campo agora congestionado, cheio de candidatos, ao contrário de 2018, quando Manato reinou sozinho na chamada "onda Bolsonaro".

Atrás vem gente III
Até agora, Guerino e Erick se mantém em silêncio sobre a visita e Evair, que vive citando o presidente e quer sempre aparecer como anfitrião, está bem menos eufórico nas redes sociais. O deputado, como já dito aqui, tem atuado distante do bloco de Manato-Magno.

Ai, ai...
A propósito, o café da manhã anunciado no desembarque de Bolsonaro, no próprio aeroporto, para mais de 400 convidados, incluindo autoridades políticas e religiosas, não terá participação da imprensa. É esse, pelo menos, o aviso emitido pelo Espaço Patrick Ribeiro.

Sem mudanças
Bolsonaro também lembra, no vídeo, que a convenção do PL capixaba será realizada no próximo dia 30. Mas dessa parte, não se espera novidade. Ao contrário da maioria das chapas, a de Manato-Magno está formada há muito tempo, restando somente o vice, que virá do PTB. Alianças partidárias também devem parar por aí, restritas aos dois partidos, apesar dos esforços do candidato ao governo.

Tudo em casa
A previsão é que o nome do vice saia das forças de segurança pública, base de votos do bolsonarismo. Manato e Magno receberam, nesta semana, apoio público do Projeto Político Militar (PPM), que desta vez, assumiu seu lado de sempre. Em eleições passadas, apesar das claras evidências, o movimento insistia em se dizer múltiplo e apartidário.

Nomes
Nas proporcionais, como já anunciado meses atrás, o PPM terá o Subtenente Assis (PTB) como candidato à Câmara Federal. No projeto de reeleição, o coronel Alexandre Quintino (PDT) e Capitão Assumção (PL), à Assembleia Legislativa, e Da Vitória (PP), à Câmara.

Nomes II
Já os novatos que tentarão cadeira de deputado estadual são: Cabo Eugênio, Coronel Weliton e Soldado Olmir Castiglioni. Os respectivos partidos serão conhecidos entre o próximo dia 20 e 5 de agosto, período das convenções, atendendo à legislação que define a participação de militares em eleições.

Exterior
Repercute, no mercado jurídico, uma portaria que concede oito diárias para o presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), Marcello Maciel Mancilha, para despesas com deslocamento a Compenhage, na Dinamarca. A viagem será entre os dias 10 e 17 de setembro, com a justificativa de visitas institucionais a órgãos de Justiça...

'Bonde'?
...há quem questione se iniciativas do tipo, com despesas pagas, não deveriam se restringir ao presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), e não de regionais (todos entrarão nesse bonde?), como é o caso de Mancilha. Pois é...

Nas redes
"Já estamos esperando há uma semana a sanção do presidente da República para que o piso salarial da enfermagem se torne uma realidade. O que está faltando para essa aprovação? A enfermagem tem pressa! Enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliares de enfermagem e parteiras do Brasil: vamos nos unir nessa luta! Sanciona, presidente!". Fabiano Contarato, senador pelo PT.

FALE COM A COLUNA:

Veja mais notícias sobre Socioeconômicas.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 16 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/