Terça, 24 Mai 2022

Dois em um

vinicius_simoes_leonardo_sa-2 Leonardo Sá
Leonardo Sá
A representação ao Ministério Público do Estado (MPES) protocolada pelo novo presidente do diretório do Cidadania em Vitória, o ex-vereador Vinícius Simões, é mais uma amostra do racha interno da legenda, externalizado desde as eleições de 2020. É que o alvo, prefeito Lorenzo Pazolini (Republicanos), denunciado por não ter prestado contas da gestão na Câmara Municipal, é mais do que aliado da bancada do partido, a maior da Casa, formada por Denninho Silva, Luiz Emanuel Zouain e Maurício Leite. O movimento de Vinícius repete críticas sistemáticas que faz em relação à gestão municipal, alinhadas ao presidente estadual do partido, o deputado Fabrício Gandini, que foi adversário da Pazolini na disputa do ano passado, com direito à troca de acusações pesadas e ações judiciais. Apesar dessa guerra declarada, os correligionários migraram para o lado de Pazolini no segundo turno, enquanto Simões anunciou apoio a João Coser (PT) e Gandini ficou neutro. A eleição acabou e cada bloco continuou em lados opostos. O ex-vereador foi acomodado no governo do Estado e Gandini também aderiu de vez à base de Casagrande. Já Denninho, Zouain e Maurício firmaram uma aliança forte com o prefeito. A situação criou dois partidos dentro de um só, com reflexos para 2022. O Cidadania é do arco de Casagrande, que enfrenta oposição do grupo de Pazolini, incrementada agora pelo lançamento do presidente da Assembleia Legislativa, Erick Musso (Republicanos), como concorrente ao Palácio Anchieta. Denninho, campeão de votos à Câmara em 2020, já declarou candidatura à Assembleia, área de Gandini. Zouain, vez ou outra, também diz que pode tentar a mesma cadeira, e Simões, tudo indica, será candidato, mas pode arriscar a Câmara Federal. Equação difícil, hein?!

Regras
De todos acima, Gandini poderia trocar de partido na janela partidária, no início de 2022, e Simões, que está sem mandato, o que nem de longe parece ser o caso. Os demais, já são outros 500.

'Dono'
O Cidadania é o partido de Luciano Rezende, que também voltará à cena do próximo ano, com apostas voltadas para Brasília. Por enquanto, ele tem dado aulas e palestras.

Farpas
Assim como Gandini, Vinícius Simões tem litígio judicial com Pazolini, com decisões desfavoráveis. Referente à postagem feita na campanha eleitoral sobre a saída do prefeito da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA). O ex-vereador recorre da decisão, que o obrigou a pagar R$ 4 mil de indenização.

Subiu
Derrotado à reeleição, Simões foi acomodado no governo de Casagrande no início deste ano, como assessor especial da Casa Civil. No mês passado, subiu degrau: virou subsecretário de Esportes, pasta que promove visibilidade eleitoral. Suficiente para saltar da cadeira de vereador para uma na Câmara Federal? O salto é alto.

Subiu II
E o comando do Cidadania na Capital, onde estão lotados os aliados de Pazolini? O ex-vereador é recém-eleito. Mais precisamente, está na função há uma semana.

Ele, de novo
O ex-governador Paulo Hartung apareceu mais uma vez no Tribunal de Justiça nesta quinta-feira (16), desta vez, para a posse do novo presidente, Fabio Clem. Sentou-se ao lado de Erick Musso e fez questão de publicar nas redes sociais.

Juntos
A propósito, de Aracruz, norte do Estado, vem a informação de que Erick, na verdade, não elegeu seu candidato no seu reduto eleitoral. Na coluna passada, disse por aqui que ele evitou abraçar candidatos e declarar apoios. Por lá, porém, ele apareceu ao lado do ex-vereador Alcântaro Filho (PSD), junto ainda do deputado federal Amaro Neto (Republicanos).

Cargo
Alcântaro, que presidia a Câmara de Vereadores, perdeu para o atual prefeito, Dr. Coutinho (Cidadania), por uma diferença de 162 votos. Desde maio, ele é servidor do gabinete de Amaro.

Na área
Aos poucos, o ex-vice-governador e ex-deputado César Colnago (PSDB) vai marcando cada vez mais presença nas redes sociais, para mostrar suas movimentações. Agora, ele inaugurou o slogan "César, uma história, um futuro. O ES merece mais". O tucano tenta convencer o mercado e o próprio partido de erguer um palanque ao governo do Estado.

Nas redes
"Com a possibilidade de termos em 2022 duas vacinas seguras e eficazes para idades pediátricas, será fundamental a inclusão destas vacinas no Calendário Nacional de Vacinação". Nésio Fernandes, secretário estadual de Saúde, sobre a autorização para imunização contra a Covid-19 da faixa etária entre 5 e 11 anos.

FALE COM A COLUNA:

Veja mais notícias sobre Socioeconômicas.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 24 Mai 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/