Sexta, 22 Outubro 2021

Uma semana depois da vinda de Bolsonaro, capixabas voltam a protestar

faixa_contra_bolsonaro_divulgacao Coletivo Dona Astrogilda

No último dia 11, Jair Bolsonaro fez sua primeira visita ao Espírito Santo como presidente da República, depois de dois anos e meio de mandato. Sua passagem teve como principal agenda a inauguração de um conjunto habitacional iniciado no governo de Dilma Rousseff e finalmente concluído em São Mateus, norte do Estado.

A programação inicial, que previa sobrevoo por obras federais, a entrega das casas, um passeio de moto com apoiadores e um encontro na Praça do Papa, em Vitória, acabou sendo encurtada, tendo as duas últimas atividades sido canceladas por medo de provocar aglomerações num momento em que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid pressionava o governo por atuar contra as recomendações internacionais.

Se bem a passagem do presidente pelo território capixaba foi marcada por grandes concentrações de pessoas no aeroporto de Vitória, também ocorreram pequenos atos marcantes, que inclusive repercutiram a nível nacional, mostrando a repulsa de parte dos capixabas.

Protesto conta Bolsonaro em São Mateus, onde o presidente inaugurou um conjunto habitacional. Foto: MST-ES

A primeira delas ocorreu ainda antes do presidente sair do aeroporto, quando resolveu visitar de surpresa um avião que se encontrava pousado. Ali, tirou fotos com tripulantes, mas também ouviu diversos gritos de repúdio vindo de algumas pessoas que se encontravam ao fundo da aeronave, o que viralizou após ser divulgado em vídeo.

Do lado de fora, enquanto os apoiadores com suas camisas verdes e amarelas gritavam "mito", a presença de Marica Clara Gama destoou. Com roupa escura e máscaras de proteção, ela segurava um cartaz com o dizer "Bem-Vindo + 500.000", numa referência ao número de 500 mil mortes por Covid-19 que o país deve alcançar nos próximos dias. O protesto solitário e silencioso da moradora de Cariacica e mestranda em Direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) em meio a gritos de ódio dos bolsonaristas também ganhou projeção nas redes e mídias nacionais e virou até um desenho feito pelo artista Cristiano Siqueira (@crisvector). Só no Instagram do Mídia Ninja, os vídeos do avião e do aeroporto tiveram juntos quase 1,5 milhão de visualizações.

Em São Mateus, antes da chegada da comitiva presidencial, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e outras entidades sociais se manifestaram nas ruas com faixas e cartazes e uma caminhada que terminou na Igreja Velha. Em Vitória, grupos estudantis e sindicais também colocaram faixas de protesto em diversos pontos da cidade durante a ocasião da visita do presidente.

Outro fato ocorreu em Aracruz, numa parada surpresa do presidente e sua comitiva na região de Santa Cruz. Enquanto se preparavam para embarcar no helicóptero para voltar para Vitória, tiveram que visualizar uma faixa que dizia "Derrotar Bolsonaro pela vida das mulheres". "Ninguém sabia que ele ia passar por Aracruz. Eu estava em casa fazendo atividades de trabalho remoto quando uma companheira informou que Bolsonaro estava lá", conta Leilany Santos Moreira, integrante do Coletivo de Mulheres Dona Astrogilda, que atua no município.

Ela então chamou Karla Pissinate, também integrante do coletivo, e foram ao local, não deixando de levar a faixa, que havia sido produzida para o ato de 8 de março, Dia Internacional das Mulheres. A intenção era levar o protesto e também apoiar a companheira que havia estado lá e foi coagida por protestar contra o presidente. As mulheres ficaram por cerca de 20 minutos com a faixa estendida de frente aos helicópteros enquanto o Bolsonaro tirava fotos com a população e se preparava para embarcar. Seguranças tentaram retirar a faixa, mas as mulheres reagiram e a mantiveram no local.

Divulgação/Coletivo de Mulheres Dona Astrogilda

"Muita gente saiu falando mal, gritando com a gente, os policiais nos fitando o tempo todo. Mas muitos, principalmente mulheres e também trabalhadores e estudantes, nos deram apoio naquele momento", disse Leilany.

Agora, elas se preparam para voltar às ruas para protestar contra Bolsonaro neste sábado (19). O ato acontece na sede de Aracruz, a partir das 9h, na praça principal do município. Quem convoca a ação é a Frente Fora Bolsonaro, Aracruz Sem Fome, que reúne partidos como PT, Psol, PCdoB, Movimento Nossa Aracruz, o próprio Coletivo de Mulheres Dona Astrogilda, Coletivo Lares, comunidades indígenas e MST. Um grupo ainda sairá de Aracruz após o ato para apoiar a atividade que ocorre em Vitória, a partir das 15h, com concentração no campus da Ufes em Goiabeiras.

Além da capital e Aracruz, ao menos outros cinco municípios do Espírito Santo devem realizar atividades contra Bolsonaro nesse 19J em Colatina, Linhares, Cachoeiro de Itapemirim, Nova Venécia e Marataízes. O primeiro ato de rua massivo contra o presidente durante a pandemia aconteceu em 29 de maio, contando com manifestação também em Vitória e no interior do estado.

Manifestações marcam manhã da visita de Bolsonaro em São Mateus

MST e outros movimentos sociais percorreram o Centro da cidade em protesto à condução da pandemia e políticas do governo
https://www.seculodiario.com.br/politica/manifestacoes-marcam-manha-da-visita-de-bolsonaro-em-sao-mateus

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários: 1

Agmarcarioca amigo do mito em Domingo, 20 Junho 2021 21:44

toda a culpa e do mito bora trabalhar sangue suga

toda a culpa e do mito bora trabalhar sangue suga
Visitante
Sexta, 22 Outubro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/