Domingo, 26 Junho 2022

Camila Valadão aciona Procuradoria da Câmara contra projeto transfóbico

camila_valadao_assessoria_9 Divulgação

A vereadora de Vitória Camila Valadão (Psol) acionou a Procuradoria Geral da Câmara Municipal com questionamentos sobre o Projeto de Lei 93/2022, que proíbe o uso de banheiros unissex e tem sido criticado pelo teor transfóbico. A parlamentar questiona o baixo quórum de vereadores no momento da votação da matéria, aprovada nessa segunda-feira (6).

No momento em que o texto foi votado, a sessão contava com a presença de oito vereadores, sendo aprovada com seis votos favoráveis e dois contrários. No requerimento encaminhado à Procuradoria Geral, Camila explica que, por se tratar de um tema relacionado ao Código de Posturas Municipais, o projeto precisaria ter a aprovação de nove dos quinze vereadores.

"Tal código é responsável por definir e estabelecer as normas de organização do meio urbano e a preservação de sua identidade como fatores essenciais para o bem-estar da população, buscando alcançar condições mínimas de segurança, conforto, higiene e organização do uso dos bens e exercício de atividades (...) No tocante às matérias pertencentes ao Código de Postura, se faz necessária a aplicação do quórum qualificado de 3/5 (três quintos) dos membros da Câmara para aprovação da proposta", diz o requerimento.

Camila afirma que o projeto deveria ter sido dado como rejeitado durante a sessão de segunda, ressaltando que tentou apresentar questão de ordem à presidência da Câmara, sem êxito.

No requerimento, que inicialmente foi enviado ao próprio presidente da Câmara, Davi Esmael (PSD), Camila pede que a declaração do resultado da sessão em questão seja anulada e que o projeto seja tido como rejeitado. Caso isso ocorra, a parlamentar também pede que seja avaliada a necessidade de uma nova votação.

No plenário, o projeto foi aprovado com os votos favoráveis de André Brandino (PSC), Armandinho Fontoura (Podemos), Dalto Neves (PDT), Gilvan da Federal (PL), Luiz Emanuel (Cidadania) e Maurício Leite (Cidadania). Apenas Karla Coser (PT) e Camila Valadão (Psol) votaram contra. O presidente da Casa da Câmara, Davi Esmael (PSD), não votou, mas foi um dos coautores da matéria.

Nessa terça-feira (7), o Grupo Orgulho, Liberdade e Dignidade (Associação Gold) enviou um ofício ao prefeito Lorenzo Pazolini (Republicanos), cobrando que o PL seja vetado. A matéria é semelhante a um projeto recente considerado inconstitucional pela Procuradoria da Câmara, tendo sido apontado como um ataque à dignidade humana.

"Qualquer lei que atente contra a dignidade da pessoa humana é um risco. Uma lei desse tipo reforça preconceitos e pode até resultar em violência física. As pessoas vão se sentir amparadas na lei para impedir o acesso das pessoas aos banheiros", disse o presidente da Associação Gold.

Associação cobra que prefeito vete projeto transfóbico em Vitória

Ofício foi enviado à gestão de Pazolini nesta terça-feira, após aprovação na Câmara de PL que proíbe uso de banheiros unissex
https://www.seculodiario.com.br/politica/associacao-cobra-que-executivo-vete-projeto-transfobico-em-vitoria

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Domingo, 26 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/