Dólar Comercial: R$ 5,31 • Euro: R$ 6,00
Sexta, 14 Agosto 2020

​Eleição do Sindicomerciários pode ser anulada três anos depois das denúncias

mpt_sindijornalistases Sindijornalistas ES

Adulteração de urnas, fraude na contagem de votos, proibição de eleitores da Chapa 2 de votar, atos de violência física e acusações de supostas corrupção com enriquecimento ilícito. Nesse cenário, sem possibilidade de acordo, pode ser anulada a eleição do Sindicato dos Comerciários no Espírito Santo (Sindicomerciários-ES), o maior do Estado, três anos depois de realizada, em 2017. 

A ação, ajuizada por Gedson de Freitas e Luiz Antonio da Silva, recebeu parecer favorável do Ministério Público do Trabalho (MPT), que "opina pela procedência parcial dos pedidos das ações em apreço...postulando pela anulação do processo eleitoral".

O documento considera que, "com base no exposto, foram verificados diversos indícios e provas de situações que atentam contra a lisura do processo eleitoral realizado em 2017 para composição da diretoria", conclui o parecer dos procuradores Janine Milbratz Fiorot, Antônio Carlo Lopes Soares e Maria de Lourdes Hora Rocha.

A decisão é mais um capítulo do embate entre a atual diretoria e a Chapa 2 pelo controle do sindicato, que reúne cerca de 110 mil trabalhadores de vários setores, com uma movimentação anual de mais de R$ 10 milhões. O pedido de anulação da eleição seria julgado em 2018, mas foi adiado por conta da substituição da juíza designada para o caso, Alda Pereira dos Santos Botelho.

Gedson de Freitas, coordenador da chapa perdedora, que lidera as denúncias contra a diretoria, aponta quatro diretores por enriquecimento ilícito, ao privilegiar empresas de familiares em convênios de planos de saúde e seguros de vida. Gedson afirma ainda que há membros da atual diretoria, cujo mandato se encerraria em 2021, que pertencem a outra categoria.

A ação pedia uma liminar, em caráter de urgência, negada pela juíza. Segundo Gedson, a perícia designada pela Justiça para avaliar as provas do processo encontrou várias fraudes, entre elas o fechamento de urnas antes da 17 horas, prazo estabelecido pela Justiça, em vários municípios. 

O atual presidente, Rodrigo Rocha, ocupava o cargo de tesoureiro na gestão de Jakson Andrade, que durou 10 anos. Na nova composição, Jakson passou para tesoureiro e Rodrigo foi alçado à presidência por meio da eleição, supostamente fraudulenta.

Uma forma de manter o mesmo grupo no controle da entidade de classe, no quatriênio 2017-2021. A chapa de oposição era liderada por Gedson de Freitas, rompido com a diretoria depois de 19 anos, que denunciou e ajuizou uma ação na Justiça.

Gedson de Freitas, da Chapa 2, apontou, além de irregularidades no processo de votação, o uso do sindicato para a comercialização de planos de saúde e seguro de vida, visando o favorecimento de membros da diretoria.

Veja mais notícias sobre Sindicato.

Veja também:

 

Comentários: 6

Márcio Souza em Segunda, 06 Julho 2020 19:46

Todo processo eleitoral deve ser observado a vontade dos trabalhadores, não se pode pregar uma coisa e a prática ser outra.
Os trabalhadores comerciários merecem respeito.

Todo processo eleitoral deve ser observado a vontade dos trabalhadores, não se pode pregar uma coisa e a prática ser outra. Os trabalhadores comerciários merecem respeito.
Paulo cesar em Segunda, 06 Julho 2020 20:49

Na época ouve muito empenho de todos diretores e depois do trabalho ser muito feito catando canto norte,Sul,leste,oeste vc receber uma notícia que perdeu pó glande dói muito vê que seu trabalho foi em vão.

Na época ouve muito empenho de todos diretores e depois do trabalho ser muito feito catando canto norte,Sul,leste,oeste vc receber uma notícia que perdeu pó glande dói muito vê que seu trabalho foi em vão.
Paulo cesar em Segunda, 06 Julho 2020 20:52

Um trabalho que não foi reconhecido vc vê os próprios fiscais que se dizia o está do nosso lado sendo comprado.

Um trabalho que não foi reconhecido vc vê os próprios fiscais que se dizia o está do nosso lado sendo comprado.
Marcos Ribeiro Pereira em Segunda, 06 Julho 2020 21:18

Queremos q a justiça seja feita e q os trabalhadores tenha orgulho do órgão q os defende .estamos juntos chapa 2

Queremos q a justiça seja feita e q os trabalhadores tenha orgulho do órgão q os defende .estamos juntos chapa 2
Marcio Jose Araujo Ribeiro em Terça, 07 Julho 2020 10:46

Sabemos que a justiça tarda mas não falha, e agora ela será feita.
Rumo ao novo com a CHAPA 2

Sabemos que a justiça tarda mas não falha, e agora ela será feita. Rumo ao novo com a CHAPA 2
Alexandre em Terça, 07 Julho 2020 20:23

Uma classe que luta contra tudo e contra todos, não merece um pleito com esse nível. Merecemos mais respeito! Acreditamos na justiça divina e a posição do MP nos trás esperança.

Uma classe que luta contra tudo e contra todos, não merece um pleito com esse nível. Merecemos mais respeito! Acreditamos na justiça divina e a posição do MP nos trás esperança.
Visitante
Sexta, 14 Agosto 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/

No Internet Connection