Dólar Comercial: R$ 5,31 • Euro: R$ 6,00
Quinta, 13 Agosto 2020

Deputados convocam Fundação Renova para depor em CPI

rejeito_toxico_rio_doce_leonardo_sa_10 Leonardo Sá

Um reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito da Sonegação (CPI da Sonegação) nesta segunda-feira (27) aprovou novamente a convocação de representantes da Fundação Renova para depor. O encontro previsto para dia 7 de agosto, às 14h, será feito por meio de reunião conjunta com a Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa.

Segundo o deputado estadual Enivaldo dos Anjos (PSD), a junção entre a CPI e a Comissão para convocação busca aumentar a pressão para encontrar saídas definitivas para os problemas que envolvem a gestão da Fundação Renova, entidade responsável pelas atividades de reparação do crime da Samarco/Vale-BHP ocorrido em 2015, com o rompimento da barragem de rejeitos na cidade de Mariana (MG), que afetou o Rio Doce e se estendeu até o litoral do Espírito Santo.

Os deputados querem saber sobre a falta de pagamento continuado a pescadores e ribeirinhos afetados pelo crime e também obter mais informações sobre o andamento das ações de reparação da fundação a pessoas e ao meio ambiente.

Em agosto do ano passado, a Assembleia criou a Comissão Especial de Acompanhamento e Apuração dos atos da Fundação Renova, composta por nove parlamentares para apurar o cumprimento dos acordos assinados entre a entidade, empresas e o poder público para reparação dos danos econômicos, sociais, culturais e ambientais decorrentes do crime de 2015.

Outras pedidos foram feitos pela comissão parlamentar para convocar diversos dirigentes da fundação. Em outubro de 2019, o deputado Euclério Sampaio (DEM) chegou a pedir prisão preventiva do então diretor-presidente da Fundação Renova, Roberto Waack, por haver mentido em sessão anterior.

Em dezembro de 2019, a CPI, que investiga crimes de sonegação em diversos setores da economia, convocou 24 pessoas entre gestores e funcionários da Fundação Renova, os presidentes das mineradoras Samarco, Vale e BHP Billiton e representantes de empresas seguradoras.O resultado foi que 12 dos convocados apresentaram habeas corpus preventivos que deram o direito de não comparecer à reunião realizada no dia 4 de dezembro no Plenário Dirceu Cardoso na Ales. Outros não se apresentaram nem mostraram justificativas.

Na sessão desta segunda-feira, a CPI da Sonegação teve prazo de duração ampliado por mais um ano, a contar a partir de novembro, quando termina o prazo de atividades anteriormente previstos.

Decisão unilateral

No início deste mês, a Renova decidiu suspender o pagamento do auxílio financeiro emergencial (AFE) para os atingidos pelo crime, o que provocou revolta e protesto por parte dos atingidos no Espírito Santo e Minas Gerais.

As Defensorias Públicas do Estado do Espírito Santo, de Minas Gerais e da União, integrantes do Grupo Interdefensorial do Rio Doce (GIRD), denunciaram a Fundação Renova e suas empresas mantenedoras (Vale S/A, BHP Billiton e Samarco Mineração S/A) ao Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH), pedindo instauração de procedimento investigativo.

Veja mais notícias sobre Meio Ambiente.

Veja também:

 

Comentários: 1

Maiara do Nascimento em Quarta, 29 Julho 2020 19:33

Mas essa Marcos vai continuar pagando os pescadores

Mas essa Marcos vai continuar pagando os pescadores
Visitante
Sexta, 14 Agosto 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/

No Internet Connection