Quinta, 20 Janeiro 2022

Amunes agora defende piso, mas com federalização das carreiras da Enfermagem

victor_coelho_camara_redessociais Redes sociais

A Associação dos Municípios do Espírito Santo (Amunes) assina um novo documento enviado ao Senado pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), no qual é solicitado que, caso seja aprovado o Projeto de Lei nº 2.564, de autoria do senador Fabiano Contarato (Rede), que institui o piso nacional dos enfermeiros, técnicos, auxiliares de enfermagem e parteiras, os servidores dos municípios sejam transferidos para União, federalizando essas carreiras.

A sugestão, diz a CNM, é porque segundo a Confederação, a efetivação do piso terá impacto de R$ 49,5 bilhões por ano aos municípios. "Esta entidade não é contrária à valorização destes profissionais, razão pela qual sinaliza para a solução apontada acima e que não estaria contrariando os princípios da Lei de Responsabilidade Fiscal. Existem hoje 781 mil profissionais de enfermagem empregados pelos municípios, direta e indiretamente", aponta.

A CNM, que já havia enviado ao Senado um documento no qual aponta esse impacto, afirma entender "a necessidade de valorização dessas carreiras", mas diz que "o movimento municipalista considera que a proposta [Projeto de Lei nº 2.564], além de irrealista, desrespeita a autonomia dos gestores locais e desconsidera as desigualdades regionais do nosso país.
Os municípios brasileiros esperam que o Senado da República, a Casa da Federação Brasileira, impeça esta insensatez, que, invariavelmente, deixará as administrações em imediato colapso fiscal".

No novo documento, a Confederação diz que considera "justa a reivindicação dessas categorias", tratando a proposta de federalização como uma forma de viabilizá-la. Os municípios alegam que o total de servidores da saúde contratados diretamente pelas prefeituras é de aproximadamente 1,9 milhão, enquanto que a União mantém 91 mil funcionários. "A União retém mais de 50% da carga tributária, enquanto os municípios ficam com 23%".

Segundo a CNM, para os enfermeiros, o piso pretendido pelo PL corresponde a 2,5 vezes o salário médio praticado nos municípios, assim como no caso dos auxiliares de enfermagem e parteiras. Já no caso dos técnicos de enfermagem, que de acordo com a entidade, correspondem ao maior quantitativo de empregados, o piso é 3,1 vezes maior que o salário médio de 2021. "O aumento de despesa de pessoal a ser gerado por este impacto, se assumido pelos municípios, colocaria os entes numa situação de total descumprimento aos dispositivos da Lei de Responsabilidade Fiscal", diz o documento. 

A CNM reivindica também o apoio do Senado e das categorias funcionais da saúde "para discutir junto ao Governo Federal e segmentos envolvidos, o refinanciamento do SUS [Sistema Único de Saúde] de forma a capacitá-lo para efetivamente fazer frente ao dispositivo constitucional da universalização da saúde e atendimento da saúde da população, colocando no sistema mais dinheiro da União, que não aporta os recursos indispensáveis para que o SUS cumpra seus objetivos". 

O piso, de acordo com o projeto, seria de R$ 7,3 mil mensais para enfermeiros, R$ 5,1 mil para técnicos de enfermagem, e R$ 3,6 mil para auxiliares de enfermagem e parteiras. O valor estabelecido, no caso dos enfermeiros, é para jornada de 30 horas semanais. Em caso de jornadas superiores, o piso salarial terá a correspondência proporcional.

Assim como as entidades que representam os gestores municipais, a proposta também enfrenta resistências das organizações, planos e empresários da Saúde, o que atrasa sua votação no Senado. 

Nessa quarta-feira (12), Dia Internacional da Enfermagem, a categoria realizou uma mobilização nacional. No Espírito Santo, a principal reivindicação foi a assinatura dos senadores no requerimento de votação do Projeto de Lei nº 2.564/2021. Da bancada capixaba, Marcos do Val (Podemos) e Rose de Freitas (MDB) já se manifestaram a favor do projeto de Fabiano Contarato (Rede).

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários: 9

Cristiano Ferreira da silva em Sábado, 15 Mai 2021 22:28

Aqui em Rondônia, ae, em todo o Brasil os profissionais da saúde não tiveram seus salários corrigidos conforme o salário mínimo subiu e a inflação acumulou....enquanto isso salário do judiciário, salário dos políticos, foram tendo correções anuais ....sim o acumulo das correções em nossos salários, agora é um peso para governos e prefeituras que não se importaram em atualiza-los anualmente, incluindo nos seus planejamentos. Agora estão chorando ae achando que é muito.... façam uma faculdade, trabalhem como nós trabalhamos...pq não falamos apenas, nós estamos lá acordados cuidando de vocês...nos respeitem, não somos insanos, não somos lixos, somos seres humanos e precisamos ser respeitados...um técnico de enfermagem não mantém uma família mesmo tendo dois ou três empregos e ainda vendendo produtos de revistas pra ajudar

Aqui em Rondônia, ae, em todo o Brasil os profissionais da saúde não tiveram seus salários corrigidos conforme o salário mínimo subiu e a inflação acumulou....enquanto isso salário do judiciário, salário dos políticos, foram tendo correções anuais ....sim o acumulo das correções em nossos salários, agora é um peso para governos e prefeituras que não se importaram em atualiza-los anualmente, incluindo nos seus planejamentos. Agora estão chorando ae achando que é muito.... façam uma faculdade, trabalhem como nós trabalhamos...pq não falamos apenas, nós estamos lá acordados cuidando de vocês...nos respeitem, não somos insanos, não somos lixos, somos seres humanos e precisamos ser respeitados...um técnico de enfermagem não mantém uma família mesmo tendo dois ou três empregos e ainda vendendo produtos de revistas pra ajudar
Kamila em Quarta, 19 Mai 2021 14:33

Falo tudo ????????????????????

Falo tudo ????????????????????
Ana Paula em Domingo, 16 Mai 2021 03:09

Os políticos que não concordam com o piso salarial da enfermagem e as 30h,prescisao necessitar de um enfermeiro e um técnico de enfermagem em seus leitos para dar banho, fazer curativo ,dar suas medicações nos horários e não te-los ali pra isso, pra saber o qual necessário e o nosso trabalho pra quem esta em um leito de hospital.

Os políticos que não concordam com o piso salarial da enfermagem e as 30h,prescisao necessitar de um enfermeiro e um técnico de enfermagem em seus leitos para dar banho, fazer curativo ,dar suas medicações nos horários e não te-los ali pra isso, pra saber o qual necessário e o nosso trabalho pra quem esta em um leito de hospital.
NAIARA MAIA CAVALCANTE SANTANA em Domingo, 16 Mai 2021 14:38

Não vejo nenhum problema na federalização, pelo contrário acho que seria mais uma Vitória, pois o governo federal raramente atrasa os salarios dos seus servidores e segue a risca as leis. Os ACS foram federalizados e hoje no meu município eles recebem mais que um enfermeiro, Brasil! Vai entender.

Não vejo nenhum problema na federalização, pelo contrário acho que seria mais uma Vitória, pois o governo federal raramente atrasa os salarios dos seus servidores e segue a risca as leis. Os ACS foram federalizados e hoje no meu município eles recebem mais que um enfermeiro, Brasil! Vai entender.
Joaquim Silva em Segunda, 17 Mai 2021 10:42

Eu acho super válida essa luta, o problema é que o pessoal que fez essa tabela acabou extrapolando. Nenhum empregador aguentaria pagar isso para todos os profissionais... OBSERVE o que vou dizer, o caminho dessa luta está errado, o que deveria acontecer é sim estabelecer um plano de carreira para cada uma das categorias, onde o salário aumentaria de acordo com o tempo de serviço e especializações. ex: salario inicial de 2500 para técnicos.. depois de X anos 3000.. depois 3500.. até que um técnico com mais de 20 anos ganhe esses 5.600 que estão pedindo. Os enfermeiros também iriam nessa toada, iniciando ganhando uns 5-6 mil e depois de X anos (uns 20) chegariam a 12-13 mil... isso seria racional e programável. Pessoal, a hora é de nos unirmos, mas de maneira lógica, colocar esse projeto assim é inviável, todos vão ficar contra nós. Imagine assistentes sociais, fisioteraputas, que ganham 3-4-5 mil, eles achariam justo ganhar menos que um técnico EM INÍCIO de carreira? ACORDA ENFERMAGEM

Eu acho super válida essa luta, o problema é que o pessoal que fez essa tabela acabou extrapolando. Nenhum empregador aguentaria pagar isso para todos os profissionais... OBSERVE o que vou dizer, o caminho dessa luta está errado, o que deveria acontecer é sim estabelecer um plano de carreira para cada uma das categorias, onde o salário aumentaria de acordo com o tempo de serviço e especializações. ex: salario inicial de 2500 para técnicos.. depois de X anos 3000.. depois 3500.. até que um técnico com mais de 20 anos ganhe esses 5.600 que estão pedindo. Os enfermeiros também iriam nessa toada, iniciando ganhando uns 5-6 mil e depois de X anos (uns 20) chegariam a 12-13 mil... isso seria racional e programável. Pessoal, a hora é de nos unirmos, mas de maneira lógica, colocar esse projeto assim é inviável, todos vão ficar contra nós. Imagine assistentes sociais, fisioteraputas, que ganham 3-4-5 mil, eles achariam justo ganhar menos que um técnico EM INÍCIO de carreira? ACORDA ENFERMAGEM
Amanda em Segunda, 17 Mai 2021 12:04

Eu acho hipócrita da parte dele falar que se o piso for aprovado gera um colapso, sendo que para aumentar o salário do presidente e ministros em até 69% está tudo bem né, acho JUSTO salário de até 7 mil, mas tem que haver estratégia, o estado mandar mais dinheiro aos municípios para dá conta de pagar

Eu acho hipócrita da parte dele falar que se o piso for aprovado gera um colapso, sendo que para aumentar o salário do presidente e ministros em até 69% está tudo bem né, acho JUSTO salário de até 7 mil, mas tem que haver estratégia, o estado mandar mais dinheiro aos municípios para dá conta de pagar
alan cordeiro passos em Terça, 18 Mai 2021 23:21

pessoal um tecnico em enfermagem 25 anos atras ganhava em torno de 3 salarios minimos e meio , fora isalubridade, adicional noturno , feriado em dobro e outros beneficios , o que com certeza ultrapasa o piso que esta sendo podido hoje,a anos a enfermagem nao tem aumento ,o salario minimo aumenta e o da enferamgem fica estagnado.ja vi sindicatos fazerem greves para melhrar os salarios dos enfermeiros , e gente mesmo depois de greve , paralizaçao,conseguiam 4% de aumento, 40 reais de aumento. um absurdo. para o coitado do tecnico sobreviver ele tem que trabalhar em 2 empregos ou as vezes 3, ja vi colegas morrerem no emprego devido a fadiga e cansaço.as empresas que se adequem e paguem o piso pretendido, sao mais que merecedores, agora e obvio que vao precisar de apoio financeiro do governo para arcar com a folha de pagamento,um piso salarial e muito justo para a categoria, vai acabar com a discrepancia salarial que existe no pais, onde na capital paga 4,500 para um enfermeiro e no interior salario minimo , a mesma profissao, o mesmo cofen ou coren , os mesmos riscos.. s todos somos iguais perante a lei ou nao ?

pessoal um tecnico em enfermagem 25 anos atras ganhava em torno de 3 salarios minimos e meio , fora isalubridade, adicional noturno , feriado em dobro e outros beneficios , o que com certeza ultrapasa o piso que esta sendo podido hoje,a anos a enfermagem nao tem aumento ,o salario minimo aumenta e o da enferamgem fica estagnado.ja vi sindicatos fazerem greves para melhrar os salarios dos enfermeiros , e gente mesmo depois de greve , paralizaçao,conseguiam 4% de aumento, 40 reais de aumento. um absurdo. para o coitado do tecnico sobreviver ele tem que trabalhar em 2 empregos ou as vezes 3, ja vi colegas morrerem no emprego devido a fadiga e cansaço.as empresas que se adequem e paguem o piso pretendido, sao mais que merecedores, agora e obvio que vao precisar de apoio financeiro do governo para arcar com a folha de pagamento,um piso salarial e muito justo para a categoria, vai acabar com a discrepancia salarial que existe no pais, onde na capital paga 4,500 para um enfermeiro e no interior salario minimo , a mesma profissao, o mesmo cofen ou coren , os mesmos riscos.. s todos somos iguais perante a lei ou nao ?
Lucelia Guedes em Sexta, 21 Mai 2021 10:45

O aumento de 3 vezes mais o salario atual é so mais uma prova de quão é desvalorizada a enfermagem, o quão indigno é seu salario principalmente diante as atividades exercidas e suas responsabilidades. Se a enfermagem hoje parar quantas vidas podem se perder. Os médicos tem seu valor em status e salario, mas é a enfermagem quem põe a mão na massa. Quem punciona? Quem da banho? Troca? Faz curativo? Administra medicamentos? afere dados? Passa sonda? Entre outras coisas
A saúde sem a enfermagem não funciona. Olha os salários dos senadores....quantos auxílios
E a enfermagem trabalhando em 2 /3 serviços porque em alguns casos recebe menos que um salario mínimo. É vergonhoso.
Em meio a este caos, a enfermagem esta ali prestando todos os cuidados, mais que nunca merece seu merecido reconhecimento e valor.

O aumento de 3 vezes mais o salario atual é so mais uma prova de quão é desvalorizada a enfermagem, o quão indigno é seu salario principalmente diante as atividades exercidas e suas responsabilidades. Se a enfermagem hoje parar quantas vidas podem se perder. Os médicos tem seu valor em status e salario, mas é a enfermagem quem põe a mão na massa. Quem punciona? Quem da banho? Troca? Faz curativo? Administra medicamentos? afere dados? Passa sonda? Entre outras coisas A saúde sem a enfermagem não funciona. Olha os salários dos senadores....quantos auxílios E a enfermagem trabalhando em 2 /3 serviços porque em alguns casos recebe menos que um salario mínimo. É vergonhoso. Em meio a este caos, a enfermagem esta ali prestando todos os cuidados, mais que nunca merece seu merecido reconhecimento e valor.
RICARDO CARVALHO em Domingo, 23 Mai 2021 16:05

AMUNES DISSE QUE OS MUNICIPIOS NÃO TEM DINHEIRO PARA PODER PAGAR O AUMENTO DE SALARIO DA ENFERMAGEM, MAS TEM DINHEIRO PARA PARA VEREADORES, ACESSORES, TELEFONE, GASOLINA E MAIS AUXILIO COMO ESPLICAR ISSSO

AMUNES DISSE QUE OS MUNICIPIOS NÃO TEM DINHEIRO PARA PODER PAGAR O AUMENTO DE SALARIO DA ENFERMAGEM, MAS TEM DINHEIRO PARA PARA VEREADORES, ACESSORES, TELEFONE, GASOLINA E MAIS AUXILIO COMO ESPLICAR ISSSO
Visitante
Quinta, 20 Janeiro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/