Dólar Comercial: R$ 5,31 • Euro: R$ 6,29
Sábado, 28 Novembro 2020

Documentário Espírito Samba será lançado nesta quarta-feira

espirito_Samba_capa_reproducao Reprodução/ Espírito Samba

Paixão, empenho, tradição, alegria, decepções. São sentimentos que perpassam o documentário Espírito Samba, uma obra que retrata um pouco do carnaval capixaba e suas escolas de samba. O filme será lançado na próxima quarta-feira (13), às 22h45, com transmissão em televisão aberta por meio da TVE e também na página do Facebook do canal.

A produção é do Instituto Raízes com direção de Jocelino Júnior, entrevistando uma diversidade de participantes de várias escolas: homens mulheres, jovens, adultos, idosos, passistas, diretores, compositores, carnavalescos, entre outros.

A gravação aconteceu durante os preparativos e execução dos desfiles de carnaval de 2019, que a equipe de filmagem acompanhou registrando depoimentos e também imagens do Sambão do Povo no calor da avenida. "Há muitas emoções porque as pessoas se envolvem muito no carnaval, porque é uma paixão e o Carnaval de Vitória é feito com muita garra e determinação por conta da falta de investimentos, de financiamento", diz Jocelino, que buscou registrar as histórias e paixões de alguns desses personagens que constroem a festa.

O filme dá voz a grandes mestres, mas também destaca o trabalho e talento de uma nova geração que não perde a referência dos mais antigos nem de suas comunidades, passando também pelas tensões e barreiras a serem superadas, como questões geracionais, de gênero e de classe. As Dandaras do Samba, grupo que reúne mulheres de várias escolas que atuam em distintas frentes do carnaval, é um dos exemplos da luta por igualdade, equidade e inclusão.

O diretor destaca que, apesar da tradição da festa, há carência de registros sobre a história e o presente do carnaval capixaba para além das fontes oficiais, com pouquíssimos filmes ou livros que retratem questões dessa tradição que perpassa gerações e mobiliza comunidades.

Fruto de um projeto iniciado em 2008 na Piedade e Fonte Grande, morros localizados no entorno do Centro de Vitória, o Instituto Raízes tem como uma de suas missões criar acervo e ações de salvaguarda da memória do samba. Surgido no berço da primeira escola de samba do Espírito Santo, a Unidos da Piedade, o Instituto Raízes extrapolou não só os limites territoriais de onde surgiu, como também o samba.

Contando com uma casa que serve como Ponto de Memória do samba capixaba há cinco anos, a entidade tem atuado em áreas como cultura, juventude, direitos humanos e cidadania. "Temos nos dedicado a pensar os sujeitos das escolas de samba para além da escola de samba. Ritmistas, passistas, Velha Guarda, todos têm suas vidas para além da escola de samba e pensamos nelas o ano inteiro, com ações de valorização do sujeito e proteção à vida", diz Jocelino Júnior, enfatizando que uma das ações do momento de pandemia é o combate à fome e auxílio às famílias mais necessitadas com doações.

Em 2018, o Instituto Raízes recebeu o Prêmio de Direitos Humanos do Governo do Estado pela atuação em favor da comunidade da Piedade diante da grande crise de violência que gerou mortes e obrigou muitos moradores a abandonarem suas casas.

Veja mais notícias sobre Cultura.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sábado, 28 Novembro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/

No Internet Connection