Dólar Comercial: R$ 5,31 • Euro: R$ 6,29
Quarta, 25 Novembro 2020

Taxa de transmissão e média móvel crescem em 7 das 10 microrregiões do Estado

leito_uti_covid_secom Secom

O 31º Mapa de Risco Covid-19 foi anunciado nesta sexta-feira (13) pelo governo do Estado, para vigência entre a próxima segunda-feira (16) e o domingo (22). Do total de municípios capixabas, 76 estão classificados em risco baixo. Apenas dois permanecem em risco moderado (Ecoporanga e Santa Teresa) e não há nenhum município em risco alto.

Também divulgado nesta sexta, a evolução dos casos confirmados, com base em dados até 30 de outubro, contrasta com a predominância verde do Mapa do Risco, pois mostra a continuidade do crescimento exponencial da doença na maior parte do território capixaba, com o índice de transmissão (Rt) acima de 1 na média estadual (1,28), na Grande Vitória (1,28 para os quatro municípios mais populosos e 1,34 para a região toda) e no interior (1,27).

Na análise das microrregiões, sete das dez estão com Rt acima de 1. Além da GV, chama atenção a Centro-Oeste (1,53), estando nessa situação também: Sudoeste Serrana (1,08), Rio Doce (1,2), Noroeste (1,23), Caparaó (1,2) e Central-Sul (1,52). Litoral Sul está em 0,99 e apenas duas estão abaixo de 1: Central Serrana (0,85) e Nordeste (0,53). 

Na média móvel das últimas quatro semanas, sete regiões estão em crescimento quando comparadas com as duas últimas análises: GV (subiu de 1,08 em 23/10 para 1,13 em 30/10), Rio Doce (de 0,93 pra 1,01), Centro-Oeste (de 1,17 pra 1,34), Noroeste (0,99 pra 1,17), Caparaó (0,67 pra 0,76), Litoral Sul (1,15 pra 1,19), Central-Sul (0,93 pra 1,17). A MM4 diminuiu nas duas avaliações em três regiões: Sudoeste Serrana (1,17 pra 1,15), Nordeste (0,82 pra 0,73), Central Serrana (1,41 pra 1,31),

"Tanto a Grande Vitória quanto o interior apresentam Rt em torno de 1,2, devido à ampliação considerável do protocolo de testagem e ao aumento da interação entre as pessoas. O que tranquiliza é que os óbitos estão estabilizados", analisa Pablo Silva Lira, diretor de Integração e Projetos Especiais do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), informando que a média móvel de óbitos de 14 dias está estabilizada desde 23 de setembro, oscilando entre oito e dez, ressalta. "Caso tenha alteração, vai repercutir no Mapa de Risco", ressalta. 

O secretário de Estado de Saúde interino, Luiz Cláudio Reblin, concorda que a pandemia cresce no Espírito Santo, com o Rt acima de 1 na maior parte do território. Para evitar o aumento da classificação de risco dos municípios, a Sesa mantém a estratégia de ampliar o número de leitos hospitalares. Hoje são 715 equipados para atender pacientes Covid, sendo que 412 estão dedicados exclusivamente a pacientes com essa enfermidade, estando os demais disponíveis para outras doenças. Segundo o Painel Covid-19, a ocupação nesta sexta-feira está em 79,85%, considerando os leitos exclusivos, e em 46,01% da disponibilidade ampliada. 

Desde o dia 1 de novembro, Reblin informou que foram abertos e reabertos 43 leitos de UTI e 41 de enfermaria em seis hospitais próprios, em Aracruz, Vila Velha, Colatina e Vitória. Além disso, a partir de segunda-feira (16), serão contratualizados, pelo prazo de 90 dias, mais 130 leitos de UTI e 187 de enfermaria na rede complementar, filantrópica e privada, num investimento de R$ 29 milhões. 

O painel Covid-19 confirmou hoje 11 óbitos e 1.359 casos, chegando a um total de 3.993 mortes e 168.358 testes positivos desde o início da pandemia.

Veja mais notícias sobre Saúde.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 25 Novembro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/

No Internet Connection