Sábado, 04 Dezembro 2021

​Militantes afirmam que movimento 'Fora Bolsonaro' estará nas ruas no dia 7

j03_leonardo_sa-13 Leonardo Sá

A presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Espírito Santo, Clemildes Cortes Pereira, confirmou nesta terça-feira (31) a participação do movimento "Fora Bolsonaro" nas manifestações do dia 7 de Setembro, quando é comemorada a independência do Brasil, juntando-se ao tradicional "Grito dos Excluídos", que é promovido por setores da Igreja Católica. "Estamos trabalhando para mobilizar o pessoal", diz a dirigente sindical.

Da mesma forma, a integrante do movimento Impeachment Já!, Maria Clara Gama, que em junho deste ano, na visita do presidente, foi ao aeroporto de Vitória portando um cartão fazendo menção aos mortos pela Covid, disse esperar que a manifestação contra Bolsonaro consiga mobilizar a população para enfrentar o que ela considera um governo fascista, reconhecendo, no entanto, que desta feita, o protesto será menor.

"A esquerda encolheu, mas eu espero que o bolsonarismo também tenha encolhido, e essa é a minha esperança. Eles não terão força para chegar a um 'grand finale' que vá romper com as instituições. Acredito que isso não vai acontecer. Até lá a gente vai continuar sofrendo com essa inércia do Estado se voltando contra si mesmo", disse Maria Clara, ressaltando: "Vamos participar e estamos incentivando todo mundo a apoiar".

Para ela, o que está acontecendo no Brasil é um cenário no qual as "pessoas que estão no controle do Estado se voltam para a destruição das instituições, uma das características do fascismo. "Mas entendo que eles não vão ter força, porque contam apenas com parte muito apaixonada do bolsonarismo, mas também muito pequena", disse Maria Clara.

Neste ano, o tom político da manifestação ganhou reforço com a divulgação de uma carta assinada por 152 arcebispos e bispos da igreja com críticas ao presidente Jair Bolsonaro. Os religiosos afirmam que o governo mostra "omissão, apatia e rechaço pelos mais pobres" e "incapacidade para enfrentar crises".

A presidente da CUT-ES destacou a mobilização a fim de ampliar a participação de ativistas, o que inclui as quatro centrais sindicais, mais entidade estudantis e partidos políticos.

"O Fórum Igreja e Sociedade está chamando através do Vicariato, e nós estamos na construção do ato, que será composto por sete temas como a terra, trabalho, vacina, auxílio emergencial de R$ 600 e fora Bolsonaro".

A passeata vai sair praça Getúlio Vargas, Centro de Vitória, às 8h30, até a Prefeitura de Vitória.

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sábado, 04 Dezembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/