Dólar Comercial: R$ 5,27 • Euro: R$ 6,40
Sábado, 15 Mai 2021

Déficit de pessoal no Vila Velha Hospital é grave, avalia Conselho de Enfermagem

hospital_vila_Velha_divulgacao Divulgação
Divulgação

Começou a correr nesta segunda-feira (12) o prazo concedido pelo Conselho Regional de Enfermagem (Coren-ES) ao Vila Velha Hospital, para que sejam tomadas as medidas necessárias à resolução das diversas irregularidades constatadas durante inspeção efetuada na última sexta-feira (9), após manifestação feita por profissionais que trabalham no local, com apoio do Sindicato dos Enfermeiros (Sindienfermeiros/ES).

Divulgação

 A inspeção só pôde ser realizada sob acompanhamento da Polícia Federal, após horas de espera, sem que houvesse consentimento espontâneo da direção do hospital. Durante cerca de dez horas, os conselheiros se distribuíram entre as diferentes alas da instituição, verificando péssimas condições de trabalho, que, além de trazerem prejuízos para os trabalhadores, colocam em risco a segurança dos pacientes, sejam os de convênios particulares quanto os oriundos do Sistema Único de Saúde (SUS).

"O Coren é um órgão fiscalizador, não precisaria de polícia para entrar no hospital. E o que a gente encontrou lá dentro só reforça a atitude abusiva da instituição, de querer impedir o Coren de realizar seu papel", aponta a presidente do Coren-ES, Andressa Barcellos.

Uma das primeiras irregularidades constatadas foi o desrespeito à Nota Técnica nº 04 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que estabelece o "fluxo exclusivo dos pacientes com síndrome gripal nos prontos-socorros".

"Se o paciente tem sintoma gripal, ele tem que entrar num caminho diferente do paciente que não tem sintoma gripal. Eles não podem se encontrar dentro do hospital", descreve, salientando que a separação deve acontecer em todos os sentidos, desde o espaço físico até os instrumentos e laboratórios, e incluindo os profissionais que atendem aos dois públicos diferentes. "Se eu atendo um paciente com Covid e depois atendo outro que não tem Covid, sou uma fonte de infecção", reforça.

Faltam profissionais

Outra situação que chocou profundamente os conselheiros foi a defasagem de quadro de pessoal. A denúncia já havia sido feita na manifestação de sexta-feira, quando os enfermeiros afirmaram ter que cuidar de um número até duas vezes maior que o estabelecido na legislação.

A presidente do Coren-ES explica que o quantitativo exato, no entanto, sequer pôde ser medido, pois o hospital não dispõe do enfermeiro técnico responsável, que é quem faz esse dimensionamento. A contratação desse profissional é uma das primeiras exigências do relatório da inspeção e tem prazo de três dias pra ser cumprida, até esta quarta-feira (14). Após essa contratação, o dimensionamento precisa ser entregue em uma semana.

"É muito leito para pouco técnico e enfermeiro", afirma a presidente do Coren, de forma simples e direta. "Paciente com diagnóstico de Covid é grave e potencialmente grave", ressalta. A instabilidade e o cansaço respiratório são muito comuns, mesmo na enfermaria, o que demanda auxílio constante para as atividades mais elementares. "Demanda um olhar e um monitoramento maior", acentua.

Na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), então, afirma, a demanda é ainda maior, pois o paciente via de regra, se alimenta por sonda, permanece sedado, precisando de auxílio até para a limpeza oral, para fazer suas necessidades fisiológicas, além de receber a medicação no horário certo. "Se não tem profissional suficiente, o paciente é exposto a riscos extras", salienta. A posição de pronação, por exemplo, de virar o paciente de barriga pra baixo, pode requerer de seis a nove pessoas para ser realizada. E enquanto esses profissionais cuidam de um paciente, outros podem ficar desassistidos e terem piora no seu quadro de saúde.

Devido ao déficit grave de pessoal, o hospital tem trabalhado com muito remanejamento, o que não é a solução para o problema. "Estão tirando de outros setores para cobrir o setor de Covid", observou Andressa e os demais conselheiros. A manobra, explica, é perigosa, pois faz com que profissionais não habituados com a rotina de internação Covid tenham que se adaptar por conta própria, sem o devido treinamento.

A situação caótica, avalia a presidente do Coren, não se justifica, nem mesmo nesse momento de novo e mais intenso pico da pandemia no Estado, pois não tem sido registrada, com tamanha gravidade, em outros hospitais, nem privados nem públicos, apesar da sobrecarga de trabalho dos funcionários que todos atravessam. "É uma questão de planejamento, já estamos com um ano de pandemia".

EPIs e aglomerações

A inspeção identificou diversas outras irregularidades, como o não fornecimento de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) adequados – especialmente o avental "capote" com a espessura correta – e a impossibilidade de distanciamento físico mínimo de 1,5 metro entre os funcionários durante a alimentação no refeitório.

Coren-ES

O hospital também não disponibiliza locais de repouso em quantidade e condições adequadas, havendo casos de funcionários que se deitam sobre cadeiras e até dentro de banheiro. E mesmo furtos são comuns, pois não há armários para guarda dos pertences pessoais durante o expediente, ficando todos amontoados em espaços coletivos.

Coren-ES

"A assistência aos pacientes é muito precária e os profissionais estão trabalhando no limite físico, técnico e psicológico, com muito assédio moral", relata a presidente. "É inaceitável que uma instituição que se propõe a cuidar da vida das pessoas ofereça essas condições, que comprometem o exercício profissional e a segurança dos pacientes. Saúde não é mercadoria", declara, indignada.

Diante da gravidade da situação, o Coren vai monitorar a instituição e levar o caso ao conhecimento da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), já que o governo do Estado contratualizou 70 leitos de UTI no hospital, além de outros leitos de enfermaria, bem como ao Ministério Público Estadual (MPES).

Veja mais notícias sobre Saúde.

Veja também:

 

Comentários: 14

Priscilla em Segunda, 12 Abril 2021 23:02

Sempre foi péssimo em relação aí isso no hospital vila velha..eles querem pagar um salário péssimo e não para ninguém..quando ganhei bebê em 2014 tinham 20 mulheres quentinha ganhado bebês e somente 1 enfermeira e 1 técnica em enfermagem..estava doidinhas para dar conta da demanda.. isso é desumano com os profissionais da saúde e com os pacientes que principalmente em uma UTI devem morrer sem vê...paciente do SUS lá então são os que mais pagam o SUS mais que convênio e os pacientes são largados...por hrs sem ter ninguém para troca -los..triste

Sempre foi péssimo em relação aí isso no hospital vila velha..eles querem pagar um salário péssimo e não para ninguém..quando ganhei bebê em 2014 tinham 20 mulheres quentinha ganhado bebês e somente 1 enfermeira e 1 técnica em enfermagem..estava doidinhas para dar conta da demanda.. isso é desumano com os profissionais da saúde e com os pacientes que principalmente em uma UTI devem morrer sem vê...paciente do SUS lá então são os que mais pagam o SUS mais que convênio e os pacientes são largados...por hrs sem ter ninguém para troca -los..triste
Bento Rosa em Terça, 13 Abril 2021 05:18

Sugiro a Seda que faça o mesmo nos demais hospitais de Vila Velha.

Sugiro a Seda que faça o mesmo nos demais hospitais de Vila Velha.
Copeira em Terça, 13 Abril 2021 07:02

Isso não é nem a metade. Para outros funcionários é pior. Não tem direito nem a insalubridade. Um descanso digno.

Isso não é nem a metade. Para outros funcionários é pior. Não tem direito nem a insalubridade. Um descanso digno.
Mac Sebastiao Scardua em Terça, 13 Abril 2021 07:34

Demorou. Já passei muita raiva nesse hospital. A boa vontade dos funcionários e excepcional. Porém, o fato e real. Já conversei com alguns que trabalham 24 hs, pois faltam profissionais. Quer ver mais, vai para o pronto socorro. Muuuuitas vezes a espera e infinita para atendimento .

Demorou. Já passei muita raiva nesse hospital. A boa vontade dos funcionários e excepcional. Porém, o fato e real. Já conversei com alguns que trabalham 24 hs, pois faltam profissionais. Quer ver mais, vai para o pronto socorro. Muuuuitas vezes a espera e infinita para atendimento .
JOSE LOPES F JUNIOR em Terça, 13 Abril 2021 10:58

Minha sogra deu entrada no Hospital Bezerra da Silva com covid e foi atendida maravilhosamente, foi transferida para o Vila Velha através de um convênio com o estado. Não gostamos do atendimento, não dão informação diária sobre o paciente e não tinham o mesmo cuidado que o Bezerra, mas ainda dava para passar. Depois foi diagnosticada com câncer e foi transferida para o Hospital Evangélico, esse sim me surpreendeu, péssimo atendimento das enfermeiras, não dão banho nas pacientes, não ajudam a ir ao banheiro, tem que fazer as necessidades em um fralda e demoram mais de uma hora para trocar, um absurdo, a parte de cuidar do paciente é péssimo no Hospital Evangélico

Minha sogra deu entrada no Hospital Bezerra da Silva com covid e foi atendida maravilhosamente, foi transferida para o Vila Velha através de um convênio com o estado. Não gostamos do atendimento, não dão informação diária sobre o paciente e não tinham o mesmo cuidado que o Bezerra, mas ainda dava para passar. Depois foi diagnosticada com câncer e foi transferida para o Hospital Evangélico, esse sim me surpreendeu, péssimo atendimento das enfermeiras, não dão banho nas pacientes, não ajudam a ir ao banheiro, tem que fazer as necessidades em um fralda e demoram mais de uma hora para trocar, um absurdo, a parte de cuidar do paciente é péssimo no Hospital Evangélico
Eraldo em Terça, 13 Abril 2021 11:37

Bom dia, José Lopes.
Pode me contatar?
(27) 992315333.
Preciso verificar junto ao HEVV a questão desse tipo de atendimento relatado ai que sua sogra recebeu lá, isso lá dentro não é admissível.
Por favor me mande msg no PV, ok?

Bom dia, José Lopes. Pode me contatar? (27) 992315333. Preciso verificar junto ao HEVV a questão desse tipo de atendimento relatado ai que sua sogra recebeu lá, isso lá dentro não é admissível. Por favor me mande msg no PV, ok?
Fabiana em Terça, 13 Abril 2021 11:45

"Se o paciente tem sintoma gripal, ele tem que entrar num caminho diferente do paciente que não tem sintoma gripal. Eles não podem se encontrar dentro do hospital".

Infelizmente isso não tem acontecido, no cias é apenas um medico na madrugada para dar conta de emergência e uti covid, tem separação nenhuma.

"Se o paciente tem sintoma gripal, ele tem que entrar num caminho diferente do paciente que não tem sintoma gripal. Eles não podem se encontrar dentro do hospital". Infelizmente isso não tem acontecido, no cias é apenas um medico na madrugada para dar conta de emergência e uti covid, tem separação nenhuma.
André em Terça, 13 Abril 2021 13:10

O setor de nutrição do Hospital Vila Velha passa pelo mesmo problema, com apenas duas nutricionistas para dar assistência a quase 400 pacientes. Eles também não pagam a isalubridade a todos os profissionais envolvidos nas alas dos Covid, e aos poucos que pagam, pagam valores incorretos, abaixo do que manda a lei. E o Conselho Regional de Nutrição, já foi informado mas se omite a fiscalizar.
Ajudem-os, pois ele não podem gritar porque é um pequeno grupo e correm o risco de serem demitidos se fizerem cobranças. Contudo, já há profissionais da área com o emocional abalado devido a tanta pressão que sofrem no trabalho sem poder ter ajuda do COREN.

O setor de nutrição do Hospital Vila Velha passa pelo mesmo problema, com apenas duas nutricionistas para dar assistência a quase 400 pacientes. Eles também não pagam a isalubridade a todos os profissionais envolvidos nas alas dos Covid, e aos poucos que pagam, pagam valores incorretos, abaixo do que manda a lei. E o Conselho Regional de Nutrição, já foi informado mas se omite a fiscalizar. Ajudem-os, pois ele não podem gritar porque é um pequeno grupo e correm o risco de serem demitidos se fizerem cobranças. Contudo, já há profissionais da área com o emocional abalado devido a tanta pressão que sofrem no trabalho sem poder ter ajuda do COREN.
Paula em Terça, 13 Abril 2021 18:39

Boa noite! Até que enfim, isso ocorre a anos, vi muitos conhecidos morrerem nesse hospital nos últimos três anos, e todos com um mesmo motivo, infecção hospitalar. Há um grande descaso com os pacientes, os funcionários estão sobrecarregados. Uma grande falta de respeito, uma ganância, tudo é cobrado. Isso tem q mudar.

Boa noite! Até que enfim, isso ocorre a anos, vi muitos conhecidos morrerem nesse hospital nos últimos três anos, e todos com um mesmo motivo, infecção hospitalar. Há um grande descaso com os pacientes, os funcionários estão sobrecarregados. Uma grande falta de respeito, uma ganância, tudo é cobrado. Isso tem q mudar.
Ex. higienização em Quarta, 14 Abril 2021 01:12

Vcs não viram nada ainda,trabalhamos em condições precárias na higienização do Vila velha hospital,nem cloro temos para trabalhar,toda a limpeza dos setores inclusive a das UTIs e centro cirúrgicos é feita a penas com água,sem falar que são muitos os andares a serem higienizados para poucos colaboradores,sobre carga e acúmulo de funções,o mesmo que higieniza o setor de covid também higieniza o centro cirúrgico e outros locais a mais,um enorme descaso com a vida humana.

Vcs não viram nada ainda,trabalhamos em condições precárias na higienização do Vila velha hospital,nem cloro temos para trabalhar,toda a limpeza dos setores inclusive a das UTIs e centro cirúrgicos é feita a penas com água,sem falar que são muitos os andares a serem higienizados para poucos colaboradores,sobre carga e acúmulo de funções,o mesmo que higieniza o setor de covid também higieniza o centro cirúrgico e outros locais a mais,um enorme descaso com a vida humana.
Maria em Quarta, 14 Abril 2021 13:30

Sem contar que o maqueiro a noite trabalha sozinho leva os pacientes para ala covid leva para a ala não covid nas internações, diagnóstico com a paramentação inadequada, ou seja contamina todas as áreas. Vejo essa direção como um capitalista que visa só com rendimentos os profissionais e clientes são nada.

Sem contar que o maqueiro a noite trabalha sozinho leva os pacientes para ala covid leva para a ala não covid nas internações, diagnóstico com a paramentação inadequada, ou seja contamina todas as áreas. Vejo essa direção como um capitalista que visa só com rendimentos os profissionais e clientes são nada.
João da Silva em Quinta, 15 Abril 2021 02:21

Jesus como a verdade está aparecendo!!
Essa causa não é somente da enfermagem.
Podem vasculhar que irão encontrar problemas em todas as áreas. Todos os comentários fazem sentido. Esta direção capitalista só quer lucro encima dos funcionários e do povo.
E o Sr Governador do estado Casagrande que abra o olho.

Jesus como a verdade está aparecendo!! Essa causa não é somente da enfermagem. Podem vasculhar que irão encontrar problemas em todas as áreas. Todos os comentários fazem sentido. Esta direção capitalista só quer lucro encima dos funcionários e do povo. E o Sr Governador do estado Casagrande que abra o olho.
Neyllavs em Domingo, 18 Abril 2021 17:34

Com certeza esse aumento de número de óbitos e infecctados mesmo com a decretação do lockdown, foi causado por todos esses fatores e isso o excelentíssimo governador não fala. O jornal da tv vitória já fez reportagem com depoimento de parentes de pacientes e de funcionários de denunciando a mistureba de doentes com covid junto a outros sem diagnóstico confirmado ou com outras enfermidades. Meu filho teve, pagou teste particular e ficou trancado no quarto 10 dias sem comer já que o único sintoma foi perda do paladar. Retornou ao trabalho se arrastando. Eu morro mas não procuro porcaria de PA e nem se tivesse plano de saúde. Também reparei a muito tempo que quando a tv mostra os enfermeiros e médicos paramentados é só para a reportagem. Tenho amiga que trabalha higienizando UTI de hospital na Itália e mais parece um astronauta. Mesma coisa as reportagens dos coveiros em SP... macacões e o diabo a quatro para aparecer na imprensa internacional fazendo alarmismo, sendo que os mesmos mal tem um par de luvas...ah vai dizer que sou bolsoo que mesmo? Não, sou realista e vejo o que está errado seja o que ou com quem for

Com certeza esse aumento de número de óbitos e infecctados mesmo com a decretação do lockdown, foi causado por todos esses fatores e isso o excelentíssimo governador não fala. O jornal da tv vitória já fez reportagem com depoimento de parentes de pacientes e de funcionários de denunciando a mistureba de doentes com covid junto a outros sem diagnóstico confirmado ou com outras enfermidades. Meu filho teve, pagou teste particular e ficou trancado no quarto 10 dias sem comer já que o único sintoma foi perda do paladar. Retornou ao trabalho se arrastando. Eu morro mas não procuro porcaria de PA e nem se tivesse plano de saúde. Também reparei a muito tempo que quando a tv mostra os enfermeiros e médicos paramentados é só para a reportagem. Tenho amiga que trabalha higienizando UTI de hospital na Itália e mais parece um astronauta. Mesma coisa as reportagens dos coveiros em SP... macacões e o diabo a quatro para aparecer na imprensa internacional fazendo alarmismo, sendo que os mesmos mal tem um par de luvas...ah vai dizer que sou bolsoo que mesmo? Não, sou realista e vejo o que está errado seja o que ou com quem for
Alice em Sábado, 01 Mai 2021 13:03

Um absurdo eles estão acomodando paciente com covid no repouso do PS com outros pacientes
Minha sobrinha estava lá e colocaram um paciente de covid junto com ela no mesmo quarto. E a Enfermeira ainda foi Grosseira comigo dizendo que eu só penso em mim. Disse que PS não tem essa de separar não. É misturado mesmo eu que eu tenho que aceitar

Um absurdo eles estão acomodando paciente com covid no repouso do PS com outros pacientes Minha sobrinha estava lá e colocaram um paciente de covid junto com ela no mesmo quarto. E a Enfermeira ainda foi Grosseira comigo dizendo que eu só penso em mim. Disse que PS não tem essa de separar não. É misturado mesmo eu que eu tenho que aceitar
Visitante
Sábado, 15 Mai 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/