Sexta, 19 Agosto 2022

Votação de indeferidos pode mudar eleição para vereador

A contabilização dos votos de candidatos a vereador com registro indeferido pode mudar o resultado das eleições em sete municípios no Espírito Santo. Caso os recursos dos candidatos sejam admitidos pela Justiça Eleitoral, as composições das câmaras de vereadores de Guarapari, Presidente Kennedy, Castelo, Venda Nova do Imigrante, Rio Novo do Sul, Pinheiros e Guaçuí poderão sofrer mudanças. 



De acordo com relatório do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a metade dos municípios capixabas (39) registrou a presença de candidatos a vereador barrados. No entanto, a contagem dos votos só pode alterar o pleito em sete municípios. Na maioria dos casos, os candidatos indeferidos podem assumir a vaga de eleitos na coligação com menor número de votos. 



Uma dessas situações ocorre em Guarapari, onde o ex-presidente da Câmara, José Raimundo Dantas (PRP), que teve o registro indeferido, pode assumir a cadeira de Wanderlei (PDT). Dantas teve 1.733 votos contra 1.401 do pedetista, que poderá ficar de fora da próxima legislatura, uma vez que a coligação só fez um vereador. A defesa do ex-presidente da Câmara já recorreu ao TSE e aguarda o posicionamento dos ministros.



Situação semelhante à vivida por candidatos em Venda Nova, Pinheiros e Guaçuí. No primeiro município, o candidato Valdir Dias (PMDB) pode assumir a cadeira de Delei (PDT), por uma diferença de 42 votos. Em Pinheiros, Edson Pereira (PV) pode ficar com a vaga do colega de partido Irmão Dorias. 



Já em Guaçuí, pode acontecer uma dupla troca: os indeferidos José Luiz Pirovani (PDT) e Rubinho da Balança (PSD) podem substituir, respectivamente, os eleitos Professor Cícero (PDT) e José Lúcio Crise (PSB). 



Nos municípios de Castelo e Rio Novo do Sul, os votos de uma coligação não foram contabilizados por conta de irregularidades no registro. Em Castelo, a coligação PP e PSB poderá eleger um vereador, no caso da validação dos votos. O candidato mais bem votado na chapa foi Paulo Ivan Casagrande (PSC), com
 454 votos. 



Em Rio Novo do Sul, a coligação formada pelos partidos PSB, PRTB, PMN, PV, PT e PTN registrou os principais puxadores de voto, mas nenhum candidato teve o registro indeferido. Caso o resultado seja alterado, a coligação pode fazer de dois a três vereadores, sendo os principais nomes Venagino Bernardim, o Ginin (PSB), Seldinha Moreira (PRTB) e Mauro Zucoloto (PSB) – respectivamente, o segundo, terceira e quarto mais votados. 



Uma outra situação acontece nas eleições de Presidente Kennedy. Menos de uma semana para as eleições, o atual presidente da Câmara, José Carlos Barreto de Araújo (PSD), teve o registro de candidatura cassado por suposto crime eleitoral. O vereador ainda recorre da decisão do juízo de 1º grau. No pleito, o vereador obteve 316 votos – número insuficiente para elegê-lo, mas que garantia a legenda para o partido fazer um vereador. Neste caso, a vaga seria do atual vereador Tércio Jordão Gomes, que teve 332 votos.

Veja mais notícias sobre Política.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 19 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/