Quinta, 13 Junho 2024

Vinte municípios do ES receberão primeiro lote de vacinas contra a dengue

frascos_vacina_dengue_rogerio_vidimantas_prefeitura_dourados Rogério Vidimantas/Prefeitura Dourados
Rogério Vidimantas/Prefeitura Dourados

Vinte municípios capixabas serão contemplados com o primeiro lote de vacinas contra a dengue, segundo critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde. Todos pertencem à Região Metropolitana de Saúde. A lista foi divulgada nesta quinta-feira (25): Vila Velha, Serra, Cariacica, Vitória, Guarapari, Afonso Claudio, Viana, Laranja da Terra, Fundão, Itaguaçu, Santa Leopoldina, Domingos Martins, Santa Teresa, Venda Nova do Imigrante, Santa Maria de Jetibá, Ibatiba, Brejetuba, Marechal Floriano, Conceição do Castelo e Itarana.

Os critérios para definição dos municípios seguem recomendação da Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização (CTAI) e da Organização Mundial da Saúde (OMS), com envio de vacinas às regiões com municípios de grande porte com alta transmissão nos últimos dez anos e população residente igual ou maior a 100 mil habitantes, levando também em conta altas taxas de casos nos últimos meses.

A expectativa, segundo o Ministério da Saúde, é de que as doses cheguem ao Estado até início de fevereiro, para que seja iniciada a imunização da população-alvo, de crianças de 10 a 14 anos. A Secretaria da Saúde aguarda a confirmação, por parte do órgão federal, do número de doses a serem enviadas.

Dois vinte selecionados, dois estão na lista de nove municípios, que, nesta terceira semana epidemiológica do ano, atingiram incidência alta para a doença: Laranja da Terra, que encabeça a lista de maior incidência, com taxa de 2277,50 no acumulado entre o dia 31 de dezembro de 2023 e o dia 20 de janeiro; e Afonso Claudio, que tem a terceira maior incidência do Estado, de 1520,29 no período.

Os demais sete municípios com alta incidência são: Água Doce do Norte (1741,68), Apiacá (1085,52), Ponto Belo (705,29), Nova Venécia (406,47), Sooretama (378,09), Linhares (363,92) e Barra de São Francisco (357,94).

Maior hospitalização

O Ministério da Saúde definiu para 2024 o público-alvo da vacina contra a dengue de crianças e adolescentes de 10 a 14 anos. A priorização deste grupo ocorre em virtude de ser a faixa etária que concentra o maior número de hospitalização por dengue no País, depois de pessoas idosas, grupo para o qual a vacina não foi liberada pela Anvisa, e também pelo número limitado de doses ainda disponíveis.

O esquema vacinal é composto por duas doses com intervalo de três meses entre elas.

Em todo, existem no Estado, segundo dados de estimativa do Censo IBGE 2022, 246.651 crianças e adolescentes de 10 a 14 anos. Nos 20 municípios já definidos para a receberem as primeiras doses, são 137.438 crianças e adolescentes nesta mesma faixa etária.

Pioneirismo

Conhecida como Qdenga, a vacina contra a dengue foi incorporada ao Sistema Único de Saúde (SUS) no dia 21 de dezembro passado, iniciativa pioneira no mundo. O imunizante tem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) com indicação para prevenção de dengue causada por qualquer sorotipo do vírus para pessoas de 4 a 60 anos de idade, independentemente de exposição prévia.

A primeira remessa da vacina contra a dengue que será oferecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS) chegou ao Brasil neste sábado (20). O governo recebeu 720 mil doses do imunizante Qdenga, oferecidas sem cobrança pelo laboratório japonês Takeda Pharma.

O Ministério da Saúde receberá ainda cerca de 600 mil doses gratuitas da fabricante, totalizando 1,32 milhão. Além disso, o governo comprou 5,2 milhões de doses que serão gradualmente entregues até novembro.

O total de 6,52 milhões de doses representa a capacidade total disponível no laboratório para este ano. Diante da capacidade limitada de produção da vacina, pouco mais de 3,2 milhões de pessoas serão vacinadas neste ano, já que o esquema vacinal requer a aplicação de duas doses, com intervalo mínimo de 90 dias entre elas.

Situação nos municípios

Conforme o boletim epidemiológico da dengue divulgado nesta quinta-feira (25) pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), foram notificados 5,5 mil casos da doença no Estado, com incidência de 137,57 casos por 100 mil habitantes na semana epidemiológica (SE) 03 (14/01/2024 a 20/01/2024). Não há confirmação de óbitos neste período.

O número de casos da SE 03 é 30% maior que o da semana anterior e quase o dobro da SE 01, quando foram registrados 1,3 mil e 1,8 mil casos, respectivamente.

Quanto à incidência, o grupo com taxa média tem 31 municípios, incluindo os mais populosos da Grande Vitória: Vitória (174,93), Serra (114,56) e Vila Velha (107,91).

O maior grupo é o de baixa incidência, com 38 municípios, três deles sem nenhum registro da doença nas últimas três semanas: Rio Novo do Sul, no sul do Estado; Divino de São Lourenço, no Caparaó; e Governador Lindenberg.

O Ministério da Saúde considera três níveis de incidência acumulada das quatro últimas semanas dos casos de dengue: baixa (menos de 100 casos/100 mil habitantes), média (de 100 a 300 casos/100 mil habitantes) e alta (mais de 300 casos/100 mil habitantes). A taxa de incidência é um importante indicador de alerta e ajuda a orientar as ações de combate à dengue.

Os dados completos podem ser acessados aqui

Veja mais notícias sobre Saúde.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 14 Junho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/