Sexta, 24 Setembro 2021

Secretária de Educação desmarca mais uma reunião com professores em Vitória

juliana_roshner_2_seme_vitoria PMV

Pela segunda vez consecutiva, a reunião entre a Comissão de Aprovados do Concurso do Magistério de Vitória, o grupo Professores Associados pela Democracia (PAD-Vix) e a secretária de Educação, Juliana Rohsner Vianna Toniati, foi cancelada pela gestão municipal. A alegação, desta vez, é "que apareceu uma agenda de emergência". O principal ponto de pauta seria a convocação dos aprovados no último concurso da área.

Diante do novo cancelamento, na véspera do encontro, o diretor executivo da Pad-Vix, Aguinaldo Rocha de Souza, reforçou que os trabalhadores "não se sentem priorizados no processo". A notícia, segundo ele, foi recebida com tristeza. "Queremos dialogar. Quem está na espera para a convocação sempre sofre com isso. É a vida profissional deles que está em jogo", desabafa.

Aguinaldo chama atenção para o fato de que, além da secretária, existem três subsecretários. Portanto, na impossibilidade da gestora receber o grupo, qualquer um dos subsecretários poderia fazê-lo. O professor destaca ainda que, para participar da reunião, as pessoas se organizaram, buscando adequar suas agendas para garantir a presença, tendo que conciliar com compromissos de trabalho, familiares e sociais.

A primeira reunião, que aconteceria no último dia 14, foi desmarcada poucas horas antes do marcado. A atitude, na ocasião, foi classificada pelos professores como "antidemocrática", já que foi tomada para evitar a manifestação em frente à Secretaria Municipal de Educação, prevista para o mesmo dia e horário.

Convocação dos aprovados

Segundo Aguinaldo, a secretária Juliana afirmou que serão chamadas 46 pessoas para as vagas de insubsistência, mas a demanda é bem maior. Esse assunto seria debatido na reunião desta quarta-feira. Vagas de insubsistência, explica, são as pessoas que foram convocadas, mas abriram mão do cargo. Embora não saiba precisar a quantidade, o diretor da Pad-Vix acredita que há um número maior de vagas desse tipo.

Além disso, afirma, em pesquisa informal, foi possível detectar mais de 120 vagas disponíveis, surgidas a partir de pedidos de exoneração, aposentadorias e criação de novas unidades de ensino.
Ministério Público

Após o cancelamento da primeira reunião, os representantes da Pad-Vix e da Comissão de Aprovados foram ao Ministério Público do Espírito Santo (MPES), onde fizeram uma denúncia. No MPES, questionaram sobre a solicitação feita ao órgão para que elenque aos diretores das unidades de ensino municipais informações como cargos não ocupados, contratos temporários, e necessidades de adequação à tipologia da escola. Os dados foram solicitados para que seja possível conhecer mais profundamente a realidade das unidades e tomar as providências cabíveis para melhoria da educação municipal.

Entre as informações pleiteadas está a quantidade de vagas por cargo e turno de postos vagos ocupados por Contratos de Tempo Determinado (CTDs), Carga Suplementar de Trabalho (CST) e por profissionais do Programa Aprende +, da organização Ensina Brasil.

Outra informação solicitada ao MPES é sobre os cargos em vacância. A informação que se tem é de que faltam professores na educação especial e que, em breve, essa defasagem pode aumentar, pois cerca de 60 profissionais dessa área terão seus contratos encerrados este mês, não havendo concurso público nem processo seletivo para preenchimento das vagas.

Entidade solicita ao MPES diagnóstico das escolas de Vitória

Pad-Vix quer informações como a quantidade de contratos temporários e postos vagos, para judicializar demandas
https://www.seculodiario.com.br/educacao/pad-vix-solicita-ao-mpes-diagnostico-das-escolas-municipais-de-vitoria

Veja mais notícias sobre Educação.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 24 Setembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/