Dólar Comercial: R$ 5,76 • Euro: R$ 6,79
Sábado, 10 Abril 2021

Ladeira abaixo

nesio_fernandes_tati_beling_ales Tati Beling/Ales
Tati Beling/Ales
O apelo dos secretários estaduais de saúde, que virou uma "carta à Nação Brasileira" por medidas restritivas diante da gravidade da atual situação da pandemia do coronavírus no País, foi usado como munição pelo deputado bolsonarista Capitão Assumção (Patri), nessa segunda-feira (1), em mais um discurso com xingamentos no plenário da Assembleia Legislativa contra o secretário Nésio Fernandes, a quem sempre tenta desqualificar como médico e gestor. Integrante do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), que assina o documento, Nésio replicou a decisão em suas redes sociais, considerando o colapso já registrado em vários estados, mas não anunciou a implementação por aqui, assim como também não o fez o governador Renato Casagrande. Por ora, os dois informaram, inclusive, o contrário: o cenário no Estado não exige novas restrições nem lockdown, embora possa piorar, e apresentaram uma estratégia de ampliar leitos até abril e a capacidade de testagem, além de pedirem, mais uma vez, respeito da população aos protocolos sanitários, o que, convenhamos, não tem acontecido. Citando a mesma carta, Assumção, que é defensor do tratamento precoce sem comprovação científica, contrário ao uso de máscara e a qualquer medida que reduza a interação social, fatores responsáveis pelo agravamento da crise e dos elevados números de casos e óbitos, já anunciou que o "secretário vai fechar o Espírito Santo" e que "o povo vai pra rua", indicando a realização de protestos. É mais uma constatação de que, no campo nacional e por aqui, a irresponsabilidade e o palanque político, infelizmente, "gritam".

Medidas
Os secretários defendem toque de recolher a nível nacional das 20 às 6h, como já tem ocorrido em alguns estados, além do fechamento de praias, bares e escolas. No caso de regiões com mais de 85% de ocupação nos leitos, a recomendação é pela adoção de lockdown. O Espírito Santo, hoje, está com 73% de ocupação, sem contar as ampliações anunciadas.

Medidas II
Enquanto os apoiadores do presidente reclamam, infectologistas renomados do País defendem até mais do que a carta dos secretários: lockdown de duas semanas, rígido, para interceptar as cadeias de transmissão do coronavírus. O toque de recolher no horário proposto, de menor circulação, é considerado insuficiente no atual cenário.

Conjunto
Com as sucessivas queixas de falta de uma coordenação nacional da condução da pandemia e, para que de fato tenha êxito, a defesa dos secretários é de que seja estabelecido um "Pacto Nacional pela Vida", envolvendo todas as instâncias políticas, econômicas e sociais, como governo federal, Congresso e Supremo Tribunal Federal (STF). Mas...

Lavou as mãos
...como esperado, no caso do governo federal, o Ministério da Saúde já se esquivou: cada estado e município resolve o seu.

Negação
Em seu Twitter, Nésio postou: "Recordes consecutivos. Como contar essa história no futuro? Será preciso proteger a verdade e os fatos para que não se repita a violência da mentira e da negação".

Reações
No plenário da Assembleia, Assumção não falou sozinho nessa segunda. Foi rebatido pelos deputados Bruno Lamas (PSB), Iriny Lopes (PT), Adilson Espíndula (PSDB) e Dr. Hércules (MDB), que exaltaram o secretário e a condução da pandemia pelo governo do Estado.

Dinheiro
Outra frente de confronto aberta nesse final de semana pelo presidente Jair Bolsonaro, o repasse de verbas para os estados, também foi explorado por Assumção e, ainda, pela deputada federal Soraya Manato (PSL). Os números apresentados são superestimados e os repasses obrigações constitucionais, mas os dois espalham nas redes sociais: "cadê o dinheiro?".

Dinheiro II
A divulgação dos valores pelo presidente gerou mais uma carta assinada por governadores e também repercute pelo País. No caso do Estado, Bolsonaro diz que enviou mais de R$ 21,6 bilhões em 2020, em decorrência da pandemia. Casagrande contesta: foram R$ 2,2 bilhões, o restante é referente a repasses constitucionais obrigatórios.

Detalhe...
Tanto a carta dos secretários estaduais de saúde quanto dos governadores tem adesões de aliados do presidente, igualmente insatisfeitos com a condução da pandemia e os constantes confrontos criados pelo governo federal, enquanto o País contabiliza cada vez mais mortes.

PENSAMENTO:
"Vamos juntos vencer a pandemia e os negacionistas". Renato Casagrande

Veja mais notícias sobre Socioeconômicas.

Veja também:

 

Comentários: 4

José Salvador em Terça, 02 Março 2021 14:55

Uma dose da vacina anti - rabica faria bem para alguns raivosos e incompetentes que vivem criticando mas nada produzem.

Uma dose da vacina anti - rabica faria bem para alguns raivosos e incompetentes que vivem criticando mas nada produzem.
tamojunto em Quinta, 04 Março 2021 07:58

Cap. Assunsão e seus "fãs" são uns repetidores de besteiras ditas pelo Cap. Mor, isso é um fato inegavél... O secretário que ele tanto critica, realmente é bem fraco tecnicamente, mas agrada o Big House, pois transfere todo custeio possível aos municípios que aceitam a troco de barganhas e é adepto das OS, exemplo disso é o Samu no interior e a tal Fundação que está tomando conta de nossos hospitais. Não está fácil não, quem poderia nos ajudar um pouco seria o Sergio Magesky, mas esse está amarrado pelo nosso poderoso poder judiciário que uma vez ofendido pelo boicote dos cargos comissionados aprovados na Ales, o persegue firmemente até o fim de seu mandato... Conclusão: estamos em meio a uma pandemia sanitária sem precedentes, e a pandemia política crônica que nos aflige a anos nos amarra como sempre!

Cap. Assunsão e seus "fãs" são uns repetidores de besteiras ditas pelo Cap. Mor, isso é um fato inegavél... O secretário que ele tanto critica, realmente é bem fraco tecnicamente, mas agrada o Big House, pois transfere todo custeio possível aos municípios que aceitam a troco de barganhas e é adepto das OS, exemplo disso é o Samu no interior e a tal Fundação que está tomando conta de nossos hospitais. Não está fácil não, quem poderia nos ajudar um pouco seria o Sergio Magesky, mas esse está amarrado pelo nosso poderoso poder judiciário que uma vez ofendido pelo boicote dos cargos comissionados aprovados na Ales, o persegue firmemente até o fim de seu mandato... Conclusão: estamos em meio a uma pandemia sanitária sem precedentes, e a pandemia política crônica que nos aflige a anos nos amarra como sempre!
Araujo em Quinta, 04 Março 2021 13:10

Capitão Dissenção. Taí, queria conhecer os eleitores desse cidadão, onde vivem, como se reproduzem?

Capitão Dissenção. Taí, queria conhecer os eleitores desse cidadão, onde vivem, como se reproduzem?
cayo em Domingo, 07 Março 2021 21:53

Este SECRETÁRIO DE SAÚDE DO ES faz a pior gestão da saúde que já vi. Péssimo Gestor, estamos largados as traças, hospitais lotados, sem previsão de vacinas. A Saúde estadual está muito ruim com ele.

Este SECRETÁRIO DE SAÚDE DO ES faz a pior gestão da saúde que já vi. Péssimo Gestor, estamos largados as traças, hospitais lotados, sem previsão de vacinas. A Saúde estadual está muito ruim com ele.
Visitante
Sábado, 10 Abril 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/

No Internet Connection