Dólar Comercial: R$ 5,02 • Euro: R$ 6,11
Sexta, 26 Fevereiro 2021

Insatisfação acumulada

erickmusso_casagrande_leosa Leonardo Sá
Leonardo Sá

O início do ano legislativo foi marcado, nesta quarta-feira (3), por uma denúncia com pedido de abertura de processo de impeachment contra o governador Renato Casagrande, assinado pelo ambientalista Eraylton Moreschi Júnior, e destinado ao presidente da Assembleia, Erick Musso (Republicanos). O argumento é de crime de responsabilidade, decorrente da "situação de desequilíbrio ambiental registrada no Espírito Santo". No caso da atual gestão, permanece latente a insatisfação em relação ao comando do Instituto Estadual de Meio Ambiente (Iema) ter sido entregue ao "homem da Vale", Alaimar Fiuza, que saiu direto do alto escalão da poluidora, onde atuou durante 30 anos, para o órgão ambiental. O resultado disso, como aponta o documento, é uma fiscalização omissa, envolvendo inclusive a própria mineradora, responsável junto com ArcelorMittal pelos elevados índices de emissões lançadas dia e noite sobre a cabeça dos capixabas, e ao não atendimento a diversas denúncias de crimes protocoladas pela Juntos ES Ambiental, coordenada por Eraylton, ao próprio Alaimar e ao governador sobre as graves questões que atentam contra o meio ambiente e a "submissão e subserviência de gestões públicos", e ainda à Assembleia e a  órgãos como os Ministérios Públicos Federal e Estadual (MPF e MPES) e Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O pedido cita a Lei 1.079/50 e a Constituição do Espírito Santo, para apontar as violações, além do "direito do cidadão ao meio ambiente ecologicamente saudável e equilibrado". Os problemas, de fato, ocorrem há décadas, principalmente relacionados à poluição ambiental e da água, sem quaisquer providências. Mas, entre os deputados, sob o comando de Erick, reconduzido à função nessa segunda-feira (1) com apoio de Casagrande e apenas dois votos contrários, o pedido não tem campo para prosperar. De todo modo, valem o protesto e a pergunta: o que têm a dizer Casagrande, Erick e a Assembleia?

Interesse zero
Relações com o governo à parte, a própria Assembleia, "desde sempre", fecha completamente os olhos para o meio ambiente e as empresas poluidoras, raríssimas exceções. Nos últimos anos, o que já era péssimo nesse sentido, parece até ter piorado. Cortina de fumaça e silêncio.

Mais do mesmo?
Na próxima segunda-feira (8), aliás, deverá ser definido, oficialmente, o presidente da Comissão de Meio Ambiente da Casa. O deputado Rafael Favatto (Patriota) ocupa hoje a função e deve permanecer com a cadeira, mas sempre esteve longe de garantir cobranças efetivas para minimizar os impactos ambientais registrados no Estado e, muito menos, abalar as poluidoras – entram aí, também, a Samarco e Suzano (ex-Aracruz Celulose e Fibria).

Vetados
Qual seria a chance desse cenário mudar? Assumir perfis como o da deputada Iriny Lopes (PT) e Sergio Majeski (PSB), o que não interessa à Mesa Diretora, nem ao governo. Ou seja...

Vetados II
Os dois, a propósito, foram os únicos a votar contra a reeleição de Erick à presidência da Assembleia, em chapa única, nessa segunda. Já foram tomadas medidas jurídicas contra o resultado, podendo chegar também ao Supremo Tribunal Federal (STF). A conferir!

Nuvens da política
Por falar nisso, o vento virou rápido, hein?! Erick passou de quase inimigo político e líder de grupo com potencial de enfrentar Casagrande em 2022, para aliado da primeira fileira, juntos e misturados. Até lá, vira de novo?

2020
No atual mandato de Casagrande, este é o segundo pedido de impeachment que chega à Assembleia. O primeiro, porém, foi de um deputado de oposição, Capitão Assumção (Patriota), referente ao não comparecimento do governador para a prestação de contas obrigatória. Não vingou.

Ué...
Chama atenção a queixa do deputado Marcus Madureira de falta comunicação com o presidente estadual do Patriota, Rafael Favatto. Madureira acaba de retornar à Assembleia, na vaga do atual prefeito de Vitória, Lorenzo Pazolini (Republicanos), e já pensa em deixar o partido. Vem cá...Favatto e o nanico Patriota estão podendo dispensar mandato, assim?

Alinhado
Madureira já avisou que atuará em alinhamento com o Palácio Anchieta, o que também faz Favatto, na maioria das vezes. O único que age em sentido completamente contrário é Assumção, que só pensa em detonar o governo, já de olho nas próximas eleições.

PENSAMENTO:
"Dito e feito; tudo foi dito e nada foi feito". Millôr Fernandes

Veja mais notícias sobre Socioeconômicas.

Veja também:

 

Comentários: 2

Sérgio Dias em Quinta, 04 Fevereiro 2021 15:09

Sueli Vidigal está vindo de Brasília (TSE) para ocupar a vaga de Marcelo Santos pela infidelidade partidária. Eis o infiel...

Sueli Vidigal está vindo de Brasília (TSE) para ocupar a vaga de Marcelo Santos pela infidelidade partidária. Eis o infiel...
GIMENES em Domingo, 07 Fevereiro 2021 01:39

A insatisfação de um perdedor se resume em atrapalhar a gestão pública. Espera 4 anos e se candidata ao cargo, coloque suas ideias. É muito mímimi, tudo agora é impeachment.
Aceita que perdeu, dóe menos.

A insatisfação de um perdedor se resume em atrapalhar a gestão pública. Espera 4 anos e se candidata ao cargo, coloque suas ideias. É muito mímimi, tudo agora é impeachment. Aceita que perdeu, dóe menos.
Visitante
Sexta, 26 Fevereiro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/

No Internet Connection